Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Segurança

Como praticar a direção defensiva

Você sabia que, de acordo com números da Polícia Rodoviária Federal (PRF), 25.765 pessoas sofreram acidentes nas estradas em 2018 por falta de atenção na condução de seus veículos? Uma das ferramentas para evitar que esse número continue crescendo a cada ano é a direção defensiva, tema deste post do blog “Viver Seguro no Trânsito”. Afinal de contas, responsabilidade e consciência no trânsito são duas características fundamentais para o condutor de todo e qualquer tipo de veículo, não é mesmo, galera? 😉

Muita gente acredita que direção defensiva é complexa e cheia de mudanças na forma de conduzir o veículo, mas na verdade são práticas simples que podem fazer uma grande diferença quando o quesito é segurança. Separamos algumas ações simples para os motoristas perceberem que transformar o trânsito em um lugar mais seguro é possível!

1) Manutenção do veículo: Nada de esquecer das revisões, não é mesmo? Grandes problemas e transtornos podem ser evitados quando o veículo tem manutenção frequente! 🔧

2) Equipamentos de segurança: Eles devem ser usados sempre! Cinto de segurança, capacete, são itens essenciais para proteção dos condutores e passageiros dos veículos. 👀

3) Postura do motorista: Parece uma observação desnecessária, mas é fundamental que o condutor mantenha uma postura correta para que tenha tempo de reação em caso de perigo. Portanto, o corpo deve estar encostado no assento, formando um ângulo que se aproxime dos 90 graus. 👍

4) Respeite os limites de velocidade: Uma das regras mais básicas. É de extrema importância que os motoristas respeitem os limites de velocidade nas vias. Somente ano passado, ainda de acordo com a PRF, 6.843 acidentes aconteceram por velocidade incompatível. 🚘

5) Obedeça a sinalização: Respeite cada placa de trânsito. Elas são importantes e fundamentais para que o trânsito seguro seja estabelecido. Acidentes podem ser provocados pela má interpretação de uma placa! 🛑

Essas são apenas algumas dicas para aplicar a direção defensiva no dia a dia. Você já tem esses hábitos? Conta pra gente, aqui nos comentários, o que você faz para transformar o trânsito num lugar mais seguro?

Continuar lendo

Especial Maio Amarelo: Paraná promove ações voltadas aos motociclistas

Já contamos um pouco por aqui sobre os detalhes do movimento e da campanha 2019 do Maio Amarelo. Além da mobilização nacional, diversos estados estão promovendo ações para incentivar a reflexão sobre os comportamentos e promover um trânsito mais seguro para todos. E nesse mobilização, a categoria que mais recebeu indenizações pelo Seguro DPVAT no ano passado, os motociclistas, não poderiam ficar de fora. Os dados da Seguradora Líder mostram que, apesar de representarem apenas 27% da frota nacional, as motocicletas receberam cerca de 75% das indenizações pagas. 😰

Uma das iniciativas voltadas para a categoria está sendo promovida pela Secretaria de Saúde do Paraná, por meio do Programa Vida no Trânsito, criado para a vigilância e prevenção de acidentes. Campanhas, blitz educativas e palestras estão sendo feitas, ao longo do mês, voltadas para o motociclista, com o tema é “Ágil, porém frágil”. O objetivo é promover intervenções efetivas para reforçar a importância da utilização de equipamentos de segurança, respeito aos limites de velocidade, aprimoramento da legislação e aumento da fiscalização para coibir a dobradinha álcool e direção.

Para isso, entidades como DETRAN, Secretaria Estadual de Educação, Batalhão da Polícia de Trânsito (BPTRAN), Polícia Rodoviária Estadual, Secretaria de Estado da Segurança Pública e Corpo de Bombeiros dão apoio às iniciativas.

Se olharmos para os números, pessoal, no Paraná, o Seguro DPVAT concedeu no total, 21.040 indenizações, incluindo as três coberturas; morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas (DAMS). Só para motocicletas, foram pagas 13.715 indenizações, ou seja, mais da metade 😱. Quando ampliamos o olhar, vemos que em todo o país os resultados não são muito diferentes: foram 18.955 indenizações por morte, 183.066 por invalidez permanente e 44.972 por despesas médicas.

