Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Segurança

Drogas ao volante, um problema mundial

Por Rodolfo Rizzotto, Coordenador do SOS Estradas

Com o aumento do consumo de drogas em alguns países, os acidentes envolvendo motoristas sob efeito dessas substâncias vêm crescendo exponencialmente. Somente no Reino Unido, no ano passado, cerca de 8 mil condutores perderam a habilitação ao serem flagrados usando drogas ao volante.

Essa realidade não é diferente no Brasil, onde o transporte de cargas e passageiros – através de caminhões e ônibus – apresenta dados assustadores, especialmente em função da exploração do trabalho dos motoristas profissionais que, muitas vezes, consumiam drogas para conseguir dirigir sem dormir.

Nesse sentido, em março de 2016, nosso país deu um grande passo, tornando obrigatório o exame toxicológico de larga janela, o qual, através de uma pequena coleta de cabelo, pelos ou unha, consegue detectar se a pessoa é usuária regular de drogas. Nos dois primeiros anos de aplicação desse exame, nada menos de 1,2 milhão de condutores das categorias C, D e E não tiveram essas CNHs renovadas, sendo que, cerca de 900 mil ficaram sem habilitação e os demais pediram mudança para a categoria B, que permite a direção de carro e ainda não exige o exame.

O fato é que o combate ao consumo de drogas é também uma responsabilidade de quem usa, afinal, afeta a segurança de todos, especialmente no trânsito. É urgente e necessário atuar no sentido de desestimular o consumo de drogas e estimular os avanços tecnológicos, como o exame toxicológico através do cabelo, que permitem aplicar políticas de prevenção.

É necessário verificarmos que a tecnologia para desestimular o consumo de drogas existe e, usando essa poderosa arma, seremos capazes de reduzir os acidentes, a violência urbana e, principalmente, salvar vidas no trânsito.

Gostou do artigo? Clique aqui para conhecer o site do SOS Estradas, um programa que visa reduzir os acidentes e aumentar a segurança nas rodovias.

Continuar lendo

Dia Nacional do Ciclista: uma viagem pelo universo das bicicletas

Bike, magrela, camelo, kalanga, zica... são muitos os apelidos para a bicicleta, mas a verdade é uma só: ela, certamente, ocupa um espaço muito grande no coração dos brasileiros. ❤ Hoje, no Dia Nacional do Ciclista, queremos contar um pouco mais da sua história, suas curiosidades e como ela pode te ajudar a adotar um estilo de vida mais saudável. Confere só! 😉

Uma viagem no tempo

Sabia que faz 201 anos que foi lançado o primeiro modelo de bicicleta? É isso aí! A bicicleta do barão alemão Karl von Drais, de 1817, é considerada a pioneira. Batizada de "máquina corredora", ela era feita de madeira e funcionava com o impulso dos pés. O objetivo da sua criação foi oferecer um meio de transporte mais barato e fácil de manter que os cavalos. 😱 Dá só uma olhadinha em como ela era e conta para gente nos comentários o que você achou. 😉

bicicleta-von-drais.jpg 

Fonte: Gun Powder MA/Wikimedia

Será que você precisa mesmo ter um carro?

De acordo com estudo publicado no British Medical Journal, importante publicação da área médica, o chamado "deslocamento ativo" ou seja, ir de bicicleta ou a pé para atividades cotidianas, como o trabalho, está relacionado a um risco de morte 41% inferior comparado com o deslocamento feito de carro ou em transporte público. E não para por aí! Quem vai para o trabalho pedalando sofre um risco 52% menor de morrer de doença cardíaca e 40% menor de morrer de câncer.

