Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Dicas

Ser mãe é ser o que você quiser ser

mãe-lider.png

Multitarefa. Essa é uma palavra que podemos, facilmente, atribuir às mães. Elas acordam cedo para levar os filhos à escola, seguem para o trabalho onde permanecem a maior parte do dia e ainda chegam em casa a tempo de brincar, contar histórias e dar aquele jeitinho na casa. Ufa, isso não é para todo mundo, não é mesmo? Por isso, hoje, Dia das Mães, nada mais justo do que fazermos um post dedicado a elas. Se liga só! 😉

Mulheres no volante, sucesso constante

Ser mãe é, acima de tudo, ser mulher. E o Seguro DPVAT confirma: a mulherada está mandando muito bem no trânsito! \o/ Somente de janeiro a abril de 2018, elas foram responsáveis por apenas 25% do total de indenizações pagas neste período, frente a 75% dos homens. De impressionar, galera! :O Então, fica a dica: já passou da hora de desconstruir falas como “mulher no volante, perigo constante”, não é?

Alô, mamãe: você também colabora com o bom exemplo!

O melhor tipo de liderança é pelo exemplo e você, mamãe, deve ficar sempre atenta! Para te ajudar a redobrar a atenção com os pequenos e evitar acidentes, a gente dá algumas dicas. Você sabia que, até os 10 anos, os pequenos devem estar sempre acompanhados por um adulto na hora de atravessar uma rua, que deve ser feita, preferencialmente, na faixa de pedestre? Nessa hora, vale segurar a criança pelo pulso, assim, dificilmente ela irá se soltar. Outra dica é usar sempre a cadeirinha no carro, de acordo com a idade e a estatura da criança. Gostou? 😊

Não se esqueça de você

É instintivo: quando uma mãe percebe algo de errado, a reação imediata é tentar resolver o problema. Isso vale para aqueles momentos em que os filhos brigam no carro, não é mesmo? Com isso, as mães acabam se esquecendo de cuidar de si mesmas. Um estudo da Universidade de Southern Georgia, dos Estados Unidos, afirma que apenas 48% das mães dormem mais do que 7 horas por noite, o mínimo recomendado para uma boa noite de sono, contra 62% das mulheres sem filhos. Vale a pena tirar aquele tempinho off, mamãe!

Nesta data tão especial, a gente lembra o que todas as mães já sabem: ser mãe é ser o que quiser e quando quiser. 😉 De todos nós aqui da Seguradora Líder, um feliz Dia das Mães. ❤



Continuar lendo

Idosos no trânsito: todo cuidado é pouco

idosos-no-transito.png

Somente em 2017, a Seguradora Líder, responsável pela operação do Seguro DPVAT, pagou 17.323 indenizações para a faixa etária de 65 anos ou mais. 😨 Esse número é da edição especial do boletim estatístico "Dez anos no Trânsito" e nos mostra que, independentemente da nossa idade, a segurança no trânsito deve ser prioridade.

Mas por que essa faixa etária ainda sofre tantos acidentes? Primeiramente, precisamos esclarecer uma coisa: os tempos são outros. Muitos desses adultos, que hoje estão na terceira idade, já viveram uma época bem mais tranquila no trânsito. Um exemplo prático disso é que, somente em dez anos, a frota brasileira quase que dobrou, passando de 53 para 94 milhões de veículos. 😨 Então, além de ter que se adaptar a uma nova realidade, eles têm que lidar com as condições do processo natural do envelhecimento, como o comprometimento da habilidade motora, cognitiva e sensório-perceptiva, pessoal. Para ajudar a elucidar essa questão, nesse post, vamos falar sobre os cuidados que essa faixa etária deve ter no trânsito. Confere só! 😉

Condições que aumentam o risco na direção

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) não estabelece um limite de idade para conduzir um veículo automotor, mas estudos indicam que algumas doenças, desenvolvidas na terceira idade, podem atrapalhar o motorista na hora de conduzir, tais como o Mal de Parkinson, por afetar o controle corporal, e até mesmo a diabetes, cujas complicações não controladas podem gerar fadiga, letargia e lentidão. Isso sem contar as doenças cardíacas, cujas manifestações são difíceis de prever e podem acontecer no momento da direção. Dessa forma, além de controlar as doenças através de tratamentos medicamentosos, algumas adaptações no veículo, como direção hidráulica e câmbio automático, são instrumentos importantes de compensação para os motoristas mais velhos no sentido de diminuir seus esforços ao conduzir.