Ampliar as campanhas de conscientização é essencial para que este número seja reduzido. Por isso, o Maio Amarelo é uma campanha necessária e que deve ter continuidade e espaço nas mídias. Você já conhece o movimento? Acesse aqui o site do Maio Amarelo e conheça um pouco mais dessa ação que pode ajudar a salvar vidas!


Continuar lendo

Maio amarelo 2019: no trânsito, o sentido é a vida

O Maio Amarelo é um movimento que surgiu no Brasil e a cada ano conquista adeptos em todo o mundo. O foco da iniciativa é despertar a sociedade para a inaceitável violência no trânsito, que deixa milhares de mortos todos os dias. Este ano, o tema da campanha é: “No trânsito, o sentido é a vida”. O objetivo do movimento é uma ação coordenada entre poder público e a sociedade. A intenção é colocar em pauta o tema da segurança viária e contribuir para que todos reflitam sobre as causas da violência no trânsito e estimular a sociedade a participar ativamente.

Acompanhando o sucesso de outros movimentos como Outubro Rosa e Novembro Azul – os quais tratam, respectivamente, dos temas câncer de mama e próstata – o Maio Amarelo encoraja a promoção de atividades voltadas a conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão em seus deslocamentos diários no trânsito. Portanto, é um movimento que pertence a sociedade, a cada indivíduo.

Todos podem fazer parte e colaborar. Por isso, o Maio Amarelo é um movimento, uma ação e não uma campanha. Cada cidadão, entidade, empresa, poder público, pode utilizar o laço do maio amarelo em suas ações de conscientização, tanto no mês de maio como, na medida do possível, durante o ano inteiro.

Conheça essa iniciativa brasileira que está conquistando todo mundo, clicando aqui e participe!

Continuar lendo

Motoristas sob os efeitos de drogas precisam ser contidos

Motoristas sob os efeitos de drogas precisam ser contidos

Desde que o exame toxicológico de larga janela começou a ser exigido para motoristas profissionais em 2016, o Brasil passou a contar com uma nova arma para desestimular o consumo de drogas. Nos dois primeiros anos de aplicação do exame, dois milhões de motoristas somente das categorias C, D e E, habilitados a dirigir vans, ônibus e caminhões, deixaram de renovar a carteira de habilitação, em grande parte, por serem usuários de drogas. Para voltar a dirigir precisam comprovar que deixaram o vício.

O teste, chamado de “exame do cabelo”, detecta o uso regular de drogas nos últimos 90 dias. Por isso, motoristas que consomem entorpecentes constantemente, evitam a realização do exame. No caso dos profissionais, o uso de substâncias ilícitas é comum para suportar as longas jornadas, reflexo da exploração da categoria. Além desses 2 milhões que não renovaram a CNH, mais de 100 mil fizeram o teste e foram flagrados. O resultado é que caíram os acidentes nas rodovias e áreas urbanas envolvendo veículos pesados, especialmente porque o número de motoristas de ônibus e caminhões dirigindo sob efeitos de substâncias psicoativas diminuiu. No caso dos ônibus, isso significa mais segurança para milhares de brasileiros que usam o transporte público diariamente.

Entretanto, uma matéria veiculada em uma das maiores emissoras do país revelou outro grupo de usuários que não tinham sido flagrados até hoje: os taxistas. Como Porto Alegre passou a exigir o exame toxicológico desses profissionais, muitos deixaram de apresentar o teste e perderam a autorização de transportar passageiros. Alguns falsificaram documentos, apresentando exame negativo de outros motoristas. As autoridades descobriram, mas o caso confirmou que taxistas em todo o país deveriam passar pelo mesmo controle, pois fazem transporte público. Assim como os mototaxistas e até mesmo os motofretistas.

As drogas estão cada vez mais presentes na sociedade, mas são e serão sempre incompatíveis com a direção segura.


Continuar lendo

Patinetes elétricos: a nova febre das cidades brasileiras!

Você com certeza já cruzou com alguém andando de patinetes elétricos pelas ruas das cidades ou ouviu falar sobre essa nova febre da mobilidade individual urbana. As opções de aluguel de patinetes elétricos chegaram a, pelo menos, 13 cidades brasileiras e andam dividindo opiniões entre as pessoas sobre a utilização em ciclovias e calçadas.