Além de cuidar da sua saúde, ao adotar a bicicleta, você corta gastos como combustível, estacionamento, trocas de óleo, balanceamento, mecânico e eventuais retoques. Isso sem contar que as peças e eventuais reparos de uma bicicleta têm custo muito baixo quando comparados com os de um automóvel. E aí, depois desses dados, será que você precisa mesmo ter um carro? 😉

Cidade da bicicleta: o exemplo de Roterdã, na Holanda

As cidades do mundo todo estão investindo cada vez mais no transporte via bicicleta! E como por aqui a gente gosta muito de exemplo, vamos falar de Roterdã, na Holanda. Estudos afirmam que, dos 600.000 habitantes da cidade, cerca de 70.000 utilizam a bicicleta no seu deslocamento diário. Muita gente, não é? Imagina no Brasil! Por isso, a Prefeitura da cidade instalou alguns semáforos de ciclovia com sensores de temperatura infravermelhos. O objetivo é descongestionar a cidade, favorecendo o tráfego não-poluente. Se você também gosta de bike como a gente, dá até aquela vontade de fazer uma visitinha à Holanda, não é? ❤

O que o CTB fala sobre a bicicleta?

Quem circula de bike também tem direitos e deveres, pessoal! De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é necessário que a bicicleta tenha buzina, espelho e adesivos refletores na frente, atrás, nas laterais e nos pedais. Você sabia disso? 😱

Outro ponto importante é que não adianta deixar o carro em casa e ir para o bar de bicicleta, galera: o ciclista alcoolizado, apesar de não ter pontos para perder na carteira, nessa condição, pode ser multado e até preso. É bom ficar de olho!

A bicicleta na cultura popular

O Blog Viver Seguro no Trânsito também é cultura, galera! E tem vários filmes sobre bicicleta por aí, tais como "As Bicicletas de Belleville", "O Escocês Voador", "Competição de Destinos - American Flyers", "Perigo por Encomenda" e "O Caminho das Nuvens". E gente não poderia deixar de falar do mais famoso de todos, o "E.T. – O Extraterrestre" que tem uma das cenas com bicicleta mais famosa da história do cinema! Muito amor! ❤ E aí, que tal aproveitar o final de semana para assistir pelo menos um deles?

É verdade que nunca esquecemos como andar de bicicleta?

E, para encerrar esse super post, queremos matar a sua curiosidade a respeito da pergunta desse título: sim, é verdade! Isso acontece porque o sistema nervoso tem como principal característica a capacidade de reter informações nos neurônios e na rede formada por eles. No caso das atividades motoras, as informações para executar os movimentos ficam armazenadas no chamado sistema extrapiramidal, no cérebro. Quando essa parte é estimulada, o conhecimento pré-adquirido surge automaticamente e você está pronto para andar de bicicleta como se fosse a primeira vez! \o/

E aí, gostou da nossa viagem pelo universo das bikes? Tem alguma história legal com a bicicleta para compartilhar com a gente? Então, é só deixar seu comentário. Esperamos por você! ;)


Continuar lendo

Mais perigoso do que parece: usar celular na direção já é terceira causa de mortes no trânsito brasileiro

Um "olá", uma mensagem qualquer, um áudio, uma ligação. Alguns vão além: fazem fotos, vídeos para postar em redes sociais e respondem a mensagens de texto no Whatsapp. A gente sempre fala sobre os riscos do consumo de álcool, mas parecemos nos esquecer dos perigos que os celulares envolvem quando aliados à direção. Tão perigosa quanto a do álcool, a mistura celular e volante tem se configurado como uma verdadeira epidemia, pessoal. Para reforçar essa mensagem, reunimos nesse post algumas razões para você mandar essa prática para bem longe. Confere só! 🚗📱

Os números falam por si só

Como por aqui a gente gosta bastante de números, não poderíamos começar esse post de forma diferente. Recentemente, um estudo da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) revelou que o uso de celular já é a terceira maior causa de mortes no trânsito do Brasil, ficando atrás apenas do excesso de velocidade e do consumo de álcool pelos motoristas. De acordo com a instituição, são cerca de 150 óbitos por dia no país e quase 54 mil por ano ligados à utilização indevida do aparelho na hora de dirigir. Bastante coisa, não é mesmo? 😱

