Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Segurança

Por que devo manter o Seguro DPVAT em dia?

Começo de ano é tempo de colocar as contas em dia, inclusive, aquelas relacionadas ao seu veículo, como o IPVA e o Seguro DPVAT. E, por aqui, a gente sabe que é normalmente neste período que costuma surgir a pergunta: afinal de contas, por que devo pagar o Seguro DPVAT? Para contar um pouquinho mais sobre a importância do Seguro e esclarecer essas dúvidas, a gente preparou um post especial para você. Confere só e não se esquece de compartilhar! 😉👍

Contribuindo com a saúde brasileira e com campanhas de prevenção de acidentes de trânsito

Além do pagamento das indenizações às vítimas e beneficiários das vítimas de acidentes de trânsito, você sabia que o Seguro DPVAT é uma importante fonte de receita para a União? Sim! Do total arrecadado por ano, 45% são destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS), para custeio da assistência médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito; e 5% vão para o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), para a realização de campanhas e outras iniciativas no âmbito da Política Nacional de Trânsito. Os 50% restantes é que constituem o montante para o pagamento de indenizações e reservas. Bem legal, não é? 😍

Garantindo o licenciamento do seu veículo

De acordo com a Resolução CONTRAN nº 664/86, a quitação do Seguro DPVAT é necessária para a obtenção do Certificado de Registro e Licenciamento Veicular (CRLV), documento de comprovação do licenciamento anual do veículo e de porte obrigatório. Portanto, para não ter problemas com a fiscalização, mantenha o seu DPVAT em dia e garanta seus direitos em caso de acidente. 👏👏👏

Proteção garantida, não importando o número de vítimas

É isso aí! O Seguro DPVAT cobre acidentes de trânsito envolvendo morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas. É importante deixar claro que todas as pessoas transportadas, ou não, vítimas de acidentes causados por veículos automotores de via terrestre ou por sua carga, estão cobertas pelo Seguro DPVAT. As indenizações são pagas individualmente não importando a quantidade de vítimas e independentemente da posição que elas se encontravam na hora do acidente, seja motorista, passageiro ou pedestre. Depois dessa, a gente nem precisa dizer que é para todo mundo, não é mesmo? ❤

Mutualismo, construindo uma rede de impacto positivo

A palavra pode parecer difícil, mas seu significado é bem mais simples do que a gente pensa, galera: sistema que se baseia na entidade mútua, ou seja, na contribuição de todos para benefício individual de cada um dos contribuintes e até mesmo de quem não paga, o mutualismo é a base do Seguro DPVAT. Ao realizar o pagamento anualmente, os proprietários de veículos garantem que todas as vítimas de acidentes de trânsito sejam amparadas em um momento para lá de difícil, criando uma rede de impacto positivo. É por isso que a gente sempre fala por aqui: ao pagar o Seguro DPVAT, você colabora para a sua proteção e a de mais de 208 milhões de brasileiros. 🎊

E aí, depois de tanta informação, que tal manter o Seguro do seu veículo em dia? Para conferir as regras e emitir a guia de pagamento do Seguro DPVAT de acordo com o seu Estado, é só clicar aqui para acessar o site da Seguradora Líder. A gente lembra que a emissão da guia no nosso site é realizada em um ambiente totalmente seguro, viu? Não precisa se preocupar. Lembre-se: com o Seguro DPVAT em dia, sua proteção é garantida! 😉👍



Continuar lendo

Saiba mais sobre os perigos da combinação álcool e direção

Um, dois, três copinhos para refrescar o calor do verão e chegou a hora de ir para casa, dirigindo. Pode falar a verdade: quantas vezes você já viu essa cena? Essa é apenas uma das situações do dia a dia com a perigosa mistura de álcool e direção. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), esse já é um dos cinco principais fatores de risco para a mortalidade no trânsito brasileiro. Mas quais são os riscos de beber e dirigir? Quais as punições? E a Lei Seca? Você confere as respostas para essas perguntas e muito aqui. Continue acompanhando! 😉👍

Entendendo os perigos de beber e dirigir

Pegar o carro para ir para casa após uns tomar umas cervejinhas no happy hour com os amigos não parece nada demais? Mas temos novidades: com apenas 0,02% a 0,05%, o equivalente a um copo de cerveja, há diminuição considerável das funções visuais e da capacidade de fazer duas coisas ao mesmo tempo. Com dois copos, o equivalente a 0,10%, a situação começa a ficar mais séria: há redução da capacidade de ficar na mesma pista da estrada e parar corretamente. Já com três copos, o equivalente a 0,15%, há incapacidade de controlar o veículo e prestar atenção às funções de direção. Impressionante! 😱

