Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Segurança

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito: uma reflexão sobre o elevado número de mortes


Doenças, guerras, conflitos, deslizamentos. É normal acreditarmos que essas são as principais causas de mortes em todo mundo, certo? Mas hoje, a imprudência no trânsito é uma das mais significativas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), todos os anos, cerca de 1,25 milhão de pessoas em todo mundo são vítimas fatais do trânsito. No Brasil, essa situação não é diferente, pessoal. Neste Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito (18/11), vamos te contar um pouquinho mais sobre essa realidade. Vem com a gente! 😉

Em 10 anos, trânsito brasileiro já matou mais que Guerra na Síria

O título te assustou? Mas é isso mesmo. De 2008 a 2017, mais de 504 mil pessoas morreram em acidentes no Brasil, segundo dados das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT. Esse número é o dobro do de mortes nos conflitos da Síria. Impressionante, não é? 😪

Como os acidentes de trânsito impactam a economia?

Engana-se quem pensa que os acidentes de trânsito representam apenas danos materiais. Pelo contrário, pessoal: eles geram custos sociais, ambientais, psicológicos, além de impactos na saúde – devido aos altos custos com internações hospitalares. Somente em 2014, por exemplo, nas rodovias federais do país, ocorreram cerca de 170 mil acidentes de trânsito, que geraram um custo de R$ 12,3 bilhões. Destes custos, 64,7% foram associados às vítimas dos acidentes, com atendimentos em hospitais e perda de produção devido às lesões ou a morte e 34,7% foram relacionados aos veículos, com danos materiais, perda de cargas e procedimento de remoção. Quando se levantou o custo nas rodovias federais, estaduais e municipais, estimou-se um custo superior a R$ 45 bilhões por ano. Com esse valor, daria para construir 28 mil escolas e 1.800 novos hospitais. Os números são do Instituto de Pesquisa Aplicada, o IPEA, com base nos dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e fazem refletir, não é mesmo? 😥

Qual o papel do Seguro DPVAT nessa realidade?

Em episódios trágicos como os acidentes de trânsito, a vida de muitas pessoas é afetada de maneira permanente. Nesse sentido, um instrumento de proteção e amparo como o Seguro DPVAT é, muitas vezes, o único recurso que as famílias dispõem para vencer momentos de grande adversidade e recomeçar. ❤

O que tem sido feito para mudar as estatísticas elevadas de acidentes de trânsito?

Uma das principais ações é a Década de Ações para a Segurança no Trânsito (2011-2020), criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2011, que tem como meta estabilizar e reduzir em até 50% os acidentes de trânsito através de um plano diretor. À nível brasileiro, outra importante ação, baseada na Década de Ações da ONU, é o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (PNATRANS), que tem como objetivo reduzir pela metade o número de acidentes no trânsito em um período de 10 anos. Bem legal, não é? 😉

E o que a Seguradora Líder tem feito?

A Seguradora Líder acredita que, através da divulgação das estatísticas do Seguro DPVAT, garantimos insumos para a construção de políticas públicas que contribuam para que o trânsito brasileiro se torne menos violento. Uma das ferramentas é o Boletim Estatístico, documento divulgado mensalmente e produzido pelo nosso Centro de Dados e Estatística. Sabendo da importância desses boletins, somente nesse ano, divulgamos três edições especiais. Você confere mais sobre elas clicando aqui 😉

Hoje e durante todos os dias, devemos refletir, juntos, no que podemos fazer para reduzir o elevado número de acidentes de trânsito, afinal, todos nós, fazemos parte dele. E aí, você tem uma boa ideia para tornar o trânsito menos violento? Compartilha com a gente aqui embaixo nos comentários! 👇


Continuar lendo

Cuidados na estrada no feriadão da Proclamação da República

O feriado prolongado da Proclamação da República, entre os dias 15 e 18 de novembro, é um período em que, tradicionalmente, muitos pegam as estradas para aproveitar os dias de folga. Se esse é o seu caso, para aproveitar os próximos dias com tranquilidade reunimos, neste post, os dados dos acidentes ocorridos no mesmo período do ano passado e algumas dicas de segurança nas estradas. Dá só uma olhada! 😉

Em 2017, mais de 3 mil acidentes nos quatro dias de feriado

O título assusta, mas é verdadeiro. Somente em 2017, foram contabilizadas 3.176 ocorrências em todo o Brasil, entre os dias 15 e 19 de novembro. Como resultado dos acidentes, 63% ficam com algum tipo de sequela permanente e foram indenizadas pelo o Seguro DPVAT. Na prática, isso quer dizer que, a cada dia, cerca de 635 acidentes aconteceram nas estradas brasileiras, dentre os quais 49% envolveram jovens de 18 a 34 anos. Bem triste, não é? 😪