Riscos na direção

Mas por que o uso do celular na direção envolve tantos riscos? A resposta também está em um estudo da ABRAMET, que fez alguns cálculos bem bacanas usando dados internacionais. Um deles foi o que levamos, por exemplo, entre 8 e 9 segundos para atender a uma ligação. Se estivermos a 80 km/h, nesse período de tempo, podemos percorrer quase duas quadras desatento em relação ao trânsito. Nesse sentido, os riscos também envolvem as mensagens de texto, pessoal. Ainda de acordo com a instituição, levamos de 20 a 23 segundos para responder uma mensagem e se fizermos isso enquanto estivermos dirigindo a 60 km/h, percorremos quase quatro quadras dividindo a atenção entre o trânsito e o celular. Depois desse número, nem precisamos dizer mais nada, não é? 😰

Sim, até o uso do GPS gera riscos

Mas como toda boa regra tem sua exceção, sabemos que tem muitos condutores por aí que apenas abrem o celular para usar o GPS. Se você se encaixou nesse caso, temos uma notícia para você: todo uso do aparelho celular no trânsito gera riscos, inclusive o do GPS. Afinal, ao olhar para ele, você acaba perdendo o foco em todo o resto do trânsito. Então, se o uso do GPS for indispensável, que tal ativar o recurso de voz e não focar na tela? Assim, você garante a chegada ao seu destino e, melhor ainda, sua segurança. 😉

Punição para a prática

Desde novembro de 2016, a multa para quem usa o celular no trânsito é considerada gravíssima, pessoal. Vale lembrar que o uso de aplicativos de GPS ou similares é permitido, desde que este esteja fixado em um suporte localizado no para-brisa ou no painel do veículo. Qualquer outra situação, inclusive utilizar o celular parado no semáforo, é passível de multa. Vale ou não vale ficar mais atento ainda?

Teledependência: um nome científico para uma prática comum

Os estudos sobre a mistura celular e direção são cada vez mais comuns e ganharam um nome, pessoal: teledependência. De acordo com a ABRAMET, esse fenômeno consiste num transtorno de ansiedade, bastante comum em novos condutores, que aliam a inexperiência na direção à necessidade que a cabeça deles tem do celular. Para ilustrar a teledependência, é simples, basta a gente parar para pensar em quanto tempo a gente fica no celular por dia. Que tal fazer essa reflexão?

Através de todas essas informações, queremos te enviar uma mensagem que vale muito mais do que aquela do Whatsapp: vale tirar o olho do celular para focar em algo muito mais importante, que é a sua vida. Que tal pensar nisso antes de pegar o celular enquanto estiver dirigindo, hein? Fica a dica da Seguradora Líder!😉



Continuar lendo

Devagar e sempre: por que o trânsito melhora quando o limite de velocidade diminui?

Quando as prefeituras resolvem diminuir o limite de velocidade nas principais vias das cidades, muita gente costuma reclamar. O primeiro pensamento deve ser: como reduzir a velocidade vai ajudar a evitar os engarrafamentos? Mas temos uma notícia para você: de fato, o trânsito melhora quando o limite de velocidade das vias é reduzido. Ficou curioso para saber porquê? Se liga no post aqui embaixo e compartilha com todo mundo. =)

Sem acidentes, sem trânsito

Essa é a explicação mais simples, galera! Quanto menor a velocidade, menores são os riscos de acidentes e, por consequência, o volume de trânsito. E tem um monte de exemplos práticos desse fato. Em São Paulo, em 2015, apenas um mês depois da implementação obrigatória da redução de velocidade nas marginais da cidade, os acidentes com vítimas já haviam caído 36%, de acordo com levantamento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Bastante coisa, não é? 😨

A Física também explica

É bem verdade quando dizemos que a Física está em todo lugar, inclusive no trânsito. 😉 Neste sentido, tem um estudo super legal feito pelo Departamento de Planejamento de Helsinki, na Finlândia, que afirma que, quanto menor for a velocidade dos carros que estão à frente, maior será o intervalo que os veículos de trás tendem a manter deles, permitindo que muito mais carros passem por hora. Já tinha parado para pensar nisso? 🤔