Lei Seca, uma década de atuação para tornar o trânsito mais seguro

Quando falamos da mistura bebida e direção, é impossível não lembrar da Lei Seca, nome popular da Lei 11.705/2008, que ficou conhecida por reduzir a tolerância no nível de álcool no sangue de quem dirige. No ano passado, ela completou uma década de atuação com resultados bastante positivos: segundo a Escola Nacional de Seguros (ENS), desde sua implantação, a Lei Seca já poupou 40 mil vidas no trânsito e 235 mil pessoas de ficarem com algum tipo de invalidez permanente. Bem legal, não é? 😉

Punições mais severas para a mistura bebida e direção

Mas não é só a Lei Seca que trouxe punições mais severas para a mistura bebida e direção, galera! A Lei nº 13.546/17, que entrou em vigor no dia 19 de abril, trouxe alterações significativas ao Código de Trânsito Brasileiro (CTB), aumentando o rigor na punição aos motoristas que conduzirem veículos sob o efeito de álcool ou outras substâncias psicoativas e causarem acidentes. Agora, nos casos de lesões corporais graves ou gravíssimas, aquelas que podem gerar invalidez permanente, a pena passou de 6 meses a 2 anos para de 2 a 5 anos de prisão em regime fechado e, nos casos de homicídio culposo, aquele onde não há intenção de matar, passou de 5 a 8 anos de prisão, também em regime fechado.

Achou que parava por aí? Não mesmo! Outra novidade trazida pela Lei nº 13.546/17 está no fato que não haverá a possibilidade de pagamento de fiança, ocorrendo a suspensão ou proibição do direito de dirigir. A gente nem precisa falar que foi grande passo para reforçar a segurança no trânsito, galera! 😉

Transportes alternativos são opção depois da saideira

Tomar aquela gelada não tem problema se você não pegar o carro, pessoal. Que tal aproveitar essa oportunidade para usar a tecnologia ou o transporte público como solução? Fica a dica: depois da saideira, explore opções como o metrô, trem, ônibus, Uber, táxi, bicicleta para garantir a sua segurança na volta para casa! 😍

Com esse post, queremos te mostrar que o condutor precisa entender que é o responsável por todos que estão no veículo e refletir sobre isso antes de beber. Afinal, a construção de um trânsito mais seguro para todos também é sua responsabilidade! Que tal pensar nisso antes de pegar na direção do carro, hein? =)



Continuar lendo

Vai viajar? Confira as dicas para curtir as festas de fim de ano com segurança

Últimos dias de 2018 e, para tornar essas festas ainda mais seguras, no post de hoje, preparamos um checklist super bacana para viajar com muito mais tranquilidade. Então, prepare-se: está valendo pegar o papel e a caneta ou dar aquele print esperto no seu celular. Vamos nessa? 😉

Números comprovam que é preciso cuidado nas estradas

A gente não poderia começar esse post de maneira diferente, já que o Blog Viver Seguro no Trânsito é a casa do Seguro DPVAT, não é mesmo? Dados da Seguradora Líder mostram que, entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018, foram registradas mais de 45 mil ocorrências no trânsito em todo o país. Nesse mesmo período, o número de mortes superou a marca de 6 mil, com os jovens de 18 a 34 anos sendo as principais vítimas. Os homens também estão entre os mais atingidos e representam 76% das ocorrências no período. Depois desses números, vale sim ou com certeza redobrar o cuidado nas estradas, hein? 👍

E aí, já fez a revisão do seu veículo?

Tão importante quanto escolher o destino, reservar hotéis e definir os passeios, é fazer a revisão no veículo antes de viajar e, assim, evitar imprevistos. Por isso, é importante que você verifique itens como os pneus, o sistema elétrico, o para-brisa, o alinhamento e balanceamento do seu veículo, os freios, os fluidos e, é claro, se os equipamentos de segurança, tais como o estepe, o macaco, as ferramentas, estão em dia.