Os motociclistas são as principais vítimas do trânsito brasileiro e essa realidade não foi diferente durante os dias de feriado prolongado. Somente no ano passado, os motociclistas corresponderam a 76% das vítimas nas ocorrências. Alô, motociclistas!👀👀👀

E tem mais: esses números ainda podem aumentar, já que o prazo prescricional para dar entrada no pedido de indenização do Seguro DPVAT é de 3 anos. Depois dessas informações, é para redobrar o cuidado sim ou com certeza? 👍

Segurança é item indispensável

Para garantir que esses números não se repitam, preparamos uma listinha com dicas bacanas de segurança para você. Papel e caneta na mão? Vamos lá! 🖊

Documentação. 📃 Antes de pegar a estrada, confira se você está com toda a documentação em dia e se não esqueceu de separar todos os seus documentos e os do seu veículo. Organização em primeiro lugar!

Pneus. 🚗 Outra dica importante antes de pegar a estrada, é verificar o estado de todos os pneus, inclusive o estepe. É importante também checar o triângulo, o macaco e as chaves de roda, afinal, você pode precisar desses ítens no trajeto.

Chuva. ☔ Estamos na primavera e é bastante comum observar mudanças no clima, pessoal. Por isso, se estiver chovendo, a atenção deve ser maior ainda. Por isso, a boa é evitar freadas bruscas e procurar dirigir a uma velocidade menor.

Sono. 😴 A gente sabe que depois de relaxar bastante no feriado, pode bater aquele soninho, não é mesmo? Mas se a sonolência chegar durante a viagem, que tal parar e descansar um pouquinho? 😉

Refeições. 🍛 Tão importante quanto o sono, é fazer refeições leves antes de pegar a estrada. Lembre-se: comer demais ou ingerir comidas pesadas pode causar sonolência durante a viagem. Ah, e também nunca ingerir bebidas alcoólicas, viu? 😉

Na hora de pegar a estrada neste feriadão, lembre-se: a segurança é item indispensável na sua bagagem. Por isso, por mais familiarizado que você já esteja com a rodovia, a boa é dirigir com cautela para garantir muito mais datas de descanso como essa. Afinal, construir um trânsito mais seguro também é sua responsabilidade! 😉



Continuar lendo

Visão Zero: como o exemplo da Suécia pode ajudar a zerar as mortes no trânsito

Nos últimos dez anos, a base estatística da Seguradora Líder soma mais de 4 milhões de indenizações pagas, em decorrência de acidentes de trânsito, por morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas. É muita coisa, não é? Mas e se a gente te contasse que esse cenário pode ter uma solução? É isso aí! Por isso, nesse post, vamos te apresentar o "Visão Zero", programa originado na Suécia para a redução de acidentes de trânsito que tem gerado resultados positivos. 😍

Conheça o Visão Zero

Criado na Suécia, em 1999, e exemplo para o mundo, o "Visão Zero" é um conceito de segurança viária que pode ser resumido pela seguinte premissa: não é aceitável perder vidas no trânsito. Esse programa muda completamente o paradigma da segurança viária, aceitando que humanos cometem erros, são frágeis e que o sistema de trânsito deve ser construído justamente para protegê-los.

Na prática, isso significa que – ao invés de esperar que as pessoas tenham um comportamento exemplar e perfeitamente seguro – na Suécia, o sistema de segurança viária foi construído a fim de que todos os elementos de uma rede de mobilidade sejam seguros, a fim de reduzir as chances de um acidente grave ou fatal acontecer.

Construindo um sistema de segurança viária

Mas, afinal, como se constrói um sistema de segurança viária eficaz? Para responder essas perguntas, nada melhor do que estudarmos as quatro principais estratégias usadas pela Suécia, não é? Confere só!

  • Desenhar ruas seguras. A maneira como as ruas são desenhadas impacta o comportamento das pessoas. Na Suécia, medidas de moderação de tráfego como lombadas, faixas mais estreitas e bem sinalizadas e espaços seguros para a circulação dos pedestres reduziram a velocidade dos carros e aumentaram a visibilidade das pessoas caminhando nessas áreas, colaborando para a redução de acidentes.
  • Melhorar as opções de mobilidade. Pesquisas mostram que, quanto mais quilômetros são percorridos em carros, maior é a exposição ao risco para os usuários da rodovia. Assim, quanto mais pessoas caminham, pedalam ou andam de transporte público, a segurança viária melhora de forma geral. Por isso, houve investimentos para melhorias das calçadas, ônibus de alta qualidade e corredores dedicados ao transporte público.

