Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Artigos

Caminhoneiros continuam morrendo por falta do uso de cinto de segurança

No mês passado, um caminhoneiro de 24 anos perdeu o controle do caminhão e tombou na BR 153, na região dos Campos Gerais do Paraná. Como estava sem o cinto de segurança, ele foi projetado para o lado da janela do carona, rompendo o vidro. Além disso, a carreta tombou sobre o seu corpo. Em outro acidente na BR 163, trecho entre Nova Mutum e Lucas do Rio Verde (MT), dois caminhões colidiram em 26 de junho. O carreteiro sem cinto foi arremessado para fora do veículo e não resistiu aos ferimentos e o outro, apesar do tombamento do seu caminhão, sobreviveu sem nenhum ferimento e atribuiu o ocorrido ao fato de estar utilizando o cinto de segurança.

Segundo estudos da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, o uso do cinto de segurança pode reduzir em até 70% as mortes e lesões graves, mas infelizmente muitos caminhoneiros ainda teimam em não usar. Essa é a categoria que mais morre no exercício da profissão, mas muitos resistem ao utilizar o cinto.

O mesmo ocorre com muitos profissionais que vivem atrás do volante, inclusive taxistas, que muitas vezes dirigem sem usar o cinto. Quem é condutor profissional, tem obrigação em usar o cinto de segurança e fazer com que seus passageiros também usem. Além do mais, a utilização do item, também pode evitar acidente. Numa manobra de risco na estrada ou área urbana, o cinto retém o corpo do motorista junto ao assento, o que permite manter o controle do veículo. Com o corpo solto no banco, o condutor perde facilmente a condição de dirigir.

Apesar de todos os avanços tecnológicos, o cinto de segurança de três pontos inventado pelo engenheiro sueco Nils Bohlin há 60 anos, continua sendo o equipamento que mais salva vidas. Só não usa quem não dá o devido valor a ela.


Continuar lendo

Saiba mais sobre regras de acessibilidade no trânsito para pessoas com deficiência

Você sabe como funcionam as leis de trânsito para pessoas com deficiência no Brasil? Além da garantia da acessibilidade e inclusão por meio de legislações, respeitar as limitações do próximo é um ato essencial para viver em sociedade. Neste post, vamos mostrar um pouco do funcionamento das principais regras que visam a inclusão de todos. Acompanhe!

PCDs podem tirar habilitação?

Sim! Pessoas com deficiência que desejam tirar a Carteira Nacional de Habilitação devem recorrer aos Centros de Formação de Condutores, que oferecem as tecnologias necessárias para permitir o aprendizado. Todo o material utilizado em aulas teóricas precisa estar disponível com legendas e tradução em libras. Além disso, autoescolas com frota igual ou superior a dez veículos deverão ter, pelo um menos, um deles adaptado para pessoas com deficiência, com transmissão automática, direção servo-assistida, comandos manuais de acelerador e freio e inversão do pedal de acelerador.

Estacionamento e vagas para deficientes

A vaga especial é um direito assegurado por Lei Federal: 2% do total de vagas precisam estar disponíveis para veículos com credencial e serem próximas ao acesso de pedestres. E fique esperto! Para quem ainda burla essa lei, as consequências são severas. O veículo pode ser removido e o motorista multado como infração grave!

Compra de veículos com isenção de impostos

A isenção também é prevista por lei e é válida para pessoas que possuem o laudo da Receita Federal, assinado por dois médicos credenciados ao SUS (Sistema Único de Saúde). Dependendo da situação, a economia pode chegar a 30%. Algumas montadoras já possuem versões de seus carros adaptados para PCSs, com mudanças nos pedais e volante.

Esses são só alguns dos direitos das pessoas com deficiência no trânsito brasileiro, mas muitas outras regras, além da empatia, são necessárias para que a sociedade possa conviver em segurança. Você já conhecia essas regras? Sabe de mais alguma? Conta pra gente nos comentários como você faz sua parte para garantir a acessibilidade de todos no dia a dia!