Ah, e é importante lembrar que a revisão do veículo não deve ser feita um ou dias antes da data da viagem. Leve-o com pelo menos uma semana de antecedência ao seu mecânico de confiança. Dessa forma, caso seja recomendável trocar alguma peça, você terá tempo para deixar o carro na oficina.

Transportando as bagagens de forma correta

Se há um drama comum é o espaço para as bagagens. Na maioria das vezes, o problema é a falta de espaço para colocar tudo o que a gente considera necessário. Mas o excesso de peso também é bem comum. Por isso, a boa é ter cuidado com a balança e não exagerar. Outra dica é a organização das malas dentro do veículo: deixe as mais pesadas o mais próximo possível ao eixo traseiro e evite colocar objetos sobre o tampão do porta-malas. 😉

Separando os documentos

Por último, é importante separar os documentos. Além da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) original, dentro do prazo de validade, é necessário se certificar que o veículo está devidamente licenciado antes de pegar a estrada. Também não se esqueça de levar os telefones das concessionárias das rodovias nas quais você irá trafegar em caso de uma eventual emergência.

Seguindo as dicas acima, parabéns, você está pronto para viajar. Não se esqueça de manter o tanque sempre cheio e, em caso de trajetos longos, complete sempre que chegar na metade. Tenha cuidado e curta bastante seu passeio! 🤩


Continuar lendo

#BonsExemplos: Piauí reduziu em 18% o número de acidentes de trânsito em 2018

Atenção, atenção! Chegou a hora de mais um post da série #BonsExemplos aqui no Blog Viver Seguro no Trânsito, dessa vez sobre o Piauí. Somente nesse ano, o Estado reduziu em cerca de 18% o número de acidentes de trânsito. Animado para ficar por dentro das iniciativas promovidas por lá? Confere só! 😉

Queda no número de indenizações pagas pelo Seguro DPVAT

Como gostamos muito de números, não poderíamos começar o texto de maneira diferente, não é mesmo? Somente em 2018, o terceiro maior estado da região Nordeste do Brasil reduziu em 18,09% o número de indenizações pagas pelo Seguro DPVAT por acidentes de trânsito. :O De acordo com levantamento da Seguradora Líder, o Piauí ainda registrou queda de 22,51% no número de indenizações por invalidez permanente e 5,78% de indenizações por morte em decorrência de acidentes de trânsito. E como o Estado alcançou esses resultados? A gente conta! 😍

Educação no trânsito? A gente vê por aqui!

De acordo com o DETRAN/PI, somente em 2018, mais de 500 mil pessoas foram impactadas pelo trabalho educativo da Escola Piauiense de Trânsito (EPT). Dentre as quase 500 ações realizadas pelo órgão ao longo do ano, estiveram as blitzen educativas, além de abordagens diretas em escolas e empresas de 117 municípios do interior do Estado. Viu como a educação realmente transforma o trânsito? 💓

Investimentos em segurança viária e serviços para a população

Outra grande novidade foi que o DETRAN/PI investiu em sinalização viária nos municípios de União, São Raimundo Nonato, Floriano, Cocal dos Alves, Corrente, Esperantina, Floriano e Cajueiro da Praia. As obras consistiram em sinalização vertical, horizontal e semáforos. 🤩

Além disso, também em 2018, o órgão implantou uma nova versão do sistema de Registro Nacional de Carteira de Habilitação (Renach), que é o banco de dados que registra toda a vida do condutor e também controla a emissão da CNH e da Permissão Internacional para Dirigir (PID). Bem legal, não é? =)

Resultados da Operação Lei Seca

A Operação Lei Seca tem resultados expressivos em todo o país, inclusive no Piauí. Somente em 2018, foram mais de 46 mil abordagens em veículos, entre motocicletas e automóveis. Dessa amostragem, foram 2,8 mil testes de alcoolemia, com 128 atuações por ingestão de bebida alcoólica, 32 prisões em flagrante e 96 processos administrativos. Bastante coisa, não é mesmo? 😱

Através de ações integradas, o Estado do Piauí com certeza está na lista de #BonsExemplos e nos mostra que é possível construir um trânsito cada vez mais seguro para todos. E aí, gostou de saber mais um pouco sobre o que está rolando por lá? Não esquece de deixar a sua opinião aqui nos comentários. 👇🙂