  • Controlar a velocidade para reduzir as mortes. Ao trafegar em velocidades mais baixas, os motoristas enxergam melhor seu entorno, têm mais tempo de reagir a eventos inesperados e conseguem parar mais rapidamente. Pensando nisso, no país, houve redução dos limites de velocidade e atualização do sistema de cobrança de multas.
  • Coordenar as instituições.Na Suécia, um sistema seguro começa na premissa de que todos os tomadores de decisão no campo da mobilidade devem estar engajados. Por isso, o plano de Visão Zero inclui o trabalho de engenheiros de tráfego, profissionais para fiscalização, designers de veículos, especialistas da saúde, educadores, jornalistas, cientistas sociais e funcionários do governo – todos juntos na construção de um trânsito mais seguro.

Resultados que já podem ser vistos

Desde que adotou o "Visão Zero", a Suécia coleciona resultados notáveis, como uma das taxas de mortalidade mais baixas em todo o mundo: apenas 3 em cada 100 mil habitantes. Além disso, desde 2008, nenhuma criança morreu em colisões envolvendo bicicletas e as fatalidades envolvendo pedestres caíram quase pela metade nos últimos cinco anos. \o/

Exemplo aplicado no Brasil

E se a gente te contasse que o "Visão Zero" chegará às cidades brasileiras? É isso aí! <3 No início desse ano, São Paulo e Fortaleza anunciaram a futura implementação dessa abordagem através da elaboração de planos de segurança viária que envolvem medidas como velocidade mais baixa nas vias e readequação de infraestruturas viárias. Bem legal, não é? Por aqui, a gente não está segurando a curiosidade para ver logo os resultados e promete contar tudinho para vocês! 😍

É possível trazer soluções factíveis e de sucesso para o nosso trânsito. E você, o que achou desse programa? Compartilhe a sua opinião com a gente aqui nos comentários! 😉


Continuar lendo

Dia das Crianças: saiba mais sobre os cuidados com os pequenos no trânsito

Feriado, brincadeira, diversão... essas são apenas algumas das palavras que definem essa data tão especial e doce, o Dia das Crianças! 😀 E, para garantir que muitas datas como esta sejam comemoradas, nada melhor do que falar sobre o nosso assunto favorito por aqui: a segurança no trânsito com um foco super especial, os pequenos. Confira!

Necessidade de cuidado que se reforça através das estatísticas

De acordo com dados da Seguradora Líder, somente no ano passado, 3.834 indenizações do Seguro DPVAT foram pagas para crianças de 0 a 7 anos em todo o país, o equivalente a cerca de dez crianças por dia. Desse total, 72% passaram a conviver com algum tipo de invalidez permanente após um acidente de trânsito e 19% foram vítimas fatais. Um dado bastante triste, não é mesmo? 😭

Isso nos mostra que as crianças são um dos grupos mais vulneráveis a acidentes no trânsito, já que são mais frágeis e, ainda estão em desenvolvimento físico e mental, não conseguindo avaliar corretamente elementos cruciais no universo do trânsito, como a distância, a velocidade e o tempo de um veículo em relação a elas. Depois desses dados, a gente nem precisa dizer que o cuidado com os pequenos deve ser reforçado sempre que possível, não é? 😉

O exemplo dos pais no trânsito

Muitas vezes os pais nem se dão conta de que são espiados a maior parte do dia pelos pequenos, que veem, escutam e registram tudo. Por isso, ser exemplo para os filhos é a melhor educação que se pode dar a eles e isso se estende até mesmo ao trânsito. 💕 Então, fica aqui um convite: se você é pai, que tal, ao invés de passar o tempo todo falando mal dos congestionamentos, estimular seus filhos com brincadeiras sobre segurança? Vale de tudo, desde o significado de cada cor do sinal de trânsito, a importância de usar o cinto, qual é o tipo de sinalização correta, não jogar lixo nas ruas, entre outros. Formar pequenos cidadãos é um sinal e tanto de amor!

Na prática, como posso tornar o trânsito mais seguro para meus filhos?

