Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Segurança

Tudo o que você precisa saber sobre a Placa Mercosul

placa-mercosul.png

Você já deve ter se deparado com alguma notícia sobre a placa Mercosul, não é mesmo? A gente também! 😉 Fazendo as contas, o prazo para adesão no Brasil já foi adiado três vezes, chegando até mesmo a ser suspenso por tempo indeterminado. 😫 Mas o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) afirma que o início da implementação será no dia 1 de dezembro. \o/ E, para você já ir se preparando, reunimos tudo o que você precisa saber sobre a placa Mercosul aqui nesse post. Se liga só!😉

Como as placas Mercosul surgiram?

A ideia deste novo modelo é mais antiga do que pensamos, pessoal. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, ela nasceu em 2010 e foi impulsionada pelo Denatran, órgão brasileiro. A ideia era criar um sistema unificado, inspirado no adotado pela União Europeia nos anos 90, que facilitasse a identificação e fiscalização dos veículos dos países que atualmente compõem o Mercosul – Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai). As placas já estão sendo usadas na Argentina e no Uruguai. Bem legal, não é? \o/

Quais são as novidades?

Um dos principais pontos a serem destacados é que a nova placa usa a tecnologia a favor da segurança, galera! Composta por uma tarja azul, bandeira do Brasil e outra configuração de letras/números, ela contará com um chip e um código de barras bidimensional (também conhecido como QR Code), o que facilitará a identificação dos veículos roubados ou clonados nos países do Mercosul, por exemplo. As placas também não utilizarão mais o lacre e contarão com marcas d’água com o nome do país e do Mercosul, além de uma tira holográfica, que conterá a identificação do fabricante, a data de fabricação e seu número de série – uma outra forma de evitar falsificação. 😉

A troca da placa é obrigatória para todos os veículos?

Esse ponto costuma gerar muitas dúvidas, pessoal, mas a placa do Mercosul só será obrigatória para carros novos (a partir de 1º de dezembro), transferidos de município ou de proprietário e em outras situações que exigem a troca de placas. Portanto, se você é proprietário de um veículo já emplacado, não precisa se preocupar: você pode circular com o modelo atual sem necessidade de mudança, se este veículo permanecer sob sua propriedade e circulando no mesmo município. Mas, se você quiser trocar a placa, também não tem problema, já que os proprietários de veículos em circulação podem escolher se querem antecipar a mudança ou não. \o/

E qual é o custo disso?

Opa! Esse é outro questionamento que costuma aparecer bastante, galera. Ainda não existe uma definição dos valores das novas placas que, assim como acontece atualmente, serão pagas pelos proprietários de veículos. Mas tem uma novidade bem bacana: de acordo com o Denatran, essa nova resolução padroniza a produção das placas em território nacional, o que pode diminuir o seu custo. 😉 Vale lembrar que, atualmente, os preços das placas variam de estado para estado. Em São Paulo, por exemplo, o par de placas sai por R$ 128,68, além das taxas de vistoria e licenciamento.

Novidade virá primeiro para os cariocas

Alô, cariocas! O Governo do Rio de Janeiro divulgou recentemente que o Rio deverá ser o primeiro estado brasileiro a adotar a placa de automóveis unificada para os países do Mercosul. 😉

Verdade seja dita: a placa Mercosul é uma novidade e tanto! E você já sabe que por aqui, quando tem novidade, a gente está sempre ligadinho, afinal, é nosso papel te deixar por dentro de tudo o que acontece no trânsito brasileiro. Por isso, é muito importante te ouvir: gostou do nosso post ou tem mais alguma curiosidade sobre a placa Mercosul? Deixe seu comentário aqui embaixo. Esperamos por você!