Continuar lendo

Ranking do bem: confira as capitais que registraram o menor número de acidentes nos últimos dois anos

ranking-do-bem-2016-2017.pngO elevado número de indenizações do Seguro DPVAT pagas mês após mês preocupa, mas algumas regiões já têm adotado medidas para a redução dos índices de acidentes de trânsito. Levantamento realizado pela Seguradora Líder listou as cidades de Vitória (ES), Macapá (AP), São Luís (MA), Rio Branco (AC) e Maceió (AL) como as que registraram o menor número de ocorrências nos últimos dois anos: foram apenas 5.614 casos frente aos mais de 560 mil registrados em 2016 e 2017. Mas como essas cidades conseguiram atingir esses resultados? É isso que vamos contar para você aqui embaixo! Se liga aí no ranking do bem! \o/

1º lugar: Vitória, capital do Espírito Santo

Como contamos em um post especial da série #BonsExemplos, aqui mesmo no Blog Viver Seguro no Trânsito, a posição conquistada pela cidade – que registrou apenas 765 casos nos últimos dois anos – é resultado direto do investimento da Prefeitura em medidas para reforçar a segurança nas ruas. Entre elas, o Programa Vida no Trânsito, que na cidade é usado para analisar os acidentes buscando identificar as causas, que podem ser infraestrutura, educação e fiscalização. Após a avaliação, um grupo de trabalho propõe soluções para que não voltem a ocorrer acidentes semelhantes. É muito amor envolvido para evitar acidentes, não é? Parabéns, Vitória! 💓

2º lugar: Macapá, capital do Amapá

Por lá, a Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac) revitalizou e instalou novas faixas de pedestres e diversas placas de sinalização, além de ter elaborado um plano estratégico de fiscalização. Pensando nos condutores do futuro, a instituição ainda promoveu ações educativas nas escolas municipais da região. O resultado disso? Apenas 949 ocorrências nos últimos dois anos. É para celebrar bastante! 🎉

3º lugar: São Luís, capital do Maranhão

A terceira colocada, com 1.122 casos registrados nos últimos dois anos, contou com o apoio da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) para revitalização das vias. Além disso, também foram promovidas ações de conscientização e educação no trânsito. Pode falar: um exemplo a ser seguido, não é mesmo? <3

4º lugar: Rio Branco, capital do Acre

As apenas 1.254 ocorrências no período são efeito das iniciativas adotadas pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito - RBTRANS, como campanhas de conscientização e educação e blitz educativas. Em 2018, a instituição ainda vem promovendo ações com foco nos motociclistas. \o/

5º lugar: Maceió, capital de Alagoas

E para encerrar o ranking do bem com chave de ouro, temos a capital alagoana Maceió, que registrou 1.524 casos no período. O município segue trabalhando frequentemente em campanhas educativas, políticas públicas de segurança viária e fiscalização. Valeu, Maceió!

Todos os exemplos aqui em cima nos ajudam a ver que a construção de um trânsito é possível através de uma série de ações integradas, não é mesmo? E aí, que tal pensar um pouquinho no que pode ser aplicado aí na sua cidade? Para ficar mais fácil, é só lembrar que nós mesmos somos a mudança no trânsito, viu? Compartilhe com a gente nos comentários o que você achou desse post. Esperamos por você! 💓


Continuar lendo

#BonsExemplos: Vitória foi a capital do Brasil com a maior redução no número de acidentes em 2017


Por aqui, a gente ama compartilhar exemplos de quem está mandando bem no trânsito! E, para inaugurar a série #BonsExemplos aqui do Blog Viver Seguro no Trânsito, vamos falar de Vitória, capital do Espírito Santo. A cidade, escolhida para participar da pesquisa nacional do Programa Vida no Trânsito, coordenado pelo Ministério da Saúde em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), apresentou a maior redução no número de acidentes de trânsito entre 2016 e 2017. Para saber mais detalhes sobre como a cidade chegou a esse resultado, preparamos um post especial. Confere só! 🙂

Por dentro do Programa Vida no Trânsito

A Prefeitura de Vitória investe, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), no Programa Vida no Trânsito. A iniciativa faz parte das ações do Programa Cidade Educadora, também desenvolvida pela prefeitura da capital e está inserida na Década de Ações para Segurança no Trânsito (2011-2020), da Organização das Nações Unidas (ONU), que tem como objetivo, até 2020, diminuir acidentes nos 10 países que concentram metade das mortes no trânsito registradas em todo o mundo.