Quer saber como alugar?

Para ter acesso a um deles, basta acessar os aplicativos oferecidos pelas empresas fornecedoras dos patinetes elétricos, disponível para todas as plataformas. O custo do serviço varia de acordo com a operadora. Mas é muito importante lembrar que, de acordo com as regras do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), é preciso se manter dentro dos limites de velocidade, de 6km/h em calçadas, e 20 km/h em ciclovias.

Quais são os cuidados a serem tomados?

A ideia de se deslocar rapidamente tem conquistado muitos adeptos, pessoal, mas por ainda não contarem com regulamentação, os patinetes também têm provocado reações negativas. A falta de leis e a rara utilização de equipamentos de segurança são alguns dos fatores que fazem com que os números de acidentes tenham aumentado.

Siga as dicas de segurança!

Os patinetes elétricos não servem apenas como lazer, mas também, como uma ótima opção para os deslocamentos do dia a dia. Para que os pontos positivos prevaleçam sobre os negativos, são necessárias algumas medidas de segurança para evitar os acidentes. Separamos, por aqui, algumas dicas disponibilizadas. Dá só uma olhada:

- Não se esqueça dos equipamentos de segurança! Os capacetes indispensáveis durante todo o trajeto.

- Semáforos? Os patinetes também devem obedecer as sinalizações de trânsito.

- Segure firme! Use os patinetes sempre com as duas mãos sobre o guidão.

- Selfies? Nada de fotos e vídeos enquanto estiver em movimento.

- Nada de crianças! É preciso ter idade mínima de 18 anos para usar o equipamento.

- A preferência de passagem é sempre do pedestre.

- Não use fones de ouvido! É preciso estar atento a tudo que acontece a sua volta.

- Não apoie mochilas, bolsas ou sacolas no guidão.

- E claro: se beber, não ande de patinete!

Continuar lendo

Feriado da Semana Santa: seja prudente nas estradas!

É só a Semana Santa chegar que a galera já começa a planejar viagem, né? Independentemente do destino, o cuidado precisa estar sempre presente! Se você pretende pegar a estrada para aproveitar o feriado, fique ligado nesse post sobre os dados e siga com atenção as nossas dicas! 😉

Em 2018, foram registradas 2.121 ocorrências em todo o Brasil 😱

Ficou assustado? Pois é, esse é o número de acidentes ocorridos entre os dias 19 e 23 de abril do ano passado, já indenizados pelo Seguro DPVAT. Do total, 1.196 ocorrências resultaram em algum tipo de invalidez permanente e 393 foram vítimas fatais. Assim como no total registrado durante o ano, os homens foram as principais vítimas durante o feriado prolongado e a faixa etária mais atingida foi a dos jovens de 18 a 24 anos (529 casos) de 25 a 34 anos (528 casos).

Vale lembrar que as vítimas e beneficiários podem dar entrada no pedido do Seguro DPVAT em até 3 anos após o acidente, ou seja, esses números ainda podem aumentar.

Atenção nunca é demais!

Por isso, ao pegar seu veículo para encarar as estradas brasileiras, tenha em mãos todos os documentos atualizados e cheque todos os itens de segurança. E não esqueça: a prudência é indispensável, principalmente em vias movimentadas. Cabe a cada indivíduo construir um trânsito mais seguro para todos! 😁

Vai viajar? Então, se liga! 👀

1) Verifique itens importantes do veículo. Pneus, para-brisas, sistema elétrico, freios, nível da água no radiador, luzes, e equipamentos como: macaco, triângulo, chave de roda e ferramentas. Essa revisão é extremamente necessária para quem pretende pegar a estrada.

2) Viagens de longa distância exigem paradas para comer e descansar. O alongamento de pernas, braços, coluna são importantes para o bem-estar do motorista. Esse tipo de cuidado, faz a diferença.

3) Não esqueça de manter os documentos de habilitação e do carro sempre juntos! Em hipótese alguma saia de casa sem eles!



