Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo
  • Carnaval vai deixar, pelo menos, 300 mortos e 3 mil feridos nas estradas

    No Carnaval de 2018, somente nas rodovias federais, 103 pessoas morreram e 24 ficaram feridas. Se considerarmos o somatório dos mortos e dos feridos nos acidentes das rodovias estaduais, o número de vítimas dobrou. Infelizmente, já podemos estimar o total de mortos e feridos que teremos nas rodovias brasileiras neste Carnaval. Em apenas 5 dias de folia, o número de vítimas fatais será entre 180 e 240 pessoas, e o de feridos, entre 2.800 e 3.300. Destes últimos, cerca de 20% costumam ser graves. A conta mortal será de, pelo menos, 300 óbitos.

    É costume que a mídia fique mais focada nas mortes divulgadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que devem variar entre 90 e 110 mortos. Com exceção do Estradas.com.br, praticamente ninguém faz um levantamento do total das vítimas considerando as vias federais e estaduais somadas. Quanto à estimativa de quantas pessoas que efetivamente morrem em decorrência do total dos acidentes, não temos o menor prazer em acertar anualmente essas previsões. Pelo contrário, lamentamos profundamente que isso ocorra. Mas o fato é que a sociedade parece anestesiada com esses números. É como se aceitássemos as mortes nesses períodos como inevitáveis. Depois do Carnaval, ficamos esperando o balanço das mortes no feriado da Páscoa, e assim passamos o ano contabilizando mortos e feridos.

    Quem sabe o novo governo consiga mudar essa realidade. Mas, para isso, precisa conscientizar o alto escalão. Para aqueles que acreditam que as campanhas educativas vão mudar esse quadro, lamentamos informar que mudanças pela educação demoram décadas, e que nesse entretempo, continuaremos a enterrar as vítimas e produzir inválidos. Além do mais, quem tem habilitação já conhece as regras e já foi educado. O que funciona, de fato, é aplicar a lei com máximo rigor, punir os infratores, dar condições de trabalho para as polícias rodoviárias, e mostrar para a sociedade que as mortes no trânsito são inaceitáveis. Essa é a mensagem que o governo precisa passar.

    E, por favor, é hora de parar com o discurso sobre a indústria da multa. O que temos é uma fábrica de infratores, cujo produto final são vidas de brasileiros perdidas todos os anos. É o “Bloco da Morte”, que desfila nas estradas e deixa um rastro de destruição. Não faça parte dessas estatísticas. Dirija com cuidado, seja paciente, respeite às normas, use o cinto de segurança, jamais viaje cansado, e transporte as crianças conforme a lei determina.

    Gostou do artigo? Clique aqui para conhecer o site do SOS Estradas, um programa que visa reduzir os acidentes e aumentar a segurança nas rodovias.