E os idosos pedestres?

Se as condições acima podem atrapalhar o condutor idoso, isso não significa que os pedestres correm menos risco. Segundo pesquisa realizada pela Direção Geral de Tráfego (DGT), da Espanha, os idosos se tornam ainda mais vulneráveis quando na condição de pedestres. Alguns dos problemas enfrentados por eles nesta situação são distinguir a cor das luzes e perceber a velocidade efetiva dos veículos na via, isso sem contar no conjunto de obstáculos nas ruas, como a má conservação, por exemplo.

Direitos protegidos

Diante de tantos obstáculos para os idosos no trânsito é sempre importante ter boas notícias e uma delas está na legislação brasileira. O Estatuto do Idoso, por exemplo, estabelece a obrigatoriedade de destinação de 5% das vagas em estacionamento regulamentado de uso público para essa parcela da população. Para isso, é necessário que o idoso se identifique através de uma credencial no veículo. Então, já sabe: é preciso sempre respeitar as vagas preferenciais! ;)

Exemplo que vem de fora

Você já sabe que a gente gosta muito de bons exemplos por aqui, não é mesmo? ❤ No ano passado, o Japão, que passa por um processo de envelhecimento da sua população, desenvolveu um programa para evitar que os motoristas de mais idade se envolvam em acidentes. Nesse programa, os idosos frequentam uma autoescola, cujo objetivo é testar a velocidade de raciocínio e verificar reflexos. Quem for reprovado, vai para uma avaliação médica e pode ter a carteira suspensa. Você acha que isso daria certo aqui no Brasil? Deixe sua opinião nos comentários. =)

E aí, ficou curioso para saber mais? É só dar uma olhadinha na edição especial de Dez Anos do nosso Boletim Estatístico! Por lá, você fica por dentro de tudo o que aconteceu no trânsito brasileiro na última década. \o/ Esperamos por você nos comentários!



Continuar lendo

A tecnologia nem sempre é inimiga do condutor

tecnologia-transito-seguro.png

A tecnologia está em todo lugar. Desde que acordamos, na hora de assistir ao telejornal da manhã até a hora de dormir, quando damos aquela última olhadinha no smartphone... Mas sabe onde também ela está presente? No trânsito! E, por lá, ao contrário do que pensamos, também é possível utilizá-la de forma prática e segura. Por isso, separamos várias iniciativas que, além de facilitar a sua vida, vão demonstrar como a tecnologia pode ajudar a construir um trânsito mais seguro. Vamos conferir juntos? =)

Interpretação dos sinais do cérebro do condutor

O título parece ficção científica, mas essa já é uma realidade. ;) A tecnologia “Brain-to-Vehicle”, criada pela fabricante de automóveis japonesa Nissan, consegue medir a atividade das ondas cerebrais e repassá-las para um sistema autônomo que, em casos de emergência, consegue, automaticamente, girar o volante ou desacelerar o carro entre 0,2 a 0,5 segundos mais rápido do que o motorista. Bem legal, não é?

Um exemplo brasileiro

A tecnologia não está restrita aos carros, galera! Os brasileiros também estão mandando bem nas ruas, sabe com qual objetivo? Reduzir os índices de acidentes! \o/ Em São José dos Campos, por exemplo, investimentos em fiscalização eletrônica e câmeras de monitoramento já contribuíram para a redução de 40% no número de óbitos causados por acidentes de trânsito nas vias municipais. É para comemorar bastante, pessoal!

Carro autônomo

Movimentando-se através de computadores que interpretam dados enviados por radares e sensores para detectar o trânsito ao redor e determinar o caminho a ser seguido, o carro autônomo oferece vantagens como freios automáticos, ajuda para retornar à faixa, manutenção de velocidade pré-selecionada, além de avaliação da necessidade de ativação dos airbags. E tem novidade vindo por aí: diversas montadoras, como a BMW, já estão testando essa tecnologia. =)

E os aplicativos de celular?