Continuar lendo

Nós somos o trânsito: Maio celebra a Década de Ação pela Segurança no Trânsito

decada-de-acao-seguranca-transito.png

Maio é o mês da conscientização no trânsito. Tudo porque celebramos a Década de Ação pela Segurança no Trânsito (2011-2020), ação da ONU na qual governos de todo o mundo se comprometem a tomar medidas para tornar o trânsito um local cada vez mais seguro para todos. ❤ Elaborado com base em um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS), a iniciativa surgiu para tratar uma epidemia: os acidentes de trânsito. De acordo com esse estudo, o Brasil aparece em quinto lugar entre os países onde o trânsito mais mata. Parece exagero, mas é só olharmos para as indenizações do Seguro DPVAT, pessoal: somente no ano passado, foram 383.993 indenizações pagas relativas à acidentes, sendo mais de 41 mil por morte. 😨

De acordo com a ONU, a chave para a redução da mortalidade é garantir que os países participantes atuem nos cinco fatores considerados de risco no trânsito: dirigir sob o efeito de álcool, excesso de velocidade, não usar o capacete, o cinto de segurança e as cadeirinhas para crianças. O compromisso da Organização das Nações Unidas pede que os países reduzam pela metade as mortes em acidentes de trânsito até 2020. O objetivo em todo o mundo é salvar 5 milhões de vidas e evitar que 50 milhões de pessoas sofram lesões permanentes. Para comparar, é como se, em 10 anos, a ação pretendesse salvar as vidas de todos os habitantes das cidades de Porto Alegre, Belo Horizonte e Goiânia somadas. Bastante coisa, né? Uau! *-*

Você deve estar se perguntando: 8 anos depois, o que já foi feito? Bastante coisa, pessoal! O Brasil deu passos importantes para reduzir os acidentes de trânsito, apesar de ainda estar longe das metas fixadas junto à ONU. Em 2011, quando passou a vigorar o acordo, morriam nas rodovias brasileiras, em média, 24 pessoas por 100 mil habitantes. Agora, são 18 por 100 mil. Tivemos avanços super importantes, como o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (PNATRANS), aprovado no início desse ano, onde o principal objetivo é que o índice de mortes por grupos de habitantes e por grupos de veículos seja reduzido pela metade. Muito legal! =)

Mas é preciso pensar além das políticas e ações públicas, pessoal. Por isso, queremos te convidar para uma reflexão: o que podemos fazer para além disso? A resposta é simples: entender que nós somos o trânsito e que, cada ação pensada de forma consciente e levando a segurança em primeiro lugar, beneficia o todo. 😉

E aí, pensando nisso, o que você vai fazer por um trânsito melhor hoje? Tem alguma ideia que ache bacana compartilhar com todo mundo? Então, é o seu momento: deixe sua opinião aqui nos comentários?


Continuar lendo

A tecnologia nem sempre é inimiga do condutor

tecnologia-transito-seguro.png

A tecnologia está em todo lugar. Desde que acordamos, na hora de assistir ao telejornal da manhã até a hora de dormir, quando damos aquela última olhadinha no smartphone... Mas sabe onde também ela está presente? No trânsito! E, por lá, ao contrário do que pensamos, também é possível utilizá-la de forma prática e segura. Por isso, separamos várias iniciativas que, além de facilitar a sua vida, vão demonstrar como a tecnologia pode ajudar a construir um trânsito mais seguro. Vamos conferir juntos? =)

Interpretação dos sinais do cérebro do condutor

O título parece ficção científica, mas essa já é uma realidade. ;) A tecnologia “Brain-to-Vehicle”, criada pela fabricante de automóveis japonesa Nissan, consegue medir a atividade das ondas cerebrais e repassá-las para um sistema autônomo que, em casos de emergência, consegue, automaticamente, girar o volante ou desacelerar o carro entre 0,2 a 0,5 segundos mais rápido do que o motorista. Bem legal, não é?

Um exemplo brasileiro

A tecnologia não está restrita aos carros, galera! Os brasileiros também estão mandando bem nas ruas, sabe com qual objetivo? Reduzir os índices de acidentes! \o/ Em São José dos Campos, por exemplo, investimentos em fiscalização eletrônica e câmeras de monitoramento já contribuíram para a redução de 40% no número de óbitos causados por acidentes de trânsito nas vias municipais. É para comemorar bastante, pessoal!