Um pouco de arroz vai mudar o seu conceito sobre o trânsito

Mas nem só de explicações comuns vive o mundo, galera. Por isso, a gente quer dar uma outra explicação, no mínimo, inusitada: a chamada "Teoria do Funil", criada por Doug MacDonald, ex-secretário do Departamento de Transporte de Washington, nos Estados Unidos. Para ele, o trânsito é como grãos de arroz passando por um funil. Neste caso, o funil representa as marginais e o arroz, os carros. Quando não há limite de velocidade, todos os grãos caem juntos, entupindo a saída. Por outro lado, se você joga o arroz aos poucos, ele consegue passar por esse mesmo espaço de forma tranquila. Ou seja, quando o fluxo de veículos é alto, não adianta sair correndo, já que isso diminui a capacidade da via de escoar todos esses carros ao mesmo tempo. Pode confessar: depois dessa, você nunca mais você vai ver o arroz da mesma forma, não é? 😂

Através desses exemplos práticos, já deu para perceber que nosso objetivo por aqui é te incentivar a ir mais devagar no trânsito, não é mesmo? Com isso, todo mundo sai ganhando, inclusive você. 😗


Continuar lendo

Seguir o carro de um amigo aumenta o risco de acidentes

A gente quer aproveitar o Dia do Amigo para falar de uma situação bem comum quando viajamos para um local desconhecido com um amigo. É a famosa frase "Me segue que eu conheço o caminho". Nesses momentos, a camaradagem parece mesmo ser uma solução bem melhor do que qualquer GPS, mas essa pode ser uma situação de risco. E a gente vai explicar direitinho o porquê, galera. Cola aqui no nosso post. 😉

Comprovação científica

Um estudo realizado pela Universidade do Estado do Arizona, nos Estados Unidos, comprovou que condutores que seguem outros veículos estão mais propensos a fazer manobras arriscadas e, por consequência, sofrer acidentes. Os resultados vieram de uma pesquisa inspirada em um processo judicial, que tratava de um acidente grave envolvendo um carro que seguia outro. 😥😨 Até então, não havia nenhuma certificação científica de que a prática pudesse ser perigosa. Os cientistas fizeram então simulações com jovens entre 18 e 22 anos, onde, na primeira etapa do experimento, foi requerido que eles dirigissem como quisessem, sob influência do GPS e, por último, seguindo outro motorista.

Por que é perigoso seguir alguém de carro?

Uma das conclusões que os cientistas da Universidade do Arizona chegaram foi que, no momento que o motorista segue outro veículo, ele acaba fazendo curvas com menos cuidado, estando mais propenso a passar em sinais vermelhos e a cortar a passagem dos pedestres. Isso ocorre porque ele está motivado diretamente pelo medo de se perder, galera. Já aconteceu com você? 😧

Confie no GPS!

A gente mostrou que não dá para confiar muito no "me segue que eu conheço o caminho", não é? Para garantir a segurança da sua viagem, quando um colega se oferecer para dirigir na frente, a boa é colocar o destino no GPS, estudar o mapa ou simplesmente oferecer aquela carona esperta. Ganhar um copiloto que conhece cada pedacinho do lugar para onde vocês estão indo não é nada mal. 😌🤗

Para garantir muito mais anos de amizade, a boa é seguir sempre com segurança, galera! E, para isso, é preciso estar sempre ligado nas suas atitudes, viu? Então, já sabe: se um amigo se oferecer para dirigir na frente, mostrando o caminho, o melhor a se fazer é negar para evitar acidentes graves. Sua segurança agradece. Fica a dica! 😉


Continuar lendo

Mulheres no trânsito: sinônimo de prudência e segurança

As mulheres estão mandando muito bem no trânsito! ❤ O que comprova são os dados divulgados pela Seguradora Líder no Boletim Estatístico Especial "Mulheres no Trânsito": em 2017, do total de quase 384 mil indenizações pagas pelo Seguro DPVAT, apenas 25% foram destinadas às mulheres, frente a 75% dos homens. 😧😨 E, para conferir tudinho desse Boletim, é só continuar acompanhando o nosso post! 😉