Evitar acidentes de trânsito deve ser uma das principais preocupações dos pais não só quando eles estão dentro dos veículos, mas também quando estão brincando nas ruas. Por isso, separamos algumas dicas super importantes para garantir que seus pequenos possam viver seguros no trânsito. Está valendo dar print no celular para sempre dar aquela olhadinha, viu?

- O uso da cadeirinha é obrigatório para crianças até 7 anos. Elas devem ser aprovadas pelas normas de segurança e compradas em lugares especializados.

- As portas e janelas do seu carro devem ter mecanismos de segurança especial para crianças, como aquelas que travam a abertura. Esse ponto é essencial para que os pequenos evitem colocar seu corpo para fora do veículo, aumentando as possibilidades de acidentes de trânsito.

- A criança deve sempre andar acompanhada dos seus pais, especialmente na hora de atravessar na rua. Elas nunca devem andar no meio-fio e devem olhar para ambos os lados antes de atravessar, inclusive em ruas que possuem semáforo.

- Os pais devem sempre supervisionar a brincadeira das crianças em espaços como entradas de garagens, quintais sem cerca, ruas ou estacionamentos.

- Cinto de segurança é um abraço que salva vidas! Independentemente da idade do seu filho, certifique-se que ele sempre esteja usando o cinto de segurança. Sabia que ele pode reduzir em até 71% a chance de morte de uma criança em caso de acidente de trânsito?

No Dia das Crianças e em todos os outros dias do ano, a estrada de prevenção para a construção de um trânsito cada vez mais seguro para todos é de responsabilidade dos adultos, seguindo o exemplo do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), onde os maiores protegem os menores. Somente assim, além de reduzir os riscos de acidentes, conseguiremos formar pequenos cidadãos, que tornarão este um local mais seguro no futuro. E aí, tem alguma dica para compartilhar conosco? É só deixar aqui nos comentários. Esperamos por você!


Continuar lendo

Semana Nacional de Trânsito: por dentro do Dia Nacional do Trânsito

Nessa última semana preparamos conteúdos muito especiais aqui para o blog. E, hoje, para comemorar o Dia Nacional do Trânsito e encerrar a nossa série sobre a Semana Nacional de Trânsito, reunimos nesse post algumas curiosidades sobre o assunto, como os cuidados que você deve ter, os tipos mais comuns e como agir em caso de acidentes. Ficou curioso? Então, é só continuar acompanhando. Boa leitura! ☺

Mas, afinal, o que é o trânsito?

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) diz que o trânsito é o espaço onde acontece o movimento de pessoas, de veículos e de animais, com o objetivo de obter um deslocamento ou transporte de determinada carga, de forma que a operação de carga/descarga também é parte integrante do que se entende por trânsito. Então, não é exagero quando falamos que o pedestre, o passageiro e o motorista são parte do trânsito, não é mesmo? 😉

Nós somos o trânsito: os cuidados que você deve ter

Nem precisamos dizer que você tem um papel fundamental para tornar o trânsito um lugar cada vez mais seguro, especialmente em uma realidade onde os dados, divulgados no Boletim Especial "Semana Nacional de Trânsito", nos mostram que, nos últimos dois anos, mais de 560 mil acidentes ocorreram e foram indenizados pelo Seguro DPVAT. Pensando nisso, separamos algumas dicas para você ter ainda mais cuidado. Confere só!

- Os maiores cuidam dos menores: respeito ao pedestre é necessário, afinal, fora dos nossos veículos, todos somos pedestres;

- Alô, pedestre, sua segurança também depende de você! Na hora de atravessar, opte sempre pelas faixas de pedestres ou passarelas;

- De olho no cinto de segurança! Independente da distância e da idade, todos os ocupantes do veículo devem usar o cinto, inclusive no banco traseiro;

- Respeito é bom e todo mundo gosta! A gentileza melhora a convivência no trânsito, por isso, respeite as vagas reservadas para idosos e deficientes;

- Ande dentro dos limites de velocidade! E vale reduzi-la em frente em áreas escolares ou lugares de grande concentração de pedestres.

Você sabe quais são os tipos de acidentes de trânsito mais comuns no Brasil?

Ao falar sobre os cuidados que devemos ter no trânsito, é impossível não mencionar os acidentes, mas você sabe quais são os tipos mais frequentes no Brasil? De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT), são a colisão traseira, o abalroamento (choque violento) no mesmo sentido, a saída da pista, o abalroamento transversal, o choque com um objeto fixo, a capotagem e a colisão frontal. Depois dessa informação, que tal refletirmos sobre o que podemos fazer para tornar o trânsito um local mais seguro? 😉

Como devo agir em caso de acidentes de trânsito?