Além de serem grandes aliados dos motoristas na hora de fugir dos engarrafamentos ou de mostrar qual é o melhor caminho a seguir, os aplicativos também podem colaborar para um trânsito mais seguro. E, como a gente gosta de exemplos práticos por aqui, separamos uma listinha bem bacana de aplicativos gratuitos, disponíveis para os sistemas iOS e Android. Confere só! ;)

Mãos no Volante – o app evita que você atenda ligações e informa os remetentes com mensagens automáticas;

Motorista da Parada - permite que você cadastre até quatro amigos e ocorre um sorteio para saber qual deles será o motorista da rodada;

Carango – o app gerencia diversas informações sobre o automóvel, que permitem agendar manutenção preventiva, por exemplo.

É importante termos em mente que, quando utilizada com sabedoria, a tecnologia pode colaborar e muito para a segurança no trânsito, pessoal! E aí, tem mais algum exemplo tecnológico para compartilhar com a gente? Esperamos por você nos comentários! =)


Continuar lendo

A última conversa ao celular antes de morrer ou matar

cuidados-celular.jpg

Hoje em dia, sabemos que dirigir falando ao celular equivale a conduzir alcoolizado. Infelizmente, muitos condutores têm esse hábito, incluindo os motociclistas. Há quem, além de falar ao telefone, seja imprudente ao ponto de digitar, tirar fotos e filmar.

Somente em Brasília, 180 motoristas são flagrados dirigindo falando ao celular todos os dias. E esses são apenas os que são multados na capital federal. Com esse dado, podemos estimar que milhares de motoristas dirigem todos os dias nesta condição no país. Considerando o risco que essa prática representa, com certeza, temos mais pessoas cometendo esse tipo de infração à luz do dia do que dirigindo sob efeito de álcool.

Faltam dados estatísticos sobre acidentes causados por motoristas que conduzem falando ao celular, digitando mensagens, fotografando ou filmando. Vídeos postados pelos próprios infratores mostram a dimensão do problema. Um exemplo foi o caso que ocorreu no final do ano passado, na BR-153, estado do Tocantins, quando três pessoas viajavam de Goiânia (GO) para Barrolândia (TO) e filmavam a viagem. É possível ver no vídeo como o motorista tira os olhos da pista para focar no celular de quem filmava. O resultado? Uma colisão frontal com uma carreta e morte imediata de todos os ocupantes do automóvel. O motorista do caminhão não sofreu ferimentos, mas com certeza ficou com o trauma deste acidente para o resto da vida.

Nem mesmo os motoristas profissionais resistem à tentação de misturar celular com direção. Vários deles, inclusive, fazem filmagens enquanto dirigem transportando dezenas de toneladas. Se é difícil realizar essa fiscalização na área urbana, é muito mais complicado nas estradas.

Seja motorista de veículos leves ou motorista profissional, todos têm a obrigação de não utilizar o celular enquanto dirigem. Afinal, esse é um comportamento de risco que tem o grande potencial de colaborar para o aumento das estatísticas de acidentes de trânsito.


Continuar lendo

Dia Nacional da Paz no Trânsito

dia-nacional-da-paz-transito.png

Hoje é dia de Tiradentes? Sim! Mas sabe o que mais é comemorado hoje? O Dia Nacional da Paz no Trânsito, galera. Essa data tem como objetivo reavivar posturas e atitudes corretas que devem ser adotadas diariamente para reduzir o elevado número de acidentes que vemos todos os dias. Para isso, nada melhor do que dicas práticas, não é mesmo? Então, vem com a gente, que esse post é para você! \o/

Violência no trânsito: um índice que precisa ser mudado

Em 2017, das 383.993 indenizações pagas pelo Seguro DPVAT, 41.151 foram destinadas à morte e 284.191 à invalidez permanente. Quer mais dados assustadores? Somente no primeiro trimestre de 2018, mais de 70 mil indenizações já foram pagas para essas duas coberturas e olha que ainda falta bastante para acabar o ano, galera. Mas o que podemos fazer para mudar, efetivamente, essa realidade?