Continuar lendo

Investimento em tecnologia para veículos auxilia na redução de acidentes

No trânsito, a tecnologia pode ser um fator de distração para os condutores, passageiros e pedestres, aumento muito o risco de acidentes. Mas apesar de pontos negativos, como uso de Whatsapp na direção e ao caminhar pelas ruas, uma organização sem fins lucrativos americana, a Consumer Reports, desenvolveu um estudo baseado em informações retiradas de cerca de 72 mil veículos e entrevistas com seus condutores, concluindo que, recursos avançados de assistência ao motorista têm auxiliado a ampliação da segurança de motoristas e passageiros. Quer saber mais sobre o assunto? Então fique ligado no nosso post!

Os ADAS (Advanced Driver-Assistance Systems ), são equipamentos tecnológicos que permitem que os veículos, por meio de câmeras, radares e sensores, façam classificações básicas e detectem objetos. Dessa forma, o condutor é alertado em caso de condições perigosas para a direção. Os dispositivos também fazem o monitoramento em pontos cegos e assistência no momento da troca de faixas.

Cerca de 57% dos motoristas entrevistados afirmaram que o equipamentos os livraram de algum tipo de acidente, como colisões. Interessante, não é? Outro ponto destacado pelos entrevistados foi o aviso de ponto cego: cerca de 60% dos participantes alegaram que já evitaram choques graças a essa inovação. Além disso, grande parte dos entrevistados mostrou-se satisfeito com os serviços de frenagem de emergência automática e também com o cruise control, sistema responsável por auxiliar o motorista a manter distância segura do veículo à frente.

Esse é mais um dos exemplos de que a tecnologia melhora o nosso dia a dia! E você? Conhece alguém que utilize a tecnologia para garantir mais segurança no trânsito? Conta pra gente aqui nos comentários!

Continuar lendo

Férias escolares: a educação no trânsito não descansa!

Além da diversão e do descanso das férias escolares, o período é excelente para ensinar um pouco de segurança no trânsito. A criançada aproveita o tempo para passear, brincar na rua e assim, o número de pedestres aumenta significativamente. Outra mudança de comportamento é que, em época de recesso escolar, os veículos tendem a circular em velocidade acima da permitida, já que as vias urbanas ficam mais livres. Pensando em tudo isso, neste post, vamos falar um pouquinho sobre a necessidade de educar os pequenos e evitar acidentes. Fique ligado!

Educar crianças e adolescentes sobre o trânsito é super importante pois, além de prepara-los como motoristas, pedestres e ciclistas conscientes, contribui para a formação de um cidadão que conhece seus direitos e deveres e os exerce de forma correta. A ação de órgãos de trânsito, nesse momento, é fundamental, seja com blitzes educativas ou até mesmo ações em colônias de férias.

Em Brasília, o Detran começou, no último dia 10, uma campanha de conscientização com a distribuição de material informativo contendo dicas de segurança a condutores e pedestres, com o intuito de reduzir os acidentes. Além das ações nas ruas, o Detran ainda se coloca disponível para visitar e promover ações educativas em colônias de férias, que podem ser agendadas através do Núcleo de Campanhas Educativas no Trânsito (+55 61 3905-4067).

Da mesma forma que a participação ativa dos órgãos públicos é de extrema importância, a educação em casa e os bons exemplos devem ser disseminados diariamente. Ensine que as brincadeiras na rua devem ser feitas longe das vias; oriente sobre os significados das cores dos semáforos, placas e faixas; ensine sobre a importância e utilização de itens de segurança.

Afinal, a segurança no trânsito nunca pode tirar férias!

Continuar lendo

ONU lança manual de segurança para motociclistas

Só no Brasil, os números de acidentes de trânsito envolvendo motocicletas são alarmantes. Apesar de representarem apenas 27% da frota nacional, essa categoria de veículos foi responsável por 75% das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT. O cenário brasileiro é apenas um exemplo de um problema mundial. Tanto que a Organização das Nações Unidas (ONU) desenvolveu o documento “Segurança de veículos motorizados de duas e três rodas: um manual de segurança para gestores e profissionais da área”. Neste post, vamos dar alguns detalhes sobre essa iniciativa. Fique ligado!