Carro autônomo

Movimentando-se através de computadores que interpretam dados enviados por radares e sensores para detectar o trânsito ao redor e determinar o caminho a ser seguido, o carro autônomo oferece vantagens como freios automáticos, ajuda para retornar à faixa, manutenção de velocidade pré-selecionada, além de avaliação da necessidade de ativação dos airbags. E tem novidade vindo por aí: diversas montadoras, como a BMW, já estão testando essa tecnologia. =)

E os aplicativos de celular?

Além de serem grandes aliados dos motoristas na hora de fugir dos engarrafamentos ou de mostrar qual é o melhor caminho a seguir, os aplicativos também podem colaborar para um trânsito mais seguro. E, como a gente gosta de exemplos práticos por aqui, separamos uma listinha bem bacana de aplicativos gratuitos, disponíveis para os sistemas iOS e Android. Confere só! ;)

Mãos no Volante – o app evita que você atenda ligações e informa os remetentes com mensagens automáticas;

Motorista da Parada - permite que você cadastre até quatro amigos e ocorre um sorteio para saber qual deles será o motorista da rodada;

Carango – o app gerencia diversas informações sobre o automóvel, que permitem agendar manutenção preventiva, por exemplo.

É importante termos em mente que, quando utilizada com sabedoria, a tecnologia pode colaborar e muito para a segurança no trânsito, pessoal! E aí, tem mais algum exemplo tecnológico para compartilhar com a gente? Esperamos por você nos comentários! =)


Continuar lendo

A última conversa ao celular antes de morrer ou matar

cuidados-celular.jpg

Hoje em dia, sabemos que dirigir falando ao celular equivale a conduzir alcoolizado. Infelizmente, muitos condutores têm esse hábito, incluindo os motociclistas. Há quem, além de falar ao telefone, seja imprudente ao ponto de digitar, tirar fotos e filmar.

Somente em Brasília, 180 motoristas são flagrados dirigindo falando ao celular todos os dias. E esses são apenas os que são multados na capital federal. Com esse dado, podemos estimar que milhares de motoristas dirigem todos os dias nesta condição no país. Considerando o risco que essa prática representa, com certeza, temos mais pessoas cometendo esse tipo de infração à luz do dia do que dirigindo sob efeito de álcool.

Faltam dados estatísticos sobre acidentes causados por motoristas que conduzem falando ao celular, digitando mensagens, fotografando ou filmando. Vídeos postados pelos próprios infratores mostram a dimensão do problema. Um exemplo foi o caso que ocorreu no final do ano passado, na BR-153, estado do Tocantins, quando três pessoas viajavam de Goiânia (GO) para Barrolândia (TO) e filmavam a viagem. É possível ver no vídeo como o motorista tira os olhos da pista para focar no celular de quem filmava. O resultado? Uma colisão frontal com uma carreta e morte imediata de todos os ocupantes do automóvel. O motorista do caminhão não sofreu ferimentos, mas com certeza ficou com o trauma deste acidente para o resto da vida.

Nem mesmo os motoristas profissionais resistem à tentação de misturar celular com direção. Vários deles, inclusive, fazem filmagens enquanto dirigem transportando dezenas de toneladas. Se é difícil realizar essa fiscalização na área urbana, é muito mais complicado nas estradas.

Seja motorista de veículos leves ou motorista profissional, todos têm a obrigação de não utilizar o celular enquanto dirigem. Afinal, esse é um comportamento de risco que tem o grande potencial de colaborar para o aumento das estatísticas de acidentes de trânsito.