Por mais que você tome uma série de cuidados, às vezes os acidentes acontecem. Nessas horas, muitas pessoas acabam ficando nervosas. Por isso, além de tentar manter a calma, algumas dicas podem ajudar a contornar essa situação. Dá só uma olhada no passo a passo bem bacana que preparamos para você. 👇

Primeiro passo: retire os veículos da via para não obstruí-la e causar outro acidente;

Segundo passo: sinalize o local com o triângulo de forma adequada. Depois, se houver vítimas, ligue para o serviço de resgate;

Terceiro passo: não deixe de registrar o Boletim de Ocorrência, especialmente se o acidente envolver vítimas ou causar danos ao patrimônio público.

E aí, curtiu nossas dicas? Conta para a gente aqui nos comentários o que você achou e não se esqueça de compartilhar esse post nas suas redes sociais, viu? Nos vemos em breve! =)



Continuar lendo

Semana Nacional de Trânsito: os 21 anos da criação do Código de Trânsito Brasileiro

O Código de Trânsito Brasileiro, também conhecido como CTB, não é só aquele livro que você aprende nas aulas teóricas da autoescola e usa para saber mais sobre multas ou punições. Ele é muito mais que isso! Criado em 1997, através desse documento os condutores são, minimamente, preparados para as situações inesperadas do cotidiano, como acidentes e batidas. Sabia disso? 😊

Se não sabia, não tem problema. 😉 Nesse post, vamos te contar todos os detalhes do Código Brasileiro de Trânsito (CTB), além de falar sobre as principais mudanças que aconteceram desde sua criação, há 21 anos. Ficou curioso? É só rolar a matéria para baixo e conferir! 👇

Afinal, o que é o Código Brasileiro de Trânsito (CTB)?

Sancionado pela Lei nº 9.503, de 1997, o CTB é um documento baseado na Constituição Federal, que define as atribuições das autoridades de trânsito brasileiras e estabelece normas de conduta, infrações, crimes e penalidades para os motoristas. A partir dos direitos dos cidadãos, ele também fala sobre a responsabilidade do Estado em garantir um bom funcionamento do trânsito, bem como o papel de seus órgãos de regulamentação e fiscalização.

Ao todo são 20 capítulos que disponibilizam todas as informações do universo do trânsito brasileiro que falam não só sobre os acidentes ou habilitações dos condutores, mas também sobre um sistema integrado, que contempla até mesmo os modelos de carros que circulam pelas ruas, o papel dos pedestres, dentre outros. Ufa! Bastante informação, não é? 🧐

Mas por que é importante conhecer as leis de trânsito?

Conhecer as leis de trânsito vai muito além de evitar multas e infrações: nos permite entender o universo do trânsito, sabendo que a segurança deve vir sempre em primeiro lugar. Afinal, não é exagero falar que, se um motorista evita todas as infrações previstas no Código de Trânsito Brasileiro, as chances de se envolver em um acidente serão bastante reduzidas, quase nulas.

Ficar por dentro do CTB se torna ainda mais importante quando o próprio número de indenizações do Seguro DPVAT nos mostra que os acidentes de trânsito representam uma realidade bastante expressiva no Brasil. De acordo com o Boletim Especial Semana Nacional de Trânsito, por exemplo, somente em 2017, mais de 245.371 acidentes ocorreram e já foram indenizados. Esse número é aproximadamente 15 vezes superior ao das vítimas do Tsunami no Japão, em 2011. 😱

Desde sua criação, o Código Brasileiro de Trânsito sofreu alguma alteração?

Sim, galera! Apesar do texto original ter sido criado há mais de 20 anos, ele é constantemente atualizado por outras Leis, para que as regras fiquem mais claras ou até mesmo, mais rigorosas. A mais recente delas é a Lei nº 13.281/2016, que trouxe novidades em relação aos valores das multas, o tempo de suspensão da CNH e sobre os novos limites de velocidade em rodovias de pista dupla que não contam com sinalização. De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), essas alterações proporcionaram muito mais segurança no dia a dia do brasileiro, além de mais praticidade, já que também foi criado um sistema eletrônico de distribuição de multas. 😌

Fatos curiosos presentes no Código Brasileiro de Trânsito

Algumas situações curiosas também são previstas no Código Brasileiro de Trânsito (CTB), como os itens obrigatórios que o ciclista deve usar na bicicleta e o fato que jogar água nos pedestres, além de ser falta de educação, também é considerado infração média. Depois dessa informação, vale ou não vale redobrar sua atenção?