A partir dos números de fabricação de motocicletas, que cresce anualmente em muitos países, inclusive no Brasil, a ONU percebeu que era preciso incentivar a criação de políticas públicas específicas para os motociclistas. Foi então que nasceu o manual, produzido com o objetivo de atingir os locais onde os números de acidentes com motos, são altos. No Brasil, o governo paulista foi um dos primeiros a receber o documento, que foi produzido pela Agência de Saúde da ONU.

O material foi produzido para setores que tem como responsabilidade elaborar políticas de segurança viária. A partir da boa implementação das orientações do manual, o objetivo é atingir motociclistas, engenheiros, policiais, profissionais de saúde pública e educadores para prevenir e controlar a quantidade de acidentes envolvendo veículos de duas rodas que resultem em lesões. 🛵

Como o manual foi feito para os usuários desta categoria de veículos de todo o mundo, a ONU aconselha adaptações locais de acordo com a realidade da cidade, estado ou país. O conteúdo do material fornece desde sugestões básicas de combate ao excesso de velocidade, utilização de itens de segurança e perigos da combinação de álcool e direção até questionamentos mais específicos como os riscos das lesões ocasionadas pelos acidentes envolvendo motos.

O manual em português foi lançado em janeiro deste ano e pode ser encontrado, de forma gratuita, clicando aqui.

É motociclista ou conhece alguém que é? Compartilhe esse material! Quem sabe você não ajuda a prevenir e diminuir acidentes no território brasileiro?

😉

Continuar lendo

Especial Meio Ambiente: Montadoras investem na produção de carros elétricos!

Entre os dias 1 e 5 de junho, é comemorada a Semana Mundial do Meio Ambiente. Esse é o momento de chamar atenção da população para a preservação do patrimônio natural. Além de fazer nossa parte, sabemos que inovações tecnológicas são fundamentais para contribuir com a diminuição da poluição no planeta não é mesmo, galera? Neste post, vamos falar de ideias que tem ganhado cada vez mais força no mercado automobilístico: os carros elétricos!

Você sabia que, apesar de parecer super moderna, a ideia de ter veículos movidos a energia elétrica é bem antiga? O primeiro modelo foi feito no século XIX, naquela época, além dos altos preços, a velocidade dos veículos era bem inferior aos dos carros normais. Por isso, a ideia acabou não ganhando tanta força e não fez sucesso no mercado automobilístico. 😕

Em 2018, a União Europeia começou um maior incentivo para a produção dos chamados “carros verdes”. O pontapé inicial foi um acordo proposto pelo bloco europeu, que tinha como meta reduzir em 37,5% as emissões de dióxido de carbono (CO2) feitas por automóveis, até 2030. Uma das medida para atingir esse objetivo foi o incentivo para produção de carros mais eficientes e ecológicos.

No início desse ano, os investimentos em carros elétricos chegaram a US$ 300 bi. Incrível, né? Esse dinheiro deve ser investido ao longo de 10 anos pela Volkswagen e pela China, que lideram esse cenário e são motivados pelas políticas governamentais que incentivam a redução de emissão de gás carbônico. Para vocês terem uma noção, a segunda maior investidora é a empresa Daimler, que separou US$ 42 bilhões para a produção de carros elétricos. A Volkswagen pretende fechar 2025 com 15 milhões de automóveis elétricos, incluindo 50 modelos puramente elétricos e 30 híbridos. Produção em massa de carros mais ecológicos! 💚

Agora é com você! O que tem feito para contribuir com o meio ambiente? Quais são as iniciativas bacanas que tem visto por aí? Conta pra gente aqui nos comentários! Afinal de contas, construir um planeta melhor é uma responsabilidade de todos!

Continuar lendo

Especial Maio Amarelo: ações regionais chegam a escola para disseminar #bonsexemplos

As iniciativas ligadas ao Maio Amarelo estão acontecendo em todo o país e, diante de tantos números que assustam, nada melhor que boas notícias, não é? Com o intuito de promover a conscientização e educação no trânsito, escolas municipais e estaduais de diversos estados serão palco de diversas ações ao longo deste mês para chamar atenção dos pequenos e torna-los embaixadores de boas atitudes. Quer conhecer algumas? Então se liga no post de hoje!

