Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo
  • Tecnologia no controle

    transito-velocidade.jpg

    No próximo dia 02 de maio, a Europa deve adotar um limitador que irá permitir, através da leitura automática do limite de velocidade da via pelo GPS, a redução imediata da velocidade do carro. Esta é apenas uma das medidas que, embora demorem anos para serem aplicadas, irão retirar do condutor a autonomia ao volante que ocasiona sérios acidentes.

    Segundo o Conselho Europeu de Segurança nos Transportes (ETSC), somente nos últimos 10 anos, o excesso de velocidade nas estradas do continente matou mais de 8 mil crianças. São dados graves que nos mostram que, na curva do futuro, está o carro eletrônico.

    Para quem imagina que essa tecnologia pode demorar para chegar ao Brasil, é bom lembrar que, atualmente, as plataformas dos veículos são mundiais. Hoje, não há tanta diferença entre os carros fabricados no Brasil e nos Estados Unidos em relação aos fabricados no Japão, na Alemanha ou na França. O mesmo vale para caminhões e ônibus.

    Neste sentido, os caminhões e os ônibus já representam um grande avanço em relação ao futuro, já que são monitorados via satélite, podendo ser desligados remotamente. Qualquer comportamento do motorista destes veículos que fuja ao padrão emite um alerta que faz a central ligar para o condutor e, nos casos em que fica sem resposta, esta pode até mesmo desligar o veículo.

    Do ponto de vista da velocidade, a tecnologia já conta com os radares inteligentes, que acompanham os veículos por longas distâncias e os multam, tendo como base a velocidade média. Um bom exemplo do uso desses equipamentos é a Ponte Rio-Niterói, Estado do Rio de Janeiro, onde somente nos primeiros 30 dias de operação o número de acidentes caiu 25%.

    É fato: a tecnologia chegou para ficar e comandar. Num futuro bem próximo, a esperança é que ela corrija os erros dos maus motoristas em benefício de toda a sociedade.