Como é a legislação de trânsito fora do Brasil?

Podemos dizer que ela é, no mínimo, curiosa e varia de acordo com a cultura de cada país. Na França, por exemplo, é exigido a cada cidadão um bafômetro dentro do carro e, antes de pegar no volante, é necessário realizar o teste e dirigir com uma espécie de "comprovante de não embriaguez". Achou diferente? E se a gente te contasse que, na Bulgária, trafegar com o carro sujo é considerado infração sujeita à multa? Verdade seja dita, depois desses exemplos, as leis brasileiras parecem ser bem mais amenas, não é mesmo? 😂

Por aqui, a gente acredita que, conhecendo melhor o Código Brasileiro de Trânsito, você não apenas evita receber multas e eventuais infrações, mas também se torna um motorista melhor. Por essa razão, queremos te convidar a separar um tempinho para conferir a íntegra desse importante documento, clicando aqui . Ah, não deixe de contar para a gente o que você achou desse post nos comentários, viu? 😁


Continuar lendo

Semana Nacional de Trânsito: Quem somos nós no trânsito?

Por Rodolfo Rizzotto, Coordenador do SOS Estradas

Todos os anos, entre os dias 18 e 25 de setembro, celebramos a Semana Nacional do Trânsito, iniciativa que tem como finalidade conscientizar a sociedade para valores, posturas e atitudes relacionadas ao vasto universo do trânsito.

Nesse ano, o tema escolhido pelo Conselho Nacional do Trânsito (CONTRAN) a ser trabalhado pelos órgãos, sociedade e meios de comunicação é "Nós somos o trânsito", o que nos estimula a refletir sobre as consequências positivas e negativas do nosso comportamento.

Não há como negar que a maior responsabilidade pela violência no trânsito está no nosso comportamento como indivíduos, seja na condição de pedestres, passageiros ou motoristas.

Há aqueles que acreditam que a educação é a solução, mas, infelizmente, seus resultados não são imediatos, por isso, a fiscalização de trânsito, a cada dia, se faz mais e mais necessária. Afinal, com tantas formas de se receber informação, quem pode dizer que não sabe que o pedestre deve atravessar na faixa ou que o uso do cinto de segurança é obrigatório? Portanto, nós sabemos o que é certo e o que é errado.

Além do mais, é sempre importante lembrar que o mau comportamento no trânsito coloca não só a nossa vida em risco, mas também a de terceiros. Afinal, situações como a de um pedestre atravessando numa curva na estrada pode causar o tombamento de uma carreta e, até mesmo, a morte de um caminhoneiro que tentou evitar o atropelamento.

Portanto, como diz o tema escolhido para esta semana – "Nós somos o trânsito" – para a construção de um trânsito mais seguro para todos, resta saber quem somos e quem queremos ser.

Gostou do artigo? Clique aqui para conhecer o site do SOS Estradas, um programa que visa reduzir os acidentes e aumentar a segurança nas rodovias.



Continuar lendo

Semana Nacional de Trânsito: Seguradora Líder lança Boletim Especial

Você já sabe que, por aqui, acreditamos que, através dos números, é possível mudar a realidade do trânsito. E, para marcar a Semana Nacional de Trânsito de 2018, a Seguradora Líder lançou um Boletim Especial, onde além de apresentar os números de acidentes ocorridos e já indenizados pelo Seguro DPVAT no último ano, também é possível ter acesso ao perfil dessas ocorrências, mostrando as regiões e capitais com os trânsitos mais violentos do país. Para conferir mais do que você vai encontrar nesse documento, é só continuar acompanhando o nosso post. 😌

Um panorama estatístico da violência nas estradas brasileiras

Em 2017, mais de 245.371 acidentes ocorreram e foram indenizados pelo Seguro DPVAT. Como o prazo prescricional para a solicitação do benefício é de até 3 anos, esses dados devem sofrer alterações conforme as ocorrências são avisadas pelas vítimas e beneficiários. Apesar de ser um número bastante expressivo, que traz à tona a violência do nosso trânsito, ele é 22% menor do que o mesmo período de 2016, galera.

Desse total, os casos de invalidez permanente representaram 68% dos acidentes indenizados pelo Seguro DPVAT. Já os acidentes fatais registraram redução de 13% em relação ao mesmo período de 2016, com uma participação menor na quantidade de ocorrências em relação às demais coberturas (12%).