Continuar lendo

Dia Nacional da Paz no Trânsito

dia-nacional-da-paz-transito.png

Hoje é dia de Tiradentes? Sim! Mas sabe o que mais é comemorado hoje? O Dia Nacional da Paz no Trânsito, galera. Essa data tem como objetivo reavivar posturas e atitudes corretas que devem ser adotadas diariamente para reduzir o elevado número de acidentes que vemos todos os dias. Para isso, nada melhor do que dicas práticas, não é mesmo? Então, vem com a gente, que esse post é para você! \o/

Violência no trânsito: um índice que precisa ser mudado

Em 2017, das 383.993 indenizações pagas pelo Seguro DPVAT, 41.151 foram destinadas à morte e 284.191 à invalidez permanente. Quer mais dados assustadores? Somente no primeiro trimestre de 2018, mais de 70 mil indenizações já foram pagas para essas duas coberturas e olha que ainda falta bastante para acabar o ano, galera. Mas o que podemos fazer para mudar, efetivamente, essa realidade?

A conscientização para um trânsito mais seguro começa antes mesmo da CNH. Sabe como? Na escolha do Centro de Formação de Condutores, a conhecida Autoescola. Afinal, lá não é só o lugar onde você vai se preparar para o exame de direção, mas também aprenderá as regras previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), tais como direção defensiva, mecânica básica, primeiros socorros, meio ambiente e cidadania. E, como a gente gosta de dica boa por aqui, para escolher uma autoescola legal basta acessar o site do DETRAN do seu estado e verificar as unidades em situação regular.

Juntos numa reflexão necessária

Nós sabemos que os índices que mostramos lá em cima assustam bastante, galera. E, para evitar que você faça parte dessas estatísticas, queremos que você reflita com as perguntinhas a seguir. Vamos lá?

- Você toma todos os cuidados necessários para a sua segurança e dos seus passageiros?

- Pratica a direção defensiva?

- Usa o cinto de segurança regularmente?

- Tem tolerância e calma com aqueles que estão começando?

Se sua resposta para todas essas perguntas foi sim, parabéns: você está no caminho certo. Se sua resposta foi não para alguns dos itens, que tal parar e se perguntar o que você pode fazer por um trânsito melhor?

A gente finaliza esse post com um recadinho bem importante: apesar de hoje ser a data oficial para a paz no trânsito, ela deve ser uma realidade de todos os dias! Por isso, toda vez que você for dirigir, lembre-se que a segurança no trânsito também depende de você. =)


Continuar lendo

Punição mais rigorosa para motorista embriagado que causar acidentes

motorista-embriagado.png

É para comemorar, galera! Hoje, 19 de abril, entra em vigor a Lei nº 13.546/17, que aumenta o rigor na punição aos motoristas que conduzirem veículos sob efeito de álcool ou outras substâncias psicoativas e causarem acidentes. Esse é um importante passo para o trânsito brasileiro, especialmente quando estudos divulgados pelo Ministério da Saúde apontam que 21% dos acidentes registrados no país estão relacionados ao consumo de álcool e quando o Boletim Estatístico de Março da Seguradora Líder mostra que 9.196 indenizações por morte foram pagas apenas no primeiro trimestre do ano. Ficou curioso para saber mais sobre essa Lei? Continue ligadinho no nosso post! ;)

Principais novidades

As principais novidades estão no período e no tipo de punição, pessoal. Para os casos de lesões corporais graves ou gravíssimas, aquelas que podem ocasionar invalidez permanente, por exemplo, a pena passa de 6 meses a 2 anos para de 2 a 5 anos de prisão em regime fechado e, nos casos de homicídio culposo, aquele onde não há intenção de matar, passa para de 5 a 8 anos de prisão, também em regime fechado. Além disso, não haverá a possibilidade de pagamento de fiança e ocorrerá a suspensão ou proibição do direito de se obter a permissão ou habilitação para dirigir. Uma grande conquista, não é mesmo? ;)

Mas e se o motorista embriagado não provocar morte ou lesão corporal?

Se o motorista embriagado for flagrado numa blitz sem ter provocado morte ou lesão corporal, a pena continua a mesma: detenção de 6 meses a 3 anos, com possibilidade de pagamento de fiança. Além disso, esses condutores pagam uma multa de R$ 2.934,70 e têm a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa.