Continuar lendo

Confira algumas dicas para dias chuvosos

Dias de chuva pedem cuidados no trânsito

Um trânsito mais seguro depende das iniciativas dos condutores, certo pessoal? É por isso que, nesses tempos de chuva, a atenção nas ruas e à manutenção do veículo devem ser redobradas! Neste post do Viver Seguro no Trânsito, vamos falar um pouco mais sobre esses cuidados. Dá só uma olhada 😉

Chuva é sinônimo de estradas mais perigosas!

Um dos principais problemas enfrentados pelos condutores é a diminuição da aderência dos pneus devido as poças de água formadas e claro, a dificuldade na hora de enxergar. Nesses momentos, diminuir a velocidade e ligar o farol é a primeira medida a ser tomada. É essencial, também, que os freios estejam funcionando perfeitamente. Esses são passos fundamentais para evitar acidentes.

Fique esperto!

- Procure manter uma distância segura do veículo a sua frente.

- Observe sempre se os seus pneus estão em bom estado de conservação.

- O limpador de para-brisas está funcionando? É fundamental que a borracha limpadora esteja em perfeito estado!

- Está dirigindo, a chuva está ficando mais intensa e as ruas enchendo? Pare em um lugar seguro e espere o melhor momento para retomar a viagem. Segurança em primeiro lugar!

Somente em 2018, o Seguro DPVAT pagou mais de 328 mil indenizações por acidentes de trânsito, então o cuidado nas ruas é de extrema importância. Não deixe de seguir todas as dicas para ajudar em um trânsito melhor! Tem mais alguma dica que você gostaria de ter visto por aqui? Conta pra gente nos comentários. Sua participação é fundamental!




Continuar lendo

Faixa de pedestre completa 22 anos de existência

Em abril de 1997, a primeira faixa de pedestres era implantada em Brasília, no Distrito Federal. A medida teve como objetivo reduzir os índices de acidentes entre os pedestres que faziam a travessia em vias movimentadas e em que os motoristas raramente respeitavam os limites de velocidade. Por aqui, aproveitamos a data para falar um pouco mais sobre como a faixa de pedestres pode ajudar a salvar vidas no trânsito. Curioso? Então fica ligado no nosso post.

O ato de parar em uma faixa de pedestres, fazer o sinal e esperar que o carro pare para a travessia não está entre as leis previstas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), mas já é um costume nas ruas de diversos estados do país, como nas brasilienses, que reduziu de forma considerável o número de mortes desde a sua implantação. E sabe como tudo começou? Um coronel da Polícia Militar do DF, já falecido, viajou para a Europa e depois deu a sugestão ao Detran. Primeiro, o órgão reduziu o limite de velocidade nas vias, depois, para começar, pintaram 300 faixas no Plano Piloto.

E enquanto pedestres é preciso ter muita atenção pessoal! Só no ano passado foram pagas mais de 91,2 mil indenizações do Seguro DPVAT a esse tipo de vítima. É isso mesmo. Se você ainda não sabia, a gente te explica: o Seguro DPVAT é um direito de motoristas, passageiros e também de pedestres! Isso mesmo! A proteção é garantida para indenizações por mortes, invalidez permanente e o reembolso de despesas médicas e suplementares. Portanto, se você foi vítima de um acidente de trânsito, tem direito a dar entrada no seu pedido, sem apuração de culpa. 😉

Mas não se esqueça! Olhe para os dois lados antes de atravessar, aguarde o veículo parar antes de realizar a travessia e sempre utilize as faixas de pedestres! Curtiu o post? Sabe de uma curiosidade que não foi falada aqui? Manda pra gente aqui pelos comentários!



Continuar lendo

Volvo lança ideias inovadoras para mercado o automobilístico

Todo mundo sabe que álcool e direção não se misturam. Mas mesmo com ações educativas e fiscalizações, alguns motoristas ainda insistem em cometer essa infração, causando graves ocorrências no trânsito. Dados da Polícia Rodoviária Federal mostram que acidentes causados pela ingestão de álcool antes de pegar a estrada ultrapassaram as 5 mil ocorrências, ficando em 4º lugar no ranking da PRF. Pensando em ajudar a mudar essa realidade, a Volvo se coloca novamente como pioneira do mercado automobilístico. Acompanhe o nosso post para saber mais sobre essa iniciativa ;)