A conscientização para um trânsito mais seguro começa antes mesmo da CNH. Sabe como? Na escolha do Centro de Formação de Condutores, a conhecida Autoescola. Afinal, lá não é só o lugar onde você vai se preparar para o exame de direção, mas também aprenderá as regras previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), tais como direção defensiva, mecânica básica, primeiros socorros, meio ambiente e cidadania. E, como a gente gosta de dica boa por aqui, para escolher uma autoescola legal basta acessar o site do DETRAN do seu estado e verificar as unidades em situação regular.

Juntos numa reflexão necessária

Nós sabemos que os índices que mostramos lá em cima assustam bastante, galera. E, para evitar que você faça parte dessas estatísticas, queremos que você reflita com as perguntinhas a seguir. Vamos lá?

- Você toma todos os cuidados necessários para a sua segurança e dos seus passageiros?

- Pratica a direção defensiva?

- Usa o cinto de segurança regularmente?

- Tem tolerância e calma com aqueles que estão começando?

Se sua resposta para todas essas perguntas foi sim, parabéns: você está no caminho certo. Se sua resposta foi não para alguns dos itens, que tal parar e se perguntar o que você pode fazer por um trânsito melhor?

A gente finaliza esse post com um recadinho bem importante: apesar de hoje ser a data oficial para a paz no trânsito, ela deve ser uma realidade de todos os dias! Por isso, toda vez que você for dirigir, lembre-se que a segurança no trânsito também depende de você. =)


Continuar lendo

#DPVATExplica: saiba a diferença entre o Boletim de Ocorrência e o Ato Declaratório

bo-atodeclaratorio.png

Principal documento para você dar entrada no pedido de indenização do Seguro DPVAT, o Boletim de Ocorrência (B.O), tem uma série de particularidades, que costumam variar de estado para estado. Mas e na ausência desse documento? Nesses casos, galera, é preciso apresentar a chamada comprovação de ato declaratório. Ih, ficou confuso? Então, esse post é para você. Se liga que chegou a hora de mais um #DPVATExplica! ;)

Por que o Boletim de Ocorrência é o principal documento para dar entrada no Seguro?

Essa é fácil, pessoal! ;) O Boletim de Ocorrência é o único documento que contém as informações dos veículos e das pessoas envolvidas, além de toda a dinâmica do acidente, ou seja, em que posição a vítima se encontrava (motorista, passageiro ou pedestre), data e local exatos, enfim, toda a história que envolveu a ocorrência.

Afinal, o que é o Ato Declaratório?

O nome pode até parecer complicado, mas a explicação é bastante simples, galera. O Ato Declaratório é um documento, emitido por órgão oficial, que assim como o Boletim de Ocorrência, ratifica a existência do acidente, quais foram as suas circunstâncias e qual a participação da vítima. Ele é requerido nos casos em que o B.O é registrado depois do acidente, trazendo uma data diferente de quando a ocorrência realmente aconteceu. Quer exemplos práticos? Veja abaixo os documentos que podem ser apresentados como ato declaratório:

  • Atendimento e/ou Remoção pelo Corpo de Bombeiros, ou
  • Atendimento pela Polícia Militar, ou
  • Atendimento pela Polícia Civil, ou
  • Atendimento e/ou Remoção pela Polícia Rodoviária Federal, ou
  • Atendimento e/ou Remoção pelos "Anjos do Asfalto", ou Concessionárias de Vias Públicas ou similares, ou
  • Remoção pelo SAMU, ou
  • Remoção pela Defesa Civil, ou
  • Inquérito Policial, ou
  • Aviso de Sinistro em Seguradora do Ramo Auto ou
  • Outro documento que evidencie que o acidente relatado no BO por ato declaratório de fato ocorreu na data/local informado.

Só consegui fazer o Boletim de Ocorrência online. Consigo dar entrada na indenização?

Opa, essa é uma pergunta que a gente costuma ouvir bastante por aqui! Somente três tipos de Boletim de Ocorrência virtuais são aceitos na hora de dar entrada na indenização do Seguro DPVAT: o SETERB, da cidade de Blumenau, Santa Catarina, o BATEU, do Paraná e o BOAT, do Espírito Santo. Então, se você é de algum estado diferente do que falamos por aqui, será preciso apresentar o Boletim de Ocorrência. Caso o B.O não tenha sido feito no local do acidente, o mesmo deverá ser registrado por ato declaratório.