Exemplo a ser seguido

E, como por aqui, gostamos bastante de dados, não poderíamos deixar de compartilhar alguns dos resultados concretos do Programa Vida no Trânsito, pessoal. De acordo com o Boletim Especial "Semana Nacional de Trânsito", divulgado recentemente pela Seguradora Líder, em 2017, Vitória ficou em último lugar no ranking de acidentes ocorridos e já indenizados pelo Seguro DPVAT nas capitais brasileiras. Ao longo de todo o ano passado, apenas 36 indenizações foram pagas por morte, 202 por invalidez permanente e 97 por reembolso de despesas médico-hospitalares. Índices que merecem, com toda a certeza, serem celebrados. 😍😉

Simplicidade que gera resultados tangíveis

A gente sabe que você deve estar se perguntando: como reduzir, efetivamente, o número de acidentes de trânsito em uma capital com mais de 358 mil habitantes? De acordo com o Programa Vida no Trânsito, a resposta é: analisando cuidadosamente cada acidente ocorrido. Na prática, isso significa que, uma equipe da Prefeitura toma providências de acordo com as causas concretas do acidente. Quer um exemplo? Se o acidente de trânsito foi motivado pelas condições da via, o problema de infraestrutura é resolvido pela Prefeitura. Já nos casos de ser motivado por algum fator relacionado ao condutor, a Prefeitura centra seus esforços em ações de conscientização, como a importância do uso do cinto de segurança. 👀

Ah, além disso, o município também elaborou um Plano de Ação Integrado para Redução de Acidentes, envolvendo diferentes setores da cidade para a identificação de fatores de risco de velocidade, identificação de fatores de álcool e direção e os grupos de riscos (pedestre e motociclista). Bem legal, não é? 😉

E aí, gostou de ficar por dentro dessa super iniciativa que está rolando lá em Vitória? O que ela pode trazer de lição para a cidade onde você vive? Deixe a sua opinião registrada aqui embaixo nos comentários e vamos, juntos, compartilhar ações para tornar o trânsito um lugar melhor para todo mundo! #Partiu? \o/



Continuar lendo

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito: uma reflexão sobre o elevado número de mortes


Doenças, guerras, conflitos, deslizamentos. É normal acreditarmos que essas são as principais causas de mortes em todo mundo, certo? Mas hoje, a imprudência no trânsito é uma das mais significativas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), todos os anos, cerca de 1,25 milhão de pessoas em todo mundo são vítimas fatais do trânsito. No Brasil, essa situação não é diferente, pessoal. Neste Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito (18/11), vamos te contar um pouquinho mais sobre essa realidade. Vem com a gente! 😉

Em 10 anos, trânsito brasileiro já matou mais que Guerra na Síria

O título te assustou? Mas é isso mesmo. De 2008 a 2017, mais de 504 mil pessoas morreram em acidentes no Brasil, segundo dados das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT. Esse número é o dobro do de mortes nos conflitos da Síria. Impressionante, não é? 😪

Como os acidentes de trânsito impactam a economia?

Engana-se quem pensa que os acidentes de trânsito representam apenas danos materiais. Pelo contrário, pessoal: eles geram custos sociais, ambientais, psicológicos, além de impactos na saúde – devido aos altos custos com internações hospitalares. Somente em 2014, por exemplo, nas rodovias federais do país, ocorreram cerca de 170 mil acidentes de trânsito, que geraram um custo de R$ 12,3 bilhões. Destes custos, 64,7% foram associados às vítimas dos acidentes, com atendimentos em hospitais e perda de produção devido às lesões ou a morte e 34,7% foram relacionados aos veículos, com danos materiais, perda de cargas e procedimento de remoção. Quando se levantou o custo nas rodovias federais, estaduais e municipais, estimou-se um custo superior a R$ 45 bilhões por ano. Com esse valor, daria para construir 28 mil escolas e 1.800 novos hospitais. Os números são do Instituto de Pesquisa Aplicada, o IPEA, com base nos dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e fazem refletir, não é mesmo? 😥

Qual o papel do Seguro DPVAT nessa realidade?

Em episódios trágicos como os acidentes de trânsito, a vida de muitas pessoas é afetada de maneira permanente. Nesse sentido, um instrumento de proteção e amparo como o Seguro DPVAT é, muitas vezes, o único recurso que as famílias dispõem para vencer momentos de grande adversidade e recomeçar. ❤

O que tem sido feito para mudar as estatísticas elevadas de acidentes de trânsito?