Sensores contra os embriagados
Conhecida por ser a primeira montadora a introduzir o cinto de segurança de três pontos, a Volvo mantem a sua reputação de montadora que coloca a segurança em primeiro lugar surpreendendo ao falar sobre os planos para as próximas décadas. O grande destaque é para o projeto de instalar câmeras e sensores nos carros para monitorar sinais de consumo de álcool ou momentos de distração dos motoristas. A previsão é que a instalação dos dispositivos comece no início do próximo ano. Incrível, não é mesmo? 😱

A ideia foi apresentada em uma entrevista em Gotemburgo, na Suécia, e inclui a emissão de sinais de alerta ao primeiro sinal de embriaguez ou de ações descuidadas na direção. Caso o motorista não obedeça aos avisos, o carro terá autonomia para limitar a velocidade, alertar a necessidade de assistência e até estacionar o carro para que o pior não aconteça.

Referência em segurança
A montadora sueca é realmente uma referência quando o assunto é segurança no trânsito. Há 30 anos, a Volvo iniciou o Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST), com o objetivo de mobilizar a sociedade brasileira para um trânsito mais seguro, a partir de uma visão de Zero Acidentes. É isso aí pessoal! O grupo tem o objetivo de atingir o patamar de zero acidentes envolvendo veículos Volvo :o Outra iniciativa de destaque foi a produção do Atlas da Acidentalidade, uma publicação que reúne informações sobre acidentes em rodovias, utilizado como subsídio para gerenciar riscos de viagens.

A gente espera que cada vez mais montadoras sigam esse exemplo e implementem em seus veículos dispositivos capazes de oferecer mais segurança no trânsito. Curtiu a iniciativa da Volvo? Conhece mais alguma montadora com ideias parecidas com essa? Conta pra gente aqui nos comentários, sua opinião é super importante!


Continuar lendo

Defeito de fabricação coloca em risco até quem não tem carro

No caso da indústria automobilística, montadora ou importadora, recall é quando proprietários de determinados veículos são convocados para que seja feita a checagem de um defeito grave que coloca em risco a vida dos ocupantes do veículo e demais pessoas. São defeitos do sistema de direção, freio, suspensão, motores que desligam inesperadamente e carros que aceleram sozinhos, entre outros.

Há poucos dias, uma matéria publicada pelo jornal Extra, do Rio de Janeiro, alertava que 56% dos proprietários de veículos com airbag da marca Takata não compareceram às concessionárias para fazer o devido reparo. Isto significa, só no Brasil, dois milhões de veículos circulando com risco de que o sistema abra inesperadamente, causando acidentes.

Lembramos, então, do livro, publicado há mais de 15 anos, intitulado “Recall: o que as montadoras não contam”, quando identificamos que, pelo menos 4 milhões de carros circulavam com defeito por não aderirem aos recalls. Na média, cerca de 50% dos proprietários não atendem à convocação. Em parte, por desleixo, porque tomam ciência, mas não levam o veículo na concessionária. Mas, na maioria dos casos, os proprietários sequer sabem que há um defeito grave. Os anúncios feitos pelas montadoras são limitados a poucos veículos de comunicação, apenas para atender ao código de defesa do consumidor.

Entretanto, o defeito de fabricação de um veículo não é apenas uma questão de consumo que envolve o risco de outras pessoas que circulam pelas ruas e estradas. Quando um ônibus tem um defeito grave, passageiros e demais usuários das vias não tem nenhuma relação de consumo com o fabricante ou concessionária que vendeu o veículo. Porém, podem morrer por causa do defeito.

Ciente de que há muito o que corrigir nos comunicados recall, no índice de comparecimento dos proprietários, além de investigações necessárias para identificar os defeitos graves, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) está trabalhando para aperfeiçoar esse sistema, ao menos de veículos e autopeças. Portanto, façam o recall sempre que necessário. Afinal, se dois milhões de proprietários não comparecem a convocação para a revisão de um item tão importante, que é o airbag, a situação é inaceitável. Recall é, acima de tudo, questão de segurança no trânsito.

Gostou do artigo? Clique aqui para conhecer o site do SOS Estradas, um programa que visa reduzir os acidentes e aumentar a segurança nas rodovias.



Continuar lendo

Página 1 de 12
12345678910...