E aí, gostou de saber mais sobre esses documentos super importantes? ;) A gente lembra que sua dúvida pode se tornar um post do #DPVATExplica aqui no blog. Para isso, é simples: basta deixar seu comentário aqui embaixo. Esperamos por você! =)


Continuar lendo

Road Rage: saiba mais sobre a fúria no trânsito

road-rage.png

Uma pessoa gritando com outras pessoas no trânsito. Uma briga entre motorista e um pedestre que atravessou fora da faixa. Uma discussão entre o motociclista que passou no corredor e um motorista de ônibus. Você já presenciou alguma dessas situações? Se a resposta for sim, saiba que existe uma explicação para esses comportamentos aparentemente fora de contexto: é o chamado "road rage", em tradução livre "fúria no trânsito", em que o condutor expressa comportamentos agressivos direcionados a outro motorista ou pedestre em um esforço para intimidar ou liberar sua frustração.

E a "fúria no trânsito" tem uma explicação biológica: o aumento do potencial elétrico, ocasionado por altos níveis de poluição na atmosfera, pode ocasionar perturbações nas funções dos neurotransmissores, o que leva a uma perda no controle dos comportamentos explosivos. O resultado? Uma explosão leva à agressividade e violência verbal, galera. :(

Problema mais frequente em homens

De acordo com a Associação dos Portadores de Transtorno de Ansiedade (APORTA), os homens são os que mais sofrem desse transtorno. A explicação é muitas vezes cultural, já que a virilidade, para muitos deles, está ligada ao carro e ao modo como eles conduzem. Uma coisa é fato: esse tipo de comportamento pode gerar mais acidentes. Sabe o que ajuda a comprovar isso? As indenizações pagas pelo Seguro DPVAT, pessoal. Historicamente, sua maior incidência vai para as vítimas do sexo masculino. Somente no primeiro trimestre de 2018, foram 75% das indenizações.

Relação do aumento da frota e aumento do estresse

Em menos de 10 anos, o número de automóveis no país saltou de 53 milhões para 94 milhões. Isso significa que, hoje, quase metade da população brasileira tem carro. Muita coisa, não é mesmo? O aumento na frota brasileira ajuda a explicar o elevado número de congestionamentos, um dos principais motivadores para a "fúria no trânsito". Afinal, as emoções despertadas naqueles que enfrentam longos engarrafamentos, como o estresse, podem desencadear atos agressivos na direção.

Como combater

Por aqui só rola dica boa e, pensando nisso, separamos algumas que podem colaborar para diminuir a sensação de raiva constante ao volante. Confira!

Jamais responda a agressões no trânsito! Se sentiu ameaçado? Ligue para a Polícia Militar, através do número 190. Outra dica bem bacana é, ao menor sinal de desentendimento, aumente a distância em relação ao outro carro.

Evite conduzir quando estiver sob uma situação de estresse ou após uma discussão. Foque apenas na direção e resolva os outros problemas depois.

Que tal tornar o congestionamento menos maçante? Músicas e audiobooks ajudam a distrair um pouquinho.

Tentou as dicas acima e não deu certo? Talvez seja a hora de procurar ajuda profissional, como um terapeuta, por exemplo. Além de se estressar menos, é uma ótima oportunidade de resolver várias outras questões. ;)

Como você viu, o "road rage" é um fenômeno bastante complexo e envolve uma porção de coisas. Por isso, se você se identificou com qualquer um desses sintomas, o importante é buscar ajuda. Afinal de contas, o trânsito não deve ser sempre sinônimo de estresse, não é mesmo? ;)


Continuar lendo

Conheça a importância do capacete para o motociclista

uso do capacete.png

Somente no primeiro trimestre de 2018, 4.578 motociclistas morreram no trânsito brasileiro. Outros 50.469 adquiriram sequelas permanentes. Os dados são da edição de março do Boletim Estatístico da Seguradora Líder, importante instrumento que ajuda a dimensionar a extensão dos danos causados pela violência no trânsito em todo o país. Mas o que podemos fazer para alterar essa realidade, pessoal? É bem simples: adotar, de forma urgente, medidas de segurança, como o uso do capacete. E é justamente para bater aquele papo sobre a importância desse equipamento que escrevemos esse post. Vem que só tem dica boa! ;)