Carinho e cuidado, a gente vê por aqui

As mulheres tendem a ser mais atentas na direção ou nas ruas. =) Além disso, elas costumam respeitar mais as normas e leis de trânsito, como o uso do cinto de segurança e da cadeira infantil e isso reflete diretamente nos números, pessoal. De acordo com o Boletim Especial, em casos de acidentes de trânsito envolvendo morte, por exemplo, a diferença no pagamento das indenizações é ainda maior: 82% das vítimas são do sexo masculino. Bastante coisa, não é?

Mulher no volante, segurança constante

O menor risco associado à mulher ao volante também pode ser verificado pelas estatísticas referentes ao condutor do veículo, pessoal. Em 2017, apenas 7% das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT foram para motoristas do sexo feminino, contra 42% para motoristas do sexo masculino. É pra pensar!

Destaque para a região Sudeste

Uma das coisas mais legais sobre o Boletim Especial é que esse documento traz, de forma inédita, o número de indenizações pagas do Seguro DPVAT para mulheres por região. O destaque vai para a Região Sudeste onde, em 2017, o percentual de pagamentos por morte e por invalidez permanente chegou a 37% e 28%, respectivamente, ficando abaixo dos 42% de concentração de mulheres nesta região. Bastante coisa, não é? 😨

Reconhecimento pelo mercado segurador

Mas não é só a Seguradora Líder que pensa que as mulheres são mais prudentes no trânsito, galera! Algumas seguradoras do ramo "auto" criaram planos especiais para elas, que custam de 10% a 30% menos que para os homens. O motivo é que as condutoras se envolvem, em sua grande maioria, em acidentes pequenos, sem muita gravidade. 👍😉

O Boletim Estatístico Especial "Mulheres no Trânsito" nos ajuda a mostrar que as mulheres têm ganhado cada vez mais espaço no trânsito e que o preconceito não está com nada, pessoal. E você, também concorda que as mulheres são mais prudentes ao volante? Compartilha com a sua gente a sua opinião aqui nos comentários! Esperamos por você!



Continuar lendo

Menos pressa para garantir mais segurança

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a infração mais cometida no trânsito brasileiro é o desrespeito aos limites de velocidade. L E, como por aqui gostamos bastante de dados, vamos te dar um exemplo prático: somente em 2016 foram aplicadas quase 2 milhões e 300 mil multas por excesso de velocidade nas rodovias federais. Bastante coisa, não é? 😥

Para falar dos perigos de não respeitar os limites de velocidade, reunimos nesse post algumas curiosidades sobre o tema, como a legislação brasileira, a relação dos excessos com o número de acidentes e as sanções aplicadas em caso de desrespeito. Continue ligado para conferir! 😉

O que diz a Legislação Brasileira?

Está no Código de Trânsito Brasileiro, também conhecido como CTB, a maior parte das regras que organiza o fluxo nas vias do nosso país, inclusive os limites de velocidade a serem adotados nas ruas, avenidas, rodovias e estradas, pessoal. O artigo 61 estipula o seguinte:

30 km/hVia Local – ruas de pequeno porte, com cruzamentos sem semáforo, pouco fluxo de trânsito e utilizadas normalmente para circulação local.

40 km/hVia Coletora – ruas que permitem o acesso e saída das vias arteriais, normalmente com semáforos e que permitem a circulação dentro de uma região da cidade.

60 km/hVia Arterial – avenidas com semáforos, cruzamentos e grande fluxo de trânsito, que ligam regiões de uma cidade.

60 km/hEstradas – vias não pavimentadas (terra, ferro, calçamento de pedras)

80 km/hVia de Trânsito Rápido – vias com diversas faixas, sem semáforos, sem trânsito de pedestres e com grande extensão.