São Paulo é a capital mais violenta do país

É isso mesmo! De acordo com o nosso Boletim Especial, São Paulo é a capital mais violenta do país, concentrando o total de 5.998 ocorrências em 2017. Bem triste, não é? Desse total, a tendência do maior número de indenizações destinadas à invalidez permanente parece se repetir: foram 3.511. É para redobrar a atenção, viu, galera da terra da garoa? 😨

Homens, de 18 a 34 anos, são as maiores vítimas do trânsito

Mantendo o mesmo comportamento dos anos anteriores, em 2017, a maior incidência de acidentes foi com vítimas do sexo masculino. Nesse período, a faixa etária mais atingida foi a de 18 a 34 anos, idade considerada economicamente ativa, representando 49% do total de acidentes, o que corresponde a quase 119 mil indenizações.

Onde estão localizadas as maiores ocorrências de acidentes com mortes?

Em 2017, as Regiões Sudeste e Nordeste foram as responsáveis pela maior concentração das ocorrências de acidentes com vítimas fatais, com cerca de 30% cada. Enquanto na primeira região houve maior participação dos automóveis, na segunda região predominaram os acidentes fatais envolvendo motocicletas. Vale lembrar que, de acordo com o DENATRAN, o Sudeste é responsável por 49% da frota nacional e Região Nordeste, por 37% do total de veículos no país.

Educação no trânsito, você também vê no nosso Boletim Especial

Cientes da responsabilidade de tornar nossos dados insumo para que governos e instituições planejem ações de segurança viária, a Seguradora Líder encomendou uma pesquisa ao Instituto Datafolha que, além de levantar as principais necessidades e oportunidades das campanhas de educação viária, também avaliou a percepção da população sobre o comportamento do brasileiro no trânsito. Um dos resultados dessa pesquisa foi que, para a grande maioria dos brasileiros, o uso do celular ao dirigir é o grande vilão do trânsito. Os brasileiros também acreditam que, apesar do endurecimento das leis, o consumo de álcool ainda é uma das principais causas de acidentes. E aí, você também concorda com esses resultados? 🤔

Curtiu ficar por dentro da mais nova edição especial do nosso Boletim Estatístico? Então, é só clicar aqui para conferi-lo na íntegra no site da Seguradora Líder. Não se esquece de contar para a gente o que você achou aqui nos comentários, tá bom? Estamos te esperando! 😉



Continuar lendo

Drogas ao volante, um problema mundial

Por Rodolfo Rizzotto, Coordenador do SOS Estradas

Com o aumento do consumo de drogas em alguns países, os acidentes envolvendo motoristas sob efeito dessas substâncias vêm crescendo exponencialmente. Somente no Reino Unido, no ano passado, cerca de 8 mil condutores perderam a habilitação ao serem flagrados usando drogas ao volante.

Essa realidade não é diferente no Brasil, onde o transporte de cargas e passageiros – através de caminhões e ônibus – apresenta dados assustadores, especialmente em função da exploração do trabalho dos motoristas profissionais que, muitas vezes, consumiam drogas para conseguir dirigir sem dormir.

Nesse sentido, em março de 2016, nosso país deu um grande passo, tornando obrigatório o exame toxicológico de larga janela, o qual, através de uma pequena coleta de cabelo, pelos ou unha, consegue detectar se a pessoa é usuária regular de drogas. Nos dois primeiros anos de aplicação desse exame, nada menos de 1,2 milhão de condutores das categorias C, D e E não tiveram essas CNHs renovadas, sendo que, cerca de 900 mil ficaram sem habilitação e os demais pediram mudança para a categoria B, que permite a direção de carro e ainda não exige o exame.

O fato é que o combate ao consumo de drogas é também uma responsabilidade de quem usa, afinal, afeta a segurança de todos, especialmente no trânsito. É urgente e necessário atuar no sentido de desestimular o consumo de drogas e estimular os avanços tecnológicos, como o exame toxicológico através do cabelo, que permitem aplicar políticas de prevenção.

É necessário verificarmos que a tecnologia para desestimular o consumo de drogas existe e, usando essa poderosa arma, seremos capazes de reduzir os acidentes, a violência urbana e, principalmente, salvar vidas no trânsito.

Gostou do artigo? Clique aqui para conhecer o site do SOS Estradas, um programa que visa reduzir os acidentes e aumentar a segurança nas rodovias.