Obrigatoriedade do uso: uma linha do tempo

A obrigação do uso do capacete surgiu juntinho com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em 1997, galera. Desde então, para circular nas vias públicas, seu uso é obrigatório tanto para condutor quanto para passageiro da motocicleta, motoneta, ciclomotor, triciclo e quadriciclo motorizados, devidamente afixado na cabeça pela cinta jugular e engate por debaixo do maxilar inferior. Em 2013, o uso do capacete ganhou novas vertentes: a Resolução nº 453/2013 veio para disciplinar o seu uso, estabelecendo quais modelos são permitidos e quais são proibidos. Um exemplo bem bacana que veio depois dessa Resolução são os capacetes do tipo "coquinho", proibidos pela legislação, que não atendem os requisitos mínimos de segurança.

Eficácia comprovada através dos números

É isso aí! Estudos que avaliaram a eficácia dos capacetes demonstraram que seu uso previne cerca de 69% dos traumatismos crânio-encefálicos e 65% dos traumatismos da face. Isso acontece porque o capacete minimiza os efeitos causados por impacto contra a cabeça do usuário no momento do acidente. Mas é importante lembrar: a eficácia do capacete está ligada diretamente à sua utilização correta, ou seja, afivelado e com todos os seus acessórios e complementos. Vale ficar de olho! =)

Escolhendo o capacete ideal

Para garantir a eficácia do capacete, o ideal é escolher o melhor modelo para você. Por isso, separamos algumas dicas bem bacanas para adquirir o capacete ideal:

- O primeiro passo é comprar um capacete que tenha o selo do Inmetro, pois essa é a garantia de que ele foi testado de acordo com as normas estabelecidas por um órgão de certificação competente;

- Busque comprar capacetes com cores claras para facilitar a visibilidade;

- Na hora de experimentar o capacete, veja se ele se encaixa simetricamente na sua cabeça, não inclinando para trás;

- Jamais compre capacetes usados: ele pode ter sofrido pancadas ou acidentes e você não conseguirá perceber o dano.

E aí, gostou de saber mais sobre esse item feito para garantir proteção à todos os motociclistas? Então, compartilhe esse post com seus amigos, afinal, segurança nunca é demais! =) Esperamos por você aqui nos comentários!

Continuar lendo

Dicas para pegar a estrada na Páscoa

de-olho-na-estrada-pascoa.png

Páscoa é sinônimo de renovação, de chocolate, de família e de uma porção de coisa boa. Mas vamos ser sinceros? É também sinônimo de feriadão, galera! E, por aqui, a gente sabe que tem muita gente contando os minutos e os segundos para fazer aquela viagem bacana, não é? Mas que tal desacelerar um pouquinho antes de pegar a estrada? Para garantir que a sua ida e a sua volta sejam tranquilas, uma palavrinha não pode ser esquecida: a segurança. Pensando nisso, preparamos um post recheado de dicas para você. Vem com a gente! ;)

De olho nas estatísticas

Como por aqui acreditamos que, através da informação, conseguimos reduzir os índices de acidentes de trânsito, queremos compartilhar alguns números da Semana Santa do ano passado. Você sabia que, de quinta-feira até o domingo de Páscoa de 2017, foram pagas 2.614 indenizações do Seguro DPVAT relativas a acidentes ocorridos no período? Isso significa que a cada dia do feriadão, mais de 650 indenizações foram pagas, pessoal. Bastante coisa, não é mesmo? =(

Vale destacar que, nesse período, a motocicleta foi a responsável por 77% dos acidentes, apesar de constituir apenas 27% da frota nacional de veículos.

Motorista, motociclista, caminhoneiro: tem dica para todo mundo

Se os dados aqui em cima te assustaram, é hora de pensarmos juntos no que pode ser feito para evitarmos acidentes, não é mesmo? Por isso, independentemente do seu veículo, a boa é ficar de olho na listinha que separamos aqui embaixo. ;)

1. Calibre seus pneus: além de garantir o bom funcionamento do veículo, essa prática ajuda bastante na economia de combustível, galera. Isso acontece porque, quando os pneus estão calibrados, o veículo libera menos gases poluentes ao ambiente, facilitando o manuseio do volante.