110 km/hRodovias – automóveis, caminhonetes e motos em rodovias pavimentadas e asfaltadas. Os demais veículos devem seguir a 80 km/h.

Agora que você já está familiarizado com os limites de velocidade no nosso país, não tem desculpa para não cumpri-los, não é mesmo? 👍😁

Riscos explicados pela Física

Sabe o que ajuda a explicar os perigos do excesso de velocidade? A Física, galera! \o/ As velocidades mais altas estão diretamente relacionadas ao aumento da chance de mortes de pedestres e ciclistas em acidentes de trânsito. Quer um exemplo? Se um acidente ocorre com o carro a 30 km/h, a probabilidade de morte de pedestres e ciclistas é de 10%. Com o aumento de 10 km/h, indo para 40 km/h, a probabilidade aumenta para 30%. A progressão se torna ainda mais assustadora quando o veículo está a 50 km/h, onde a probabilidade de morte vai para 85%. O melhor é desacelerar, né? ✋

Mas o que acontece se desrespeitarmos os limites de velocidade?

Além de acidentes, desrespeitar os limites de velocidade acarreta multas que, desde 1º de novembro do ano passado, variam de R$ 130,16, quando a velocidade for superior à máxima em até 20% (mais a perda de 4 pontos na carteira) a R$ 880,41 (mais a perda de 7 pontos na carteira), quando a velocidade for superior à máxima em mais de 50%.

Como os limites de velocidade são estipulados?

Essa é uma curiosidade bastante frequente, pessoal! Em todo o país, a velocidade máxima de circulação dos veículos depende de estudos do órgão ou entidade de trânsito responsável pelo local. Essa análise, que visa à segurança dos usuários, leva em conta as peculiaridades geográficas de cada via e as condições de tráfego, como relevo, volume de uso, dentre outros fatores. Isso explica porque as zonas com escolas e interseções, por exemplo, tem um limite de velocidade bem menor. 😉

Como você pode ver, respeitar os limites de velocidade no trânsito tem uma influência enorme na segurança de todos aqueles que compartilham este espaço público, construído por pessoas. Então, que tal desacelerar e conviver de forma mais saudável, segura e harmônica nesse ambiente? Devagar e sempre, a gente chega longe! 🤗🤗🤗



Continuar lendo

Como a Engenharia de Tráfego ajuda a melhorar o trânsito

Com o caos do trânsito das grandes cidades, a gente sabe que é difícil acreditar que existe toda uma ciência por trás do tráfego. Mas é isso aí, galera: cada pedacinho do trânsito da cidade é pensado e você é o elemento principal dessa circulação. 😉 Já ouviu falar em Engenharia de Tráfego ou em Engenharia do Trânsito? Se a sua resposta a essa pergunta for não, então, esse post é para você. Fique ligadinho! ❤

A Engenharia de Tráfego é um importante ramo da Engenharia no setor de transportes, prevista no Capítulo VIII do Código de Trânsito Brasileiro, o famoso CTB, em seu artigo 91. Em termos mais simples, trata-se de uma área que tenta solucionar questões que envolvem a operação, o planejamento e o controle do tráfego. É importante que o fluxo e a circulação de veículos e de pessoas aconteça de maneira segura e ágil, por isso, eles atuam em soluções para quando o trânsito está congestionado ou há interrupção do fluxo, garantindo segurança, comodidade e rapidez. Olha quanto amor nessa atividade! 😉

Como ela contribui para o trânsito brasileiro?

Uma das principais contribuições da Engenharia de Tráfego se reflete num problema super comum nas grandes cidades: a diminuição dos congestionamentos. 😉 Para isso, as cidades brasileiras contam com o chamado CET, sigla para Companhia de Engenharia do Tráfego. Os CETs são responsáveis por operar e implantar tecnologias para o controle de tráfego e, muitas vezes, contam com a ajuda da população que indica os lugares mais congestionados ou que apresentam algum tipo de interrupção. O resultado disso? Impacto positivo para todo mundo! ❤

O que tem a ver com a Legislação de Trânsito?