Continuar lendo

Dia Nacional do Ciclista: uma viagem pelo universo das bicicletas

Bike, magrela, camelo, kalanga, zica... são muitos os apelidos para a bicicleta, mas a verdade é uma só: ela, certamente, ocupa um espaço muito grande no coração dos brasileiros. ❤ Hoje, no Dia Nacional do Ciclista, queremos contar um pouco mais da sua história, suas curiosidades e como ela pode te ajudar a adotar um estilo de vida mais saudável. Confere só! 😉

Uma viagem no tempo

Sabia que faz 201 anos que foi lançado o primeiro modelo de bicicleta? É isso aí! A bicicleta do barão alemão Karl von Drais, de 1817, é considerada a pioneira. Batizada de "máquina corredora", ela era feita de madeira e funcionava com o impulso dos pés. O objetivo da sua criação foi oferecer um meio de transporte mais barato e fácil de manter que os cavalos. 😱 Dá só uma olhadinha em como ela era e conta para gente nos comentários o que você achou. 😉

bicicleta-von-drais.jpg 

Fonte: Gun Powder MA/Wikimedia

Será que você precisa mesmo ter um carro?

De acordo com estudo publicado no British Medical Journal, importante publicação da área médica, o chamado "deslocamento ativo" ou seja, ir de bicicleta ou a pé para atividades cotidianas, como o trabalho, está relacionado a um risco de morte 41% inferior comparado com o deslocamento feito de carro ou em transporte público. E não para por aí! Quem vai para o trabalho pedalando sofre um risco 52% menor de morrer de doença cardíaca e 40% menor de morrer de câncer.

Além de cuidar da sua saúde, ao adotar a bicicleta, você corta gastos como combustível, estacionamento, trocas de óleo, balanceamento, mecânico e eventuais retoques. Isso sem contar que as peças e eventuais reparos de uma bicicleta têm custo muito baixo quando comparados com os de um automóvel. E aí, depois desses dados, será que você precisa mesmo ter um carro? 😉

Cidade da bicicleta: o exemplo de Roterdã, na Holanda

As cidades do mundo todo estão investindo cada vez mais no transporte via bicicleta! E como por aqui a gente gosta muito de exemplo, vamos falar de Roterdã, na Holanda. Estudos afirmam que, dos 600.000 habitantes da cidade, cerca de 70.000 utilizam a bicicleta no seu deslocamento diário. Muita gente, não é? Imagina no Brasil! Por isso, a Prefeitura da cidade instalou alguns semáforos de ciclovia com sensores de temperatura infravermelhos. O objetivo é descongestionar a cidade, favorecendo o tráfego não-poluente. Se você também gosta de bike como a gente, dá até aquela vontade de fazer uma visitinha à Holanda, não é? ❤

O que o CTB fala sobre a bicicleta?

Quem circula de bike também tem direitos e deveres, pessoal! De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é necessário que a bicicleta tenha buzina, espelho e adesivos refletores na frente, atrás, nas laterais e nos pedais. Você sabia disso? 😱

Outro ponto importante é que não adianta deixar o carro em casa e ir para o bar de bicicleta, galera: o ciclista alcoolizado, apesar de não ter pontos para perder na carteira, nessa condição, pode ser multado e até preso. É bom ficar de olho!

A bicicleta na cultura popular

O Blog Viver Seguro no Trânsito também é cultura, galera! E tem vários filmes sobre bicicleta por aí, tais como "As Bicicletas de Belleville", "O Escocês Voador", "Competição de Destinos - American Flyers", "Perigo por Encomenda" e "O Caminho das Nuvens". E gente não poderia deixar de falar do mais famoso de todos, o "E.T. – O Extraterrestre" que tem uma das cenas com bicicleta mais famosa da história do cinema! Muito amor! ❤ E aí, que tal aproveitar o final de semana para assistir pelo menos um deles?

É verdade que nunca esquecemos como andar de bicicleta?

E, para encerrar esse super post, queremos matar a sua curiosidade a respeito da pergunta desse título: sim, é verdade! Isso acontece porque o sistema nervoso tem como principal característica a capacidade de reter informações nos neurônios e na rede formada por eles. No caso das atividades motoras, as informações para executar os movimentos ficam armazenadas no chamado sistema extrapiramidal, no cérebro. Quando essa parte é estimulada, o conhecimento pré-adquirido surge automaticamente e você está pronto para andar de bicicleta como se fosse a primeira vez! \o/

E aí, gostou da nossa viagem pelo universo das bikes? Tem alguma história legal com a bicicleta para compartilhar com a gente? Então, é só deixar seu comentário. Esperamos por você! ;)


Continuar lendo

Página 1 de 10
12345678910