2. Atenção à previsão do tempo: para não ter tempo ruim, vale pesquisar a previsão para saber em quais condições você pegará estrada. Isso se faz importante se seu percurso for extenso ou percorrido por estradas de terra, por exemplo.

3. De olho na bagagem: que tal prever a quantidade de malas que você vai levar? Assim, você garante a segurança de todo mundo no carro.

4. Transporte das crianças: até os dez anos, os pequenos devem ser transportados em uma cadeirinha adequada e somente no banco traseiro. Alô, papais!

5. Descanse: antes de pegar a estrada, que tal manter o sono em dia? Estar descansado é super importante para manter a atenção ao volante.

6. Respeito é bom e todo mundo gosta: você já parou para pensar que as placas de sinalização na estrada existem por uma razão? Respeitá-las, além de evitar infrações, garante a segurança de todo mundo.

7. Jamais misture álcool e direção: além de ser infração, misturar álcool e direção pode gerar um acidente daqueles.

8. Cuide da sua alimentação: a gente sabe que é Páscoa, mas não vale exagerar no chocolate, galera! Dê preferência a comidas leves e evite alimentos que você não tem o costume de comer.

9. Mantenha a distância de segurança: para evitar acidentes com freadas bruscas, o ideal é se distanciar do carro da frente, pessoal.

10. O uso do cinto é indispensável: você sabia que usar o cinto de segurança diminui em até 75% o risco de mortes em acidentes de trânsito?

E aí, gostou do nosso post? Agora é seguir as dicas e aproveitar o descanso com bastante responsabilidade! =)


Continuar lendo

Boletim Estatístico de Janeiro da Seguradora Líder já está no ar

boletim-estatistico-janeiro-2018.png

Aqui na Seguradora Líder, acreditamos que a informação, além de mudar vidas, colabora bastante para a prevenção de acidentes de trânsito. Por isso, contamos com um importante instrumento, o Boletim Estatístico, documento produzido pelo nosso Centro de Estatística e que, em 2018, conta com uma série de novidades, como uma identidade visual novinha e edições mensais. A edição de janeiro do Boletim acabou de sair do forno, trazendo alguns destaques que separamos aqui embaixo para você. =)

Por dia, mais de 700 pessoas ficaram inválidas

Somente em janeiro, foram pagas 31.107 indenizações do Seguro DPVAT. Desse total, 72%, foram destinados aos casos de invalidez permanente. Sabe o que isso significa, galera? Que, por dia, mais de 700 pessoas ficaram permanentemente inválidas em decorrência de acidentes de trânsito. Bem triste, não é? :(

Outro destaque foi para os casos de morte, que registraram aumento de 10% em relação ao mesmo período de 2017, com 3.237 indenizações pagas e para o reembolso de despesas médico-hospitalares, que sofreu o maior crescimento do número de indenizações em relação ao ano passado, 17%, com 5.392 indenizações pagas.

Motoristas foram as maiores vítimas do trânsito em janeiro

No último mês, a maior incidência de vítimas foram os motoristas, que representaram 55% das indenizações pagas em acidentes fatais e 63% em acidentes com sequelas permanentes, predominando significativamente os motociclistas (91%). Os pedestres ficaram em 2º lugar nas indenizações por morte no período, com 27%. Por isso, independente do seu papel no trânsito, redobrar a sua atenção nunca é demais, afinal de contas, todos nós somos pedestres, não é mesmo?

Nordeste foi a região com o maior número de indenizações pagas

Alô, nordestinos: não adianta se avexar no trânsito! Sabia que, somente no último mês, a região concentrou a maior parte das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT, 34%, embora sua frota seja menor que a do Sudeste e a do Sul? :O É para ficar atento, visse?

Ficou curioso para conferir outros dados do nosso Boletim? É simples: basta acessar o site da Seguradora Líder para ler o documento completinho, clicando aqui.


Continuar lendo

Página 1 de 7
1234567