Uma das principais ações é a Década de Ações para a Segurança no Trânsito (2011-2020), criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2011, que tem como meta estabilizar e reduzir em até 50% os acidentes de trânsito através de um plano diretor. À nível brasileiro, outra importante ação, baseada na Década de Ações da ONU, é o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (PNATRANS), que tem como objetivo reduzir pela metade o número de acidentes no trânsito em um período de 10 anos. Bem legal, não é? 😉

E o que a Seguradora Líder tem feito?

A Seguradora Líder acredita que, através da divulgação das estatísticas do Seguro DPVAT, garantimos insumos para a construção de políticas públicas que contribuam para que o trânsito brasileiro se torne menos violento. Uma das ferramentas é o Boletim Estatístico, documento divulgado mensalmente e produzido pelo nosso Centro de Dados e Estatística. Sabendo da importância desses boletins, somente nesse ano, divulgamos três edições especiais. Você confere mais sobre elas clicando aqui 😉

Hoje e durante todos os dias, devemos refletir, juntos, no que podemos fazer para reduzir o elevado número de acidentes de trânsito, afinal, todos nós, fazemos parte dele. E aí, você tem uma boa ideia para tornar o trânsito menos violento? Compartilha com a gente aqui embaixo nos comentários! 👇


Continuar lendo

Cuidados na estrada no feriadão da Proclamação da República

O feriado prolongado da Proclamação da República, entre os dias 15 e 18 de novembro, é um período em que, tradicionalmente, muitos pegam as estradas para aproveitar os dias de folga. Se esse é o seu caso, para aproveitar os próximos dias com tranquilidade reunimos, neste post, os dados dos acidentes ocorridos no mesmo período do ano passado e algumas dicas de segurança nas estradas. Dá só uma olhada! 😉

Em 2017, mais de 3 mil acidentes nos quatro dias de feriado

O título assusta, mas é verdadeiro. Somente em 2017, foram contabilizadas 3.176 ocorrências em todo o Brasil, entre os dias 15 e 19 de novembro. Como resultado dos acidentes, 63% ficam com algum tipo de sequela permanente e foram indenizadas pelo o Seguro DPVAT. Na prática, isso quer dizer que, a cada dia, cerca de 635 acidentes aconteceram nas estradas brasileiras, dentre os quais 49% envolveram jovens de 18 a 34 anos. Bem triste, não é? 😪

Os motociclistas são as principais vítimas do trânsito brasileiro e essa realidade não foi diferente durante os dias de feriado prolongado. Somente no ano passado, os motociclistas corresponderam a 76% das vítimas nas ocorrências. Alô, motociclistas!👀👀👀

E tem mais: esses números ainda podem aumentar, já que o prazo prescricional para dar entrada no pedido de indenização do Seguro DPVAT é de 3 anos. Depois dessas informações, é para redobrar o cuidado sim ou com certeza? 👍

Segurança é item indispensável

Para garantir que esses números não se repitam, preparamos uma listinha com dicas bacanas de segurança para você. Papel e caneta na mão? Vamos lá! 🖊

Documentação. 📃 Antes de pegar a estrada, confira se você está com toda a documentação em dia e se não esqueceu de separar todos os seus documentos e os do seu veículo. Organização em primeiro lugar!

Pneus. 🚗 Outra dica importante antes de pegar a estrada, é verificar o estado de todos os pneus, inclusive o estepe. É importante também checar o triângulo, o macaco e as chaves de roda, afinal, você pode precisar desses ítens no trajeto.

Chuva. ☔ Estamos na primavera e é bastante comum observar mudanças no clima, pessoal. Por isso, se estiver chovendo, a atenção deve ser maior ainda. Por isso, a boa é evitar freadas bruscas e procurar dirigir a uma velocidade menor.

