Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Categoria: Seguro DPVAT

Vencimentos da cota única do IPVA são prorrogados em 7 estados

O cenário mundial tem mudado drasticamente nos últimos meses diante da pandemia de Coronavírus (COVID-19) e, aqui no Brasil, sentimos cada vez mais os impactos. Na última semana, alguns Estados divulgaram, por meio de suas Secretarias de Fazenda, mudanças nos prazos de pagamento da cota única do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2020.

Para os proprietários de veículos dos Estados do Amapá, Goiás, Maranhão e Mato Grosso, as datas da cota única do IPVA sofreram mudanças e, por isso, houve também prorrogação do prazo de pagamento do Seguro DPVAT. Confira abaixo as mudanças de acordo com o Estado:

Amapá: O vencimento para todas as placas e categorias de veículos passou para o dia 15 de abril.

Goiás: Sofreram alteração somente os finais de placa 1, 2, 3, 4 e 5, e agora, os proprietários destes veículos tem até o dia 6 de agosto para quitar o IPVA e o Seguro DPVAT.

Maranhão: Os vencimentos foram alterados para diferentes datas do mês de maio, de acordo com os finais de placa.

Mato Grosso: Sofreram alteração somente os finais de placa 4, 5, 6 e 7. Para os dois primeiros, os proprietários de veículos passam a ter até o dia 29 de maio para quitar a cota única e o Seguro DPVAT, enquanto para os dois últimos, o vencimento passou para o dia 28 de junho.

Rondônia: Sofreram alteração somente os finais de placa 1, 2 e 3, e agora, os proprietários destes veículos tem até o dia 30 de abril para quitar o IPVA e o Seguro DPVAT. Já os veículos com placa final 4 têm até o último dia útil de maio para quitar o pagamento.

Piauí: O vencimento para todas as placas e categorias de veículos passou para o dia 30 de junho.

Roraima: os vencimentos começam em 30 de junho e encerram em 30 de dezembro, a depender do final de placa de cada veículo.

As informações já estão atualizadas no site da Seguradora Líder e você pode conferir informando a sua UF, final da sua placa e categoria. Clique aqui e saiba mais. ;)

Tem mais alguma dúvida sobre o Pagamento do Seguro DPVAT? É só comentar que a gente te responde!

Continuar lendo

Saiba como pedir a restituição do Seguro DPVAT 2020


Pagou o Seguro DPVAT 2020 com o mesmo valor do ano passado? Então, você tem direito à restituição do valor pago a mais! Para saber como fazer o procedimento, o blog Viver Seguro no Trânsito preparou um post especial que explica de forma rápida e simples o passo a passo. Dá uma olhada!

1. Primeiro você vai precisar acessar o site disponibilizado pela Seguradora Líder para pedir a restituição do valor do Seguro DPVAT 2020. É só acessar o https://restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br/ e a devolução da diferença dos valores pagos será feita diretamente na conta corrente ou conta poupança do proprietário do veículo.

2. Em seguida, você vai precisar informar alguns dados no formulário: CPF ou CNPJ do proprietário, Renavam do veículo, e-mail de contato, telefone de contato, data em que foi realizado o pagamento a maior, valor pago, banco, agência e conta corrente ou conta poupança do proprietário.

3. Depois de realizar a solicitação, o proprietário vai receber por e-mail um código de protocolo. Para acompanhar o andamento da solicitação, basta acessar o site e clicar na opção “Consulta” e inserir o número recebido.

4. Pronto! Agora é só aguardar. Se todos os dados estiverem corretos, o valor estará na conta corrente ou poupança do proprietário em até 3 dias úteis.

Confira abaixo os valores que serão restituídos em 2020:


Ficou com alguma dúvida sobre o passo a passo ou teve problemas com sua restituição? Manda uma mensagem pra gente clicando aqui ou comente aqui embaixo que iremos te ajudar!


Continuar lendo

Saiba como dar entrada no seu pedido pelo App Seguro DPVAT

Diante das últimas notícias e acontecimentos relacionados ao coronavírus, a gente sabe que o melhor a se fazer é ficar em casa né, galera? Pensando nisso, o Viver Seguro no Trânsito resolveu fazer um tutorial para te ajudar a dar entrada no seu pedido de indenização ou reembolso utilizando o aplicativo Seguro DPVAT. Quer saber mais? Então fica ligado no post!

Para começar, acesse a loja virtual do seu smartphone, Google Play ou Apple Store, e procure o Aplicativo “Seguro DPVAT”, como no ícone abaixo:

Após abrir o aplicativo, vai selecionar a opção “Sou vítima ou beneficiário ou representante legal”. Caso seja seu primeiro acesso, na tela seguinte você vai realizar um “Cadastro” e informar e-mail, CPF e data de nascimento, telefones e outras informações.

Após realizada essa etapa, você vai precisar conferir seu e-mail e usar a senha provisória que receber para iniciar a navegação na plataforma. Com ela, será possível realizar o login. Não esqueça: altere a sua senha e, depois comece a cadastrar um “novo pedido” do Seguro DPVAT.

Pedidos de indenização do Seguro DPVAT:

Depois de realizado o cadastro no aplicativo, você vai começar a completar as informações como tipo de cobertura, dados pessoais da vítima e data, hora e informações do acidente de trânsito.

Depois de inserir todos os dados pessoais, você vai precisar digitalizar os documentos. Clique no “ícone da câmera” ao lado de cada documento para fotografar a imagem. Caso o documento possua mais de uma foto, após a primeira captura, selecione a opção “mais fotos”. Depois de anexar tudo, basta enviar o seu pedido.

Lembre-se: os documentos são os dados que comprovam as informações selecionadas anteriormente, portanto, tenha cuidado e verifique se, após fotografar, as informações se encontram todas visíveis.

Sem pressa!

Quando for realizar esse procedimento, faça com tempo e calma! Leia com muita atenção todas as dicas e instruções no aplicativo para cadastrar o seu pedido e verifique se todas as informações que inseriu no pedido estão certas. Realizar o procedimento corretamente e sem nenhum erro é extremamente importante para que a indenização ocorra de forma mais rápida.

Tutoriais

Se ