Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Artigos

Conheça as soluções vencedoras da primeira edição do HackaTRAN

Na última quarta-feira (25), foram anunciados os três vencedores da primeira “maratona” de inovação voltada para o setor de trânsito, chamada de “HackaTRAN 2020”. A iniciativa, uma parceria entre o Ministério da Infraestrutura, o Denatran e o SERPRO, contou com mais de 200 inscritos, divididos em 40 equipes. E, ao final de quatro dias de imersão totalmente online, os participantes precisavam apresentar soluções tecnológicas voltadas para gerar mais eficiência e segurança aos serviços de fiscalização, segurança viária e educação para o trânsito.

O grande vencedor trouxe uma inclusão no aplicativo da Carteira Digital de Trânsito (CDT), permitindo que motoristas profissionais (habilitados nas categorias C, D e E) e agentes de trânsito possam ter acesso aos dados dos exames toxicológicos. Desta forma, o novo módulo mostra as clínicas credenciadas mais próximas do condutor, que, além de ser notificado sobre o vencimento do exame, recebe o resultado pela própria plataforma.

Na segunda colocação ficou a solução “Sistema Inteligente de Vistoria Eletrônica (e-Sive)”, com o objetivo de trazer maior comodidade e facilidade no processo de vistoria veicular. Assim, o condutor conseguirá fazer esse procedimento pelo celular e não precisará se deslocar até o órgão de trânsito, tendo em vista o contexto da pandemia.

E, em terceiro lugar, ficou o aplicativo “Mão Dupla”. Considerando as causas dos acidentes ocorridos no trânsito, a solução visa atuar como um educador virtual, que notifica o motorista no caso de infrações, como velocidade acima do permitido, por exemplo. O intuito é incentivar boas práticas de direção por parte do condutor, que será recompensado ao acumular pontos a partir de atitudes positivas.

Assista aos vídeos dos projetos ganhadores!


Continuar lendo

Fique ligado: Contran estabelece novo calendário para retorno dos serviços de trânsito

Atenção! O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) revogou, na última semana, a resolução nº 782, que suspendia os prazos dos serviços homologados pelos órgãos do Sistema Nacional de Trânsito (SNT) em decorrência da pandemia ocasionada pela Covid-19. Agora, a nova medida, anunciada no dia 17 de novembro, determina cronogramas graduais para o retorno dos processos e passa a valer a partir de 1º de dezembro.

O Viver Seguro no Trânsito destacou as principais mudanças e datas para atualizações de documentos. Confira abaixo!

Renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH):

Todos os motoristas com habilitação vencida no ano de 2020 deverão solicitar a renovação a partir de 1º de janeiro de 2021, seguindo os meses de validade. Ou seja, os documentos vencidos em janeiro de 2020 poderão ser renovados até 31 de janeiro de 2021; para os vencidos em fevereiro de 2020, a renovação poderá ocorrer até 28 de fevereiro de 2021; e assim sucessivamente, até 31 de dezembro de 2021 para as habilitações com validade em dezembro de 2020.

Transferência de veículo:

Os órgãos de trânsito poderão estabelecer um cronograma específico para o proprietário efetivar a transferência do veículo adquirido no período de 19 de fevereiro a 30 de novembro de 2020. Caso o órgão não estabeleça um calendário, fica determinada a data de 31 de dezembro de 2020 para a efetivação do procedimento para estes proprietários.

Notificação de autuação:

O envio das notificações de autuação (NA) das infrações registradas entre 26 de fevereiro a 30 de novembro de 2020 seguirá um cronograma de 10 meses, a partir da data de cometimento da penalidade. Ou seja, as notificações das infrações computadas nos meses de fevereiro e março de 2020 serão enviadas em janeiro de 2021, e assim por diante, até setembro de 2021, mês que serão enviadas as notificações cometidas em novembro de 2020.

Se organize, fique em dia com a legislação e nos ajude a construir um trânsito mais seguro!

Clique aqui para acessar na íntegra a publicação oficial do Ministério da Infraestrutura.


Continuar lendo

Retomada das aulas para CNH no Brasil

Neste mês, o Detran autorizou a retomada das aulas presenciais do curso de formação de condutores em todo o Brasil, seguindo os protocolos sanitários e de segurança. Além disso, as cidades precisam estar ao menos na fase laranja de reabertura. Quer saber mais? Então dá uma olhada no post abaixo!

Durante o período de isolamento social, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) havia autorizado a realização das aulas teóricas na modalidade de ensino remoto, conforme falamos aqui no Viver Seguro no Trânsito, no post dia 30 de abril.

No entanto, frente à reabertura gradual da economia e a flexibilização da quarentena, as aulas presenciais para tirar a Carteira Nacional de Habilitação, assim como as entidades que ministram os cursos de habilitação para formação de instrutores e examinadores de trânsito, além de diretores de Centro de Formação de Condutores (CFCs), foram autorizadas a serem retomadas, contanto que de forma consciente. Para isso, será necessária a utilização de máscara, bem como disponibilização de álcool gel, prática do distanciamento social, com espaço entre carteiras e cadeiras escolares, higienização de balcões, computadores, maçanetas, corrimões e rampas de acessibilidade, entre outros equipamentos.

Outra medida importante é referente à utilização de ar-condicionado. De acordo com a orientação, portas e janelas das salas de aula devem ser mantidas abertas e a higienização reforçada, mas, caso seja necessário o uso do ar-condicionado, este deve ser utilizado no modo ventilação aberta.

Para a permanência na sala, o número de alunos por sala e o horário também serão limitados por decretos municipais, além das determinações de segurança já publicadas por cada cidade.

Até então, os cursos de especialização liberados são: transporte escolar, transporte coletivo de passageiros, transporte de emergência, transporte de produtos perigosos, transporte de cargas indivisíveis, motofrete, mototáxi com carga-horária de 30 a 50 horas.

Já os cursos de capacitação são os de diretor-geral, diretor de ensino, instrutor de trânsito, Examinador de Trânsito, instrutor de trânsito especializado, com carga-horária de 180 a 220 horas.

Vale lembrar que a fiscalização dos locais credenciados será mantida constantemente pelos Detrans de cada município.

E aí, o que você acha da flexibilização das medidas de segurança? Conta pra gente nos comentários!


Continuar lendo

Combate à violência no trânsito ganha reforço para as políticas públicas

A importância de dados confiáveis sobre acidentes, mortes e feridos é praticamente unanimidade entre os que estudam violência no trânsito. Atualmente, há uma infinidade de estatísticas com metodologias completamente distintas como, por exemplo, os dados de rodovias computados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) que usam uma metodologia diferente da utilizada nas estradas.

A falta de padrão de dados acaba por impedir análises corretas acerca da violência no trânsito. Em 2014, por exemplo, foram registrados 169 mil acidentes nas rodovias federais e, de repente, este número baixou para 122 mil em 2015. Esta queda é facilmente explicada pela criação da Declaração do Acidente de Trânsito (DAT), em que o envolvido no acidente faz o registro, via internet, narrando o que ocorreu. Desta forma, quando não havia vítimas, e a PRF não precisava ir ao local da ocorrência, e os dados, naturalmente, caíram.

Diversos fatores que interferem nestes dados estatísticos como o próprio não registro por parte da vítima. Basta imaginar um condutor, com habilitação vencida, saindo da pista com três passageiros. Todos saem feridos, mas conseguem seguir a viagem, sem pedir socorro, porque o motorista seria punido por dirigir em tais condições. É difícil acreditar que ele registraria o ato no site da PRF, tendo apenas vítimas com ferimentos leves, quanto mais sobre a condição de CNH vencida. Por isso, o acidente não aparece nas estatísticas e, desta forma, fica difícil, sabermos o tamanho do problema no trânsito em nível nacional.

Responsável pelo pagamento de indenizações por morte, invalidez permanente e reembolso por despesas médicas e suplementares, o Seguro DPVAT costuma ter atribuída a ele a credibilidade dos números, já que o beneficiário precisa apresentar as documentações que comprovem os fatos. A boa notícia é que, diante deste cenário, a Seguradora Líder, administradora do consórcio do Seguro DPVAT, está colocando para consulta pública os dados por Estado, abertos e detalhados, visando colaborar para que as autoridades possam estabelecer políticas públicas adequadas à realidade que está acontecendo a sua volta.

Para saber mais sobre os dados disponibilizados pela Seguradora Líder clique aqui.


Continuar lendo

Semana Nacional de Trânsito: Conheça o Podcast do Seguro DPVAT

Em nova iniciativa da Seguradora Líder, a sociedade brasileira pode se informar e ficar sabendo ainda mais sobre o Seguro do Acidente de Trânsito. Pega o fone e dá o play. O Podcast “A Voz do Trânsito”, do Seguro DPVAT, tá no ar! 🎙

Você já se perguntou como surgiu o Seguro DPVAT ou o que a sigla significa? Quer ficar mais ligado sobre o universo do trânsito e ouvir conteúdos exclusivos com autoridades sobre o assunto? Agora esses e mais conteúdos estarão disponíveis gratuitamente nas plataformas de streamming. Bacana, né?

Esta é mais uma iniciativa da Seguradora Líder com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre o Seguro DPVAT e divulgar informações sobre um trânsito mais consciente e seguro, alinhada com as novas tendências de comunicação digital.

Os episódios estão disponíveis no site da Seguradora, nos aplicativos Spotify, Deezer, Google Podcasts e Pocket Casts. A cada episódio, uma nova informação e novos convidados. Bora ouvir? Então dá o play! ▶


Continuar lendo

Queimadas e neblina podem ser mortais nas rodovias

Nesta época do ano, regiões secas ou sujeitas a densa neblina colocam em risco quem dirige nas estradas. Basta jogar um cigarro aceso pela janela do carro para causar um incêndio e causar acidentes. Há poucos dias, no Paraná, um engavetamento deixou 8 mortos e mais de 20 feridos. A fumaça decorrente de fogo em local próximo a rodovia prejudicou a visibilidade e pequenos acidentes acabaram se tornando uma grande tragédia quando um caminhoneiro não conseguiu parar e colidiu com um mais veículos, atropelando, inclusive. quem estava no acostamento.

Num país que morrem mais de 40 mil pessoas no trânsito, como atestam dados do Seguro DPVAT, é fundamental aprender com os acidentes. Os motoristas sabem que no caso de pouca visibilidade, é necessário reduzir a velocidade, usar faróis baixos, aumentar a distância do veículo da frente, orientar-se pelas faixas laterais da rodovia enquanto dirige, parar em local seguro quando as condições de visibilidade forem precárias.

Portanto, é fundamental extrair deste acidente todas as lições possíveis. As primeiras informações dizem que o caminhoneiro estava descansado e que não tinha consumido álcool. É preciso investigar e divulgar os resultados, a responsabilidade, consequências e os dramas das famílias envolvidas, para que todos aprendam com esses acidentes.

Quando uma carreta não consegue parar, as consequências são muito graves, por isso, inclusive, o limite de velocidade para esse tipo de veículo é mais baixo. Mas outros condutores envolvidos neste acidente, podem ter cometido o erro, inclusive os passageiros, quando esperam no acostamento.

Depois de tudo apurado, tem que se repercutir ao máximo na mídia como os condutores e passageiros devem se comportar nesse tipo de situação, até mesmo em respeito às vidas perdidas e aos familiares das vítimas, é fundamental aprender com erros e talvez, seja a forma mais dura e eficiente de educar. A morte também nos ensina e morremos mais quando não aprendemos com ela.


Continuar lendo

Dia do motociclista: Mais de 83 mil indenizações pagas pelo Seguro DPVAT no primeiro semestre

Nesta segunda-feira, dia 27/07 é comemorado o Dia do Motociclista. A data, no entanto, serve de alerta para aqueles que, profissionalmente ou por lazer, levam a vida sobre duas rodas. De acordo com os dados do Seguro DPVAT, de janeiro a junho de 2020, mais de 125 mil indenizações foram pagas por acidentes de trânsito envolvendo motocicletas. Deste total, mais de 83 mil foram para os motociclistas. Quer saber mais detalhes sobre os números alarmantes envolvendo esses condutores? Acompanhe o nosso post!

Apesar de representar apenas 29% da frota DPVAT, as motocicletas historicamente são a categoria de veículo envolvidas na maioria dos acidentes indenizados pelo Seguro DPVAT. No primeiro semestre deste ano, a representatividade chega a 79%. Quando olhamos para os números regionais, o Nordeste (33%) concentra o maior número de indenizações pagas para os motociclistas, seguido pelo Sudeste (30%) e em terceiro lugar no ranking, o Sul (16%).

Quando observados os números em relação às coberturas do Seguro DPVAT, o número de motociclistas que ficaram com algum tipo de sequela permanente em decorrência de um acidente de trânsito é preocupante e soma mais de 56 mil casos. Já o os casos fatais chegaram a 5.985 indenizações.

Por aqui, nós, da equipe do Seguro DPVAT, sempre lembramos da importância da utilização dos equipamentos de segurança e do cumprimento das leis de trânsito para que esses números, que aumentam com o passar dos anos, deixem de ser tão alarmantes. Faça sua parte para um trânsito melhor e mais seguro!


Continuar lendo

#BonsExemplos: Santa Catarina investe em prevenção de acidentes com motociclistas

Sempre compartilhamos por aqui #BonsExemplos de iniciativas para a prevenção de acidentes de trânsito. Neste post vamos falar de Santa Catarina, que está desenvolvendo uma campanha estadual permanente para a prevenção de acidentes com motociclistas. Bacana não é mesmo?

O projeto de lei, que tem como objetivo cumprir com essas medidas de prevenção, foi apresentado pela deputada estadual Ada Faraco de Luca (MDB) e foi aprovado por unanimidade pela Assembleia Legislativa. Os dados apresentados pela parlamentar incluem as ocorrências de trânsito envolvendo motos indenizadas pelo Seguro DPVAT entre 2008 e 2018, em que, pelo menos 2,4 milhões de brasileiros ficaram com algum tipo de sequela permanente em decorrência de acidentes com motocicletas.

Os nossos dados de pagamento de indenizações do Seguro DPVAT mostram que, homens entre 18 e 34 anos são as principais vítimas de acidentes de trânsito. "São pessoas em plena capacidade produtiva, mas que ficam inválidos para o trabalho", afirmou a parlamentar.

De janeiro a maio de 2020, foram mais de 8 mil pagamentos realizados pelo Seguro DPVAT para o Estado de Santa Catarina. As solicitações referentes a acidentes que resultaram em invalidez permanente representaram a maioria das indenizações pagas pelo seguro no local, 68% (5.755). O reembolso de despesas médicas e suplementares (DAMS) totalizou 25,3% (2.145) das indenizações e os casos de morte, 6,7% (567).

A proposta que foi apresentada em setembro de 2018, passou por diligências externas e teve o texto aprovado em todas as comissões.

Continuar lendo

Projeto de Lei prevê flexibilizações das regras do Código de Trânsito

Em junho do ano passado, o Governo Federal apresentou o Projeto de Lei 3.267/2019 com o objetivo de alterar ou flexibilizar algumas regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Após um período de ajustes, ele entra na pauta para votação da Câmara dos Deputados nesta terça-feira, dia 16/06, em caráter de urgência. Caso seja aprovado, será encaminhado para o Senado Federal. Neste post do Viver Seguro no Trânsito, falamos um pouco das mudanças e propostas. Fique atento!

Como fica a pontuação na CNH?

De acordo com a legislação atual, o motorista perde o direito de dirigir após ultrapassar os 20 pontos na CNH dentro no período de um ano. O ajuste na proposta do novo projeto de lei mantém um limite maior na pontuação para que a CNH dos condutores seja suspensa: 40 pontos para quem não tiver infração gravíssima, 30 pontos para condutores com uma infração gravíssima e 20 pontos para motoristas que tiverem duas ou mais multas com essa graduação.

Ainda em relação às mudanças que abrangem a CNH, a proposta é que seja estabelecida uma escala: 10 anos para condutores com até 50 anos, 5 anos para motoristas entre 50 e 70 anos e, acima de 70 anos, a CNH teria duração de 3 anos. Para motoristas profissionais, o prazo permaneceria de 5 anos. Além das alterações descritas, o texto propõe a criação do Programa CNH Social, que determina meios de financiamento para obtenção gratuita da CNH por pessoas de baixa renda.

E sobre multas?

Para os motociclistas, a proposta é aumentar as multas de leves para médias para os condutores que utilizarem capacetes sem viseira, sem óculos de proteção, ou com a viseira levantada.

E para os condutores que não cometerem infrações no período de 12 meses, notícias boas! A proposta do projeto de lei é a criação do Registro Nacional Positivo de Condutores, com a finalidade de sortear, entre os condutores habilitados, uma premiação com valor equivalente a 1% dos recursos do Fundo Nacional de Segurança e Educação de Trânsito (Funset).

Em relação a utilização das cadeirinhas para crianças, o projeto ajustado prevê a obrigatoriedade para crianças de até 10 anos ou de até 1,45m. O descumprimento da regra por parte dos condutores acarreta infração gravíssima e não apenas advertência, como previa o texto original do projeto.

Outras mudanças

O projeto de lei também tem outras propostas como:

- O bloqueio do licenciamento de veículos com recall aberto e não atendido em prazo superior a um ano, com inclusão de restrição no CRVL (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo)

- Para os motoristas que cometeram alguma infração, o texto aumenta o prazo para indicação do condutor infrator para apresentação de defesa prévia, que subiria dos atuais 15 dias para 30 dias.

- Para motoristas das categorias C, D e E, os exames toxicológicos foram mantidos e seguem com obrigatoriedade na renovação a cada dois anos e meio.

- Para as crianças, o projeto de lei prevê a criação de institutos de educação sobre trânsito no âmbito dos órgãos e entidades executivos dos municípios e dos Estados.

O que você acha dessas mudanças? Comente aqui embaixo e fique ligado nos posts do blog Viver Seguro no Trânsito!


Continuar lendo

Trânsito brasileiro é uma faixa sem lei

O Maio Amarelo, mês dedicado a segurança viária, terminou no dia 31. Várias ações aconteceram em todo o país com o intuito de conscientizar as pessoas de que não podemos mais aceitar 40 mil mortos por ano e pelo menos 230 mil pessoas com invalidez permanente, conforme revelam as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT em 2019.

Naturalmente, iniciativas como Maio Amarelo, com viés educativo, são muito importantes mas é preciso entender que os fatos demonstram que a educação apenas uma parte diante da realidade que enfrentamos. No domingo de encerramento do Maio Amarelo, a morte de dois jovens motociclistas, um de 17 anos e outro de 22, deixou claro que precisamos muito mais do que educar. Ambos se chocaram num trecho conhecido como "Faixa sem Lei", na pequena cidade de Camaquã, no Rio Grande do Sul, onde rachas acontecem regularmente mesmo com a pandemia. O jovem de 17 anos, não possuía, sequer, habilitação. A colisão entre os motociclistas fez com que dois rapazes, com tanto pela frente, trocassem seu futuro pelo enterro emocionado dos familiares e amigos.

Ao ler os comentários nas mídias sociais da cidade, ficou evidente que muitas pessoas já haviam pedido providências e, nem mesmo as várias matérias veiculadas em diferentes veículos de comunicação e de repercussão nacional, fez com que medidas fossem tomadas para inibir esse comportamento ou punir os envolvidos. O resultado, além da dramática perda de vidas, são apenas declarações de condolências aos familiares de inúmeras pessoas nas redes sociais, inclusive de jovens que participavam desses rachas e frequentam a "Faixa sem Lei". E é exatamente nisso que está se tornando o trânsito brasileiro. A impunidade tem consequências e que as lágrimas não trazem as vidas de volta, elas são fruto da dor.

É preciso punir com máximo rigor quem pratica, estimula, divulga e colabora de qualquer forma para tais práticas. Por isso, é preciso que em cada casa, cidade, estado, todos os brasileiros exijam o fim da impunidade no trânsito. É preferível ter um filho multado a um filho morto.


Continuar lendo

Página 1 de 21
12345678910...