Sono. 😴 A gente sabe que depois de relaxar bastante no feriado, pode bater aquele soninho, não é mesmo? Mas se a sonolência chegar durante a viagem, que tal parar e descansar um pouquinho? 😉

Refeições. 🍛 Tão importante quanto o sono, é fazer refeições leves antes de pegar a estrada. Lembre-se: comer demais ou ingerir comidas pesadas pode causar sonolência durante a viagem. Ah, e também nunca ingerir bebidas alcoólicas, viu? 😉

Na hora de pegar a estrada neste feriadão, lembre-se: a segurança é item indispensável na sua bagagem. Por isso, por mais familiarizado que você já esteja com a rodovia, a boa é dirigir com cautela para garantir muito mais datas de descanso como essa. Afinal, construir um trânsito mais seguro também é sua responsabilidade! 😉



Continuar lendo

Visão Zero: como o exemplo da Suécia pode ajudar a zerar as mortes no trânsito

Nos últimos dez anos, a base estatística da Seguradora Líder soma mais de 4 milhões de indenizações pagas, em decorrência de acidentes de trânsito, por morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas. É muita coisa, não é? Mas e se a gente te contasse que esse cenário pode ter uma solução? É isso aí! Por isso, nesse post, vamos te apresentar o "Visão Zero", programa originado na Suécia para a redução de acidentes de trânsito que tem gerado resultados positivos. 😍

Conheça o Visão Zero

Criado na Suécia, em 1999, e exemplo para o mundo, o "Visão Zero" é um conceito de segurança viária que pode ser resumido pela seguinte premissa: não é aceitável perder vidas no trânsito. Esse programa muda completamente o paradigma da segurança viária, aceitando que humanos cometem erros, são frágeis e que o sistema de trânsito deve ser construído justamente para protegê-los.

Na prática, isso significa que – ao invés de esperar que as pessoas tenham um comportamento exemplar e perfeitamente seguro – na Suécia, o sistema de segurança viária foi construído a fim de que todos os elementos de uma rede de mobilidade sejam seguros, a fim de reduzir as chances de um acidente grave ou fatal acontecer.

Construindo um sistema de segurança viária

Mas, afinal, como se constrói um sistema de segurança viária eficaz? Para responder essas perguntas, nada melhor do que estudarmos as quatro principais estratégias usadas pela Suécia, não é? Confere só!

  • Desenhar ruas seguras. A maneira como as ruas são desenhadas impacta o comportamento das pessoas. Na Suécia, medidas de moderação de tráfego como lombadas, faixas mais estreitas e bem sinalizadas e espaços seguros para a circulação dos pedestres reduziram a velocidade dos carros e aumentaram a visibilidade das pessoas caminhando nessas áreas, colaborando para a redução de acidentes.
  • Melhorar as opções de mobilidade. Pesquisas mostram que, quanto mais quilômetros são percorridos em carros, maior é a exposição ao risco para os usuários da rodovia. Assim, quanto mais pessoas caminham, pedalam ou andam de transporte público, a segurança viária melhora de forma geral. Por isso, houve investimentos para melhorias das calçadas, ônibus de alta qualidade e corredores dedicados ao transporte público.

  • Controlar a velocidade para reduzir as mortes. Ao trafegar em velocidades mais baixas, os motoristas enxergam melhor seu entorno, têm mais tempo de reagir a eventos inesperados e conseguem parar mais rapidamente. Pensando nisso, no país, houve redução dos limites de velocidade e atualização do sistema de cobrança de multas.
  • Coordenar as instituições.Na Suécia, um sistema seguro começa na premissa de que todos os tomadores de decisão no campo da mobilidade devem estar engajados. Por isso, o plano de Visão Zero inclui o trabalho de engenheiros de tráfego, profissionais para fiscalização, designers de veículos, especialistas da saúde, educadores, jornalistas, cientistas sociais e funcionários do governo – todos juntos na construção de um trânsito mais seguro.

Resultados que já podem ser vistos

Desde que adotou o "Visão Zero", a Suécia coleciona resultados notáveis, como uma das taxas de mortalidade mais baixas em todo o mundo: apenas 3 em cada 100 mil habitantes. Além disso, desde 2008, nenhuma criança morreu em colisões envolvendo bicicletas e as fatalidades envolvendo pedestres caíram quase pela metade nos últimos cinco anos. \o/

Exemplo aplicado no Brasil

E se a gente te contasse que o "Visão Zero" chegará às cidades brasileiras? É isso aí! <3 No início desse ano, São Paulo e Fortaleza anunciaram a futura implementação dessa abordagem através da elaboração de planos de segurança viária que envolvem medidas como velocidade mais baixa nas vias e readequação de infraestruturas viárias. Bem legal, não é? Por aqui, a gente não está segurando a curiosidade para ver logo os resultados e promete contar tudinho para vocês! 😍