Todos os projetos e operações realizados pela Engenharia de Tráfego estão diretamente ligados à criação das regras de trânsito no país, pessoal. Quer saber como? As resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) são definidas em conjunto com diversas Câmaras Temáticas, compostas, em geral, por especialistas em Engenharia de Tráfego. E a gente sabe que, nada melhor do que especialistas para dizer o que o trânsito precisa, não é mesmo? 😉

Neste post, nosso objetivo é mostrar para você que a Engenharia de Tráfego, em conjunto com a educação e a fiscalização, sustenta o trânsito, proporcionando mais segurança nos deslocamentos. No entanto, não é somente essa área a responsável pela segurança dos condutores de veículos automotores e dos pedestres. É também necessário que todos tenham consciência ao se locomover nas vias, afinal, nós somos o trânsito. E aí, o que podemos fazer para tornar o trânsito melhor para todos, colaborando com o trabalho da Engenharia de Tráfego? Esperamos por você nos comentários! 👇



Continuar lendo

Cuidado com o golpe do Seguro DPVAT

O telefone tocou falando que era do Seguro DPVAT e oferecendo ajuda para dar entrada no benefício ou para receber a sua indenização mais rápido? Cuidado, você pode ser uma vítima do golpe do Seguro DPVAT, onde pessoas se aproveitam de momentos frágeis como os acidentes de trânsito para receber seu benefício por você. L Quer saber como se proteger dessas tentativas? É só ficar ligadinho no nosso post. ;)

Como evitar o golpe do Seguro DPVAT?

O golpe consiste em uma pessoa entrando em contato com o beneficiário para oferecer serviços ou facilidades, como dar entrada no seu benefício para você ou, até mesmo, fazer com que você receba seu benefício de forma mais rápida. L Essas promessas, na maioria das vezes, fazem com que esse importante benefício social não chegue aos seus beneficiários de direito. Bem triste, não é? :(

Para evitar que isso aconteça, estamos aqui para te dizer que nenhum funcionário da Seguradora Líder, administradora do Seguro DPVAT no país ou de qualquer seguradora consorciada, está autorizado a entrar em contato com vítimas ou beneficiários para oferecer qualquer tipo de serviço. Fique ligado: pedir, acompanhar e receber a indenização do DPVAT são serviços gratuitos e você mesmo pode fazê-los! <3

Como receber mais rápido?

Essa é uma das promessas mais feitas pelos aproveitadores, galera, mas só aqui você encontra a dica certa! Quer receber a indenização do Seguro DPVAT de forma mais rápida? Basta apresentar a documentação correta logo no início do seu pedido e acompanhar de pertinho as movimentações lá no site da Seguradora Líder, onde você receberá as informações seguras sobre todas as etapas de análise até o recebimento. Ah, informação importante: vale lembrar que a indenização do Seguro é liberada em até 30 dias quando o pedido é feito de forma correta, pessoal! ;)

Como você pode fazer a sua parte: Canal de Denúncias

A gente também conta com a sua ajuda no combate às fraudes! Foi vítima ou ficou sabendo de algum caso em que as pessoas tenham solicitado a indenização do Seguro DPVAT sem que tenham se ferido em acidente de trânsito? Faça a sua parte e denuncie através do 0800 022 12 05 ou clicando aqui. As ligações são gratuitas e em nenhum dos dois canais é necessário se identificar. ;)

O que estamos fazendo para combater às fraudes por aqui?