Os perigos da direção após o consumo de álcool

Além das penas que mostramos nesse post, tem outras razões para que a combinação bebida e direção não dê certo, pessoal. Ao afetar as funções cerebrais de forma gradual, os indivíduos alcoolizados têm muito mais risco de se envolver em uma colisão. De acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET), após o consumo de álcool, o risco de se envolver em um acidente fatal é de 4 a 10 vezes maior.

E você, gostou de saber mais sobre essa Lei? ;) Você acha que ela vai colaborar para diminuir os elevados índices de acidentes causados por embriaguez no país? Deixe sua opinião aqui nos comentários. =)


Continuar lendo

Conheça a importância do capacete para o motociclista

uso do capacete.png

Somente no primeiro trimestre de 2018, 4.578 motociclistas morreram no trânsito brasileiro. Outros 50.469 adquiriram sequelas permanentes. Os dados são da edição de março do Boletim Estatístico da Seguradora Líder, importante instrumento que ajuda a dimensionar a extensão dos danos causados pela violência no trânsito em todo o país. Mas o que podemos fazer para alterar essa realidade, pessoal? É bem simples: adotar, de forma urgente, medidas de segurança, como o uso do capacete. E é justamente para bater aquele papo sobre a importância desse equipamento que escrevemos esse post. Vem que só tem dica boa! ;)

Obrigatoriedade do uso: uma linha do tempo

A obrigação do uso do capacete surgiu juntinho com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em 1997, galera. Desde então, para circular nas vias públicas, seu uso é obrigatório tanto para condutor quanto para passageiro da motocicleta, motoneta, ciclomotor, triciclo e quadriciclo motorizados, devidamente afixado na cabeça pela cinta jugular e engate por debaixo do maxilar inferior. Em 2013, o uso do capacete ganhou novas vertentes: a Resolução nº 453/2013 veio para disciplinar o seu uso, estabelecendo quais modelos são permitidos e quais são proibidos. Um exemplo bem bacana que veio depois dessa Resolução são os capacetes do tipo "coquinho", proibidos pela legislação, que não atendem os requisitos mínimos de segurança.

Eficácia comprovada através dos números

É isso aí! Estudos que avaliaram a eficácia dos capacetes demonstraram que seu uso previne cerca de 69% dos traumatismos crânio-encefálicos e 65% dos traumatismos da face. Isso acontece porque o capacete minimiza os efeitos causados por impacto contra a cabeça do usuário no momento do acidente. Mas é importante lembrar: a eficácia do capacete está ligada diretamente à sua utilização correta, ou seja, afivelado e com todos os seus acessórios e complementos. Vale ficar de olho! =)

Escolhendo o capacete ideal

Para garantir a eficácia do capacete, o ideal é escolher o melhor modelo para você. Por isso, separamos algumas dicas bem bacanas para adquirir o capacete ideal:

- O primeiro passo é comprar um capacete que tenha o selo do Inmetro, pois essa é a garantia de que ele foi testado de acordo com as normas estabelecidas por um órgão de certificação competente;

- Busque comprar capacetes com cores claras para facilitar a visibilidade;

- Na hora de experimentar o capacete, veja se ele se encaixa simetricamente na sua cabeça, não inclinando para trás;

- Jamais compre capacetes usados: ele pode ter sofrido pancadas ou acidentes e você não conseguirá perceber o dano.

E aí, gostou de saber mais sobre esse item feito para garantir proteção à todos os motociclistas? Então, compartilhe esse post com seus amigos, afinal, segurança nunca é demais! =) Esperamos por você aqui nos comentários!