É possível trazer soluções factíveis e de sucesso para o nosso trânsito. E você, o que achou desse programa? Compartilhe a sua opinião com a gente aqui nos comentários! 😉


Continuar lendo

Dia das Crianças: saiba mais sobre os cuidados com os pequenos no trânsito

Feriado, brincadeira, diversão... essas são apenas algumas das palavras que definem essa data tão especial e doce, o Dia das Crianças! 😀 E, para garantir que muitas datas como esta sejam comemoradas, nada melhor do que falar sobre o nosso assunto favorito por aqui: a segurança no trânsito com um foco super especial, os pequenos. Confira!

Necessidade de cuidado que se reforça através das estatísticas

De acordo com dados da Seguradora Líder, somente no ano passado, 3.834 indenizações do Seguro DPVAT foram pagas para crianças de 0 a 7 anos em todo o país, o equivalente a cerca de dez crianças por dia. Desse total, 72% passaram a conviver com algum tipo de invalidez permanente após um acidente de trânsito e 19% foram vítimas fatais. Um dado bastante triste, não é mesmo? 😭

Isso nos mostra que as crianças são um dos grupos mais vulneráveis a acidentes no trânsito, já que são mais frágeis e, ainda estão em desenvolvimento físico e mental, não conseguindo avaliar corretamente elementos cruciais no universo do trânsito, como a distância, a velocidade e o tempo de um veículo em relação a elas. Depois desses dados, a gente nem precisa dizer que o cuidado com os pequenos deve ser reforçado sempre que possível, não é? 😉

O exemplo dos pais no trânsito

Muitas vezes os pais nem se dão conta de que são espiados a maior parte do dia pelos pequenos, que veem, escutam e registram tudo. Por isso, ser exemplo para os filhos é a melhor educação que se pode dar a eles e isso se estende até mesmo ao trânsito. 💕 Então, fica aqui um convite: se você é pai, que tal, ao invés de passar o tempo todo falando mal dos congestionamentos, estimular seus filhos com brincadeiras sobre segurança? Vale de tudo, desde o significado de cada cor do sinal de trânsito, a importância de usar o cinto, qual é o tipo de sinalização correta, não jogar lixo nas ruas, entre outros. Formar pequenos cidadãos é um sinal e tanto de amor!

Na prática, como posso tornar o trânsito mais seguro para meus filhos?

Evitar acidentes de trânsito deve ser uma das principais preocupações dos pais não só quando eles estão dentro dos veículos, mas também quando estão brincando nas ruas. Por isso, separamos algumas dicas super importantes para garantir que seus pequenos possam viver seguros no trânsito. Está valendo dar print no celular para sempre dar aquela olhadinha, viu?

- O uso da cadeirinha é obrigatório para crianças até 7 anos. Elas devem ser aprovadas pelas normas de segurança e compradas em lugares especializados.

- As portas e janelas do seu carro devem ter mecanismos de segurança especial para crianças, como aquelas que travam a abertura. Esse ponto é essencial para que os pequenos evitem colocar seu corpo para fora do veículo, aumentando as possibilidades de acidentes de trânsito.

- A criança deve sempre andar acompanhada dos seus pais, especialmente na hora de atravessar na rua. Elas nunca devem andar no meio-fio e devem olhar para ambos os lados antes de atravessar, inclusive em ruas que possuem semáforo.

- Os pais devem sempre supervisionar a brincadeira das crianças em espaços como entradas de garagens, quintais sem cerca, ruas ou estacionamentos.

- Cinto de segurança é um abraço que salva vidas! Independentemente da idade do seu filho, certifique-se que ele sempre esteja usando o cinto de segurança. Sabia que ele pode reduzir em até 71% a chance de morte de uma criança em caso de acidente de trânsito?

No Dia das Crianças e em todos os outros dias do ano, a estrada de prevenção para a construção de um trânsito cada vez mais seguro para todos é de responsabilidade dos adultos, seguindo o exemplo do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), onde os maiores protegem os menores. Somente assim, além de reduzir os riscos de acidentes, conseguiremos formar pequenos cidadãos, que tornarão este um local mais seguro no futuro. E aí, tem alguma dica para compartilhar conosco? É só deixar aqui nos comentários. Esperamos por você!


Continuar lendo

Página 1 de 10
12345678910