Por aqui, a gente também está de olho em qualquer tentativa de fraude, galera! 💪 Por isso, temos a Operação Tolerância Zero às Fraudes à todo vapor. Em parceria com as autoridades competentes e tendo a tecnologia como principal aliada, de janeiro a maio deste ano, as iniciativas proativas da Seguradora Líder já resultaram em 22 sentenças condenatórias, 39 condenados, 12 cancelamentos, suspensões ou cassações de registros em órgãos de classe e 14 prisões em todo o Brasil. ;)

Através desse post, nosso objetivo foi fazer com que você fique cada vez mais atento ao golpe do Seguro DPVAT que, além das ligações, também pode ser oferecido nas portas de hospitais e até mesmo, nas funerárias. 😣 A boa é nunca assinar documentos e nunca entregar seu dinheiro para falsos consultores. Tenha sempre em mente que solicitar o Seguro DPVAT é um procedimento simples e que você conta com uma série de pontos de atendimento autorizados da Seguradora Líder para isso. 😍 Ficou com alguma dúvida? Não tem problema, é só falar com a gente por aqui. 👇 Esperamos por você!



Continuar lendo

Os resultados de 10 anos de Lei Seca

​No dia 19 de junho, há 10 anos, fora da realidade das redes sociais, smartphones e aplicativos, uma frase começava a surgir no nosso cotidiano: “Se beber, não dirija”. Utilizada em campanhas publicitárias, ela passou a ser divulgada de uma forma mais ampla após a aprovação da Lei 11.705, a Lei Seca, em 2008. ❤ E, desde então, os resultados positivos de evitar a mistura álcool e direção só crescem. Quer saber quais são? É só ficar ligadinho no nosso post especial de uma década de Lei Seca. 😉

Como surgiu?

Criada em 2008 pelo deputado federal Hugo Leal para tentar frear o elevado número de acidentes envolvendo condutores alcoolizados, a Lei 11.705 mudou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) ao reduzir a zero a tolerância na ingestão de álcool ao volante, configurando a prática como crime apenas com o exame de sangue ou com o famoso “bafômetro”. Uma mudança e tanto, não é, galera? 😍🖖

Resultados que já evitaram mortes equivalentes a 80 aviões cheios

Um estudo conduzido pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), divulgado no último ano, aponta que, entre 2008 e 2016, a Lei Seca teria evitado a morte de quase 41 mil pessoas. Esse número equivale a mais de 80 aviões Boeing 747 cheios de passageiros, galera! 😯 Evitando essas mortes, a economia brasileira também ganhou. Ainda de acordo com o estudo, levando em consideração a continuidade dessas pessoas no mercado de trabalho e o custo decorrentes destes acidentes, foi evitada uma perda de R$ 74,5 bilhões, considerando valores de 2016. 

Inspiração para outras ações

​Tendo a Lei Seca como inspiração, em abril deste ano mais uma lei, dessa vez a de número 13.546/17, entrou em vigor aumentado o rigor na punição aos motoristas que conduzirem veículos sob efeito de álcool ou outras substâncias psicoativas e causarem acidente. Agora, esses condutores sofrerão aumento da pena em regime fechado, não havendo possibilidade de pagamento de fiança, e suspensão ou proibição do direito de obter habilitação para dirigir. Você confere todos os detalhes dessa grande conquista clicando aqui. 😉

Mistura álcool e direção ainda é preocupação

Apesar dos resultados positivos obtidos pela Lei Seca, a mistura álcool e direção ainda requer preocupação, pessoal. De acordo com o Ministério de Saúde, 21% dos acidentes registrados no país ainda estão relacionados ao consumo de álcool. 🚫🍺 Isso se torna ainda mais grave ao analisarmos dados como o do Boletim Estatístico de Maio da Seguradora Líder, que mostra que 16.670 indenizações por morte foram pagas apenas nos primeiros cinco meses desse ano. É ou não é para tomar cuidado? 

Apesar dos resultados positivos, a Lei Seca não deve ser o único motivo para não dirigir depois de beber, pessoal. Precisamos ter em mente que reduzir os índices de acidentes de trânsito causados por essa ingestão não deve ser só encarado como um motivo de eventual multa ou prisão, mas sim como conscientização de que está em nossas mãos o poder de evitar acidentes e construir um trânsito muito melhor para todos. 😉 E aí, o que você pensa sobre esse tema? Queremos te ouvir! Compartilhe a sua opinião com a gente aqui nos comentários!



Continuar lendo

Página 1 de 9
123456789