Continuar lendo

Dicas para pegar a estrada na Páscoa

de-olho-na-estrada-pascoa.png

Páscoa é sinônimo de renovação, de chocolate, de família e de uma porção de coisa boa. Mas vamos ser sinceros? É também sinônimo de feriadão, galera! E, por aqui, a gente sabe que tem muita gente contando os minutos e os segundos para fazer aquela viagem bacana, não é? Mas que tal desacelerar um pouquinho antes de pegar a estrada? Para garantir que a sua ida e a sua volta sejam tranquilas, uma palavrinha não pode ser esquecida: a segurança. Pensando nisso, preparamos um post recheado de dicas para você. Vem com a gente! ;)

De olho nas estatísticas

Como por aqui acreditamos que, através da informação, conseguimos reduzir os índices de acidentes de trânsito, queremos compartilhar alguns números da Semana Santa do ano passado. Você sabia que, de quinta-feira até o domingo de Páscoa de 2017, foram pagas 2.614 indenizações do Seguro DPVAT relativas a acidentes ocorridos no período? Isso significa que a cada dia do feriadão, mais de 650 indenizações foram pagas, pessoal. Bastante coisa, não é mesmo? =(

Vale destacar que, nesse período, a motocicleta foi a responsável por 77% dos acidentes, apesar de constituir apenas 27% da frota nacional de veículos.

Motorista, motociclista, caminhoneiro: tem dica para todo mundo

Se os dados aqui em cima te assustaram, é hora de pensarmos juntos no que pode ser feito para evitarmos acidentes, não é mesmo? Por isso, independentemente do seu veículo, a boa é ficar de olho na listinha que separamos aqui embaixo. ;)

1. Calibre seus pneus: além de garantir o bom funcionamento do veículo, essa prática ajuda bastante na economia de combustível, galera. Isso acontece porque, quando os pneus estão calibrados, o veículo libera menos gases poluentes ao ambiente, facilitando o manuseio do volante.

2. Atenção à previsão do tempo: para não ter tempo ruim, vale pesquisar a previsão para saber em quais condições você pegará estrada. Isso se faz importante se seu percurso for extenso ou percorrido por estradas de terra, por exemplo.

3. De olho na bagagem: que tal prever a quantidade de malas que você vai levar? Assim, você garante a segurança de todo mundo no carro.

4. Transporte das crianças: até os dez anos, os pequenos devem ser transportados em uma cadeirinha adequada e somente no banco traseiro. Alô, papais!

5. Descanse: antes de pegar a estrada, que tal manter o sono em dia? Estar descansado é super importante para manter a atenção ao volante.

6. Respeito é bom e todo mundo gosta: você já parou para pensar que as placas de sinalização na estrada existem por uma razão? Respeitá-las, além de evitar infrações, garante a segurança de todo mundo.

7. Jamais misture álcool e direção: além de ser infração, misturar álcool e direção pode gerar um acidente daqueles.

8. Cuide da sua alimentação: a gente sabe que é Páscoa, mas não vale exagerar no chocolate, galera! Dê preferência a comidas leves e evite alimentos que você não tem o costume de comer.

9. Mantenha a distância de segurança: para evitar acidentes com freadas bruscas, o ideal é se distanciar do carro da frente, pessoal.

10. O uso do cinto é indispensável: você sabia que usar o cinto de segurança diminui em até 75% o risco de mortes em acidentes de trânsito?

E aí, gostou do nosso post? Agora é seguir as dicas e aproveitar o descanso com bastante responsabilidade! =)


Continuar lendo

Alô, pedestre: a sua segurança também depende de você!

pedestres-no-transito.png

Enquanto caminham rumo ao seu destino, os pedestres muitas vezes não percebem que também fazem parte do trânsito da cidade e é exatamente aí que mora o perigo. Somente no primeiro bimestre de 2018, 23% do total de indenizações pagas pelo Seguro DPVAT, ou seja, cerca de 12.752 dos acidentados eram pedestres. Número assustador, não é? Mas hoje a gente quer te convidar para pensarmos juntos no que fazer para mudar essa realidade, galera. É hora de ficar de olho nas dicas bem bacanas que separamos especialmente para você. =)

Distração fatal: todo cuidado é pouco com o celular

Quem nunca esbarrou em alguém mexendo no celular na rua? Essa cena, cada vez mais comum nas grandes metrópoles, já vem sendo alvo de alguns estudos, como um realizado pela Texas A&M University. O estudo mostrou que as pessoas que enviam mensagens de texto enquanto caminham têm dificuldade de andar em linha reta e tendem a ir mais devagar. Quando comparamos as velocidades de caminhada de uma pessoa sem distrações e de outro que faz o caminho digitando ao telefone, a diferença é de mais de 20%! Bastante coisa, não é mesmo?