Em Santarém, no Pará, 21 escolas irão receber ações 😱

No município de Santarém (PA), a Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito (SMT), através da Divisão de Educação no Trânsito, promoverá ações em escolas para crianças e adolescentes durante todo o mês. Serão 21 instituições, do ensino fundamental ao médio, que irão receber palestras, atividades lúdicas, recreação e distribuição de material informativo, com o objetivo de informar e conscientizar para que, no futuro, esses jovens sejam pessoas mais conscientes no trânsito.

Em São Paulo, alunos visitaram a Rede Lucy Montoro

O Instituto Lucy Montoro, conhecido por tratar e cuidar de pessoas com deficiência física que estão passando por reabilitação, foi o centro da visita de estudantes das redes de ensino estadual. Os alunos participaram de games interativos e vivências para alertar sobre as consequências dos acidentes e o perigo da mistura de drogas, álcool e direção. Além disso, os alunos ainda ouviram um depoimento de uma vítima de acidente de trânsito, que enfatizou o discurso do cuidado nas vias e a importância da inclusão das pessoas com deficiência.

No Rio, escolas de Cabo Frio recepcionam ações de educação! 🚘

Durante todo o mês de maio, os agentes civis municipais de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, irão promover ações do projeto “Por mais paz no trânsito” nas escolas. Com o intuito de apresentar o tema às crianças de forma lúdica, os guardas civis levaram para as escolas elementos cenográficos como faixa de pedestres, carrinhos e semáforos. Tudo para tornar o aprendizado mais prático e simples.

Educação e conscientização nas escolas contribui para o tema desse ano 😉

A campanha do Maio Amarelo, que em 2019 tem como tema “No trânsito, o sentido é a vida”, está promovendo a #MeOuça, incentivando que os adultos ouçam mais os conselhos das crianças na hora de dirigir. Promover ações de conscientização no trânsito em escolas é ainda mais importante para a formação dos pequenos.

No site do Maio Amarelo você pode conferir outras iniciativas que apoiam a campanha. 😊

Continuar lendo

Maio amarelo 2019: no trânsito, o sentido é a vida

O Maio Amarelo é um movimento que surgiu no Brasil e a cada ano conquista adeptos em todo o mundo. O foco da iniciativa é despertar a sociedade para a inaceitável violência no trânsito, que deixa milhares de mortos todos os dias. Este ano, o tema da campanha é: “No trânsito, o sentido é a vida”. O objetivo do movimento é uma ação coordenada entre poder público e a sociedade. A intenção é colocar em pauta o tema da segurança viária e contribuir para que todos reflitam sobre as causas da violência no trânsito e estimular a sociedade a participar ativamente.

Acompanhando o sucesso de outros movimentos como Outubro Rosa e Novembro Azul – os quais tratam, respectivamente, dos temas câncer de mama e próstata – o Maio Amarelo encoraja a promoção de atividades voltadas a conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão em seus deslocamentos diários no trânsito. Portanto, é um movimento que pertence a sociedade, a cada indivíduo.

Todos podem fazer parte e colaborar. Por isso, o Maio Amarelo é um movimento, uma ação e não uma campanha. Cada cidadão, entidade, empresa, poder público, pode utilizar o laço do maio amarelo em suas ações de conscientização, tanto no mês de maio como, na medida do possível, durante o ano inteiro.

Conheça essa iniciativa brasileira que está conquistando todo mundo, clicando aqui e participe!

Continuar lendo

Maio Amarelo: conheça a campanha nacional de 2019

Somente no ano passado, mais de 328 mil indenizações do Seguro DPVAT foram pagas a vítimas de acidentes de trânsito e seus beneficiários em todo país. O cenário da violência do trânsito ainda preocupa, pessoal e, por isso, o Maio Amarelo chega a sua sexta edição com o tema “No trânsito, o sentido é a vida”, que lembra a responsabilidade de motoristas, ciclistas, motociclistas e pedestres na redução de acidentes e na preservação de vidas. Quer saber mais sobre esse importante movimento? Fique ligado no nosso post!