E olha que a gente nem entrou no mérito dos fones de ouvido: segundo o DETRAN/PR, digitar, ler e usar os fones aumenta as chances de acidentes em até 80%. =O Então, fica a dica: que tal deixar as mensagens de lado e manter a sua segurança como prioridade? ;)

Mantendo as crianças longe da rua

Como já sabemos, os pequenos merecem aquele cuidado todo especial durante o passeio, além do mais quando as estatísticas nos mostram que 618 indenizações foram pagas no primeiro bimestre deste ano para crianças de 0 a 7 anos. =(

Até os 10 anos, eles devem sempre estar acompanhados por um adulto, já que ainda não conseguem calcular a velocidade e a distância dos veículos. Por isso, papai, mamãe e responsáveis, prestem atenção: além de dar o exemplo de boa conduta no trânsito, como atravessar nas faixas, é importante sempre posicionar as crianças do "lado de dentro" da calçada, viu?

Vendo e sendo visto

Ver e ser visto deveria ser a principal regra para os pedestres no trânsito, galera. Para colocá-la em prática é moleza: basta estar atento aos movimentos dos carros e certificar-se de que o motorista está realmente enxergando os outros que estão ao seu redor. Sabe o que ajuda bastante? Fazer contato visual com o condutor. ;)

As dicas de sempre nunca ficam velhas

Para finalizar, aquela regrinha básica de ter como prioridade os caminhos mais seguros e não os mais curtos para chegar ao seu destino continua valendo e muito! Por isso, nunca se esqueça de usar a faixa de segurança, ou as passarelas, para cruzar as ruas, além de respeitar os semáforos. ;)


Continuar lendo

Volta às aulas? Confira algumas dicas para escolher o transporte escolar mais seguro

transporte-volta-as-aulas.png

Chegou a hora da criançada voltar às aulas! Nesse período, a atenção dos pais deve estar voltada à segurança dos pequenos que dependem do transporte escolar. Para conferir algumas dicas sobre esse assunto, fique ligadinho no nosso post. ;)

Conhecer bem o condutor

Atenção, pais: conhecer o motorista e o jeito que ele dirige é essencial! De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o motorista da van ou do micro-ônibus de transporte escolar precisa ter mais de 21 anos, possuir habilitação na categoria D, não ter antecedentes criminais e deve ter passado por um curso de formação específica para a atividade, com atualização a cada cinco anos. Mesmo assim ficou com dúvida? Outra dica bem bacana é pedir referências para os pais de outros estudantes. =)

Segurança em primeiro lugar

Principalmente nos veículos de transporte escolar, a segurança é item indispensável! Por isso, além de utilizar os acessórios de segurança adequados à sua idade, como o cinto, as crianças também devem seguir algumas regras básicas como não ficar atrás do veículo, não se apressar para embarcar ou desembarcar e sempre respeitar o motorista. Por isso, os pais devem redobrar a atenção, sempre dando o exemplo. ;)

O trânsito é o maior responsável pela morte acidental de crianças

É isso mesmo, galera! Somente em 2017, cerca de 500 crianças e adolescentes de 0 a 17 anos perderam a vida em acidentes de trânsito, de acordo com indenizações pagas pelo Seguro DPVAT. Por isso, é importante escolher bem o transporte das crianças, afinal, a falta de segurança no trajeto de casa até a escola aumenta bastante as chances de acidentes. :(

E aí, tem mais alguma dica para esse momento de escolha do transporte escolar? Esperamos por você nos comentários! ;)


Continuar lendo

Página 1 de 8
12345678