Atenção à violência

O Maio Amarelo foi instaurado a partir de uma resolução da Assembleia-Geral das Nações Unidas, baseada em estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS), que definiu o período entre 2011 e 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito. A campanha deste ano tem como mote #MeOuça, estimulando os adultos a ouvirem mais os conselhos dados pelas crianças, refletindo um comportamento mais seguro no trânsito. Você pode conferir o vídeo clicando aqui. As crianças aparecem lembrando comportamentos simples, que muitas vezes, na correria do dia a dia, são esquecidos. Entre os exemplos estão obedecer à sinalização, utilizar equipamentos de segurança e não dirigir após consumo de álcool. Todos super importantes para mudarmos a realidade do trânsito, não é mesmo galera?

Mobilização Nacional

Para celebrar o lançamento da campanha nacional, o Ministério da Infraestrutura vai promover, na próxima quarta-feira, dia 8, uma cerimônia de abertura das atividades do Maio Amarelo. Estão previstas atividades para reforçar a importância do movimento, como a assinatura de um acordo com o lançamento do Programa Educa, iniciativa de educação no trânsito voltada a alunos do ensino fundamental das redes pública e privada. O evento contará também com a presença dos diretores-presidentes dos Detrans dos 26 estados e Distrito Federal, que apresentarão as ações desenvolvidas em cada um dos seus estados. Durante todo o mês de maio, a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e diversos órgãos públicos do país estarão iluminados na cor amarela, que representa a atenção na sinalização de advertência no trânsito e simboliza o movimento.

O que achou da campanha do Maio Amarelo desse ano? Curtiu? Conta pra gente e aproveita para compartilhar a ideia de um trânsito mais seguro! 😊


Continuar lendo

Motoristas sob os efeitos de drogas precisam ser contidos

Motoristas sob os efeitos de drogas precisam ser contidos

Desde que o exame toxicológico de larga janela começou a ser exigido para motoristas profissionais em 2016, o Brasil passou a contar com uma nova arma para desestimular o consumo de drogas. Nos dois primeiros anos de aplicação do exame, dois milhões de motoristas somente das categorias C, D e E, habilitados a dirigir vans, ônibus e caminhões, deixaram de renovar a carteira de habilitação, em grande parte, por serem usuários de drogas. Para voltar a dirigir precisam comprovar que deixaram o vício.

O teste, chamado de “exame do cabelo”, detecta o uso regular de drogas nos últimos 90 dias. Por isso, motoristas que consomem entorpecentes constantemente, evitam a realização do exame. No caso dos profissionais, o uso de substâncias ilícitas é comum para suportar as longas jornadas, reflexo da exploração da categoria. Além desses 2 milhões que não renovaram a CNH, mais de 100 mil fizeram o teste e foram flagrados. O resultado é que caíram os acidentes nas rodovias e áreas urbanas envolvendo veículos pesados, especialmente porque o número de motoristas de ônibus e caminhões dirigindo sob efeitos de substâncias psicoativas diminuiu. No caso dos ônibus, isso significa mais segurança para milhares de brasileiros que usam o transporte público diariamente.

Entretanto, uma matéria veiculada em uma das maiores emissoras do país revelou outro grupo de usuários que não tinham sido flagrados até hoje: os taxistas. Como Porto Alegre passou a exigir o exame toxicológico desses profissionais, muitos deixaram de apresentar o teste e perderam a autorização de transportar passageiros. Alguns falsificaram documentos, apresentando exame negativo de outros motoristas. As autoridades descobriram, mas o caso confirmou que taxistas em todo o país deveriam passar pelo mesmo controle, pois fazem transporte público. Assim como os mototaxistas e até mesmo os motofretistas.

As drogas estão cada vez mais presentes na sociedade, mas são e serão sempre incompatíveis com a direção segura.


Continuar lendo

Página 1 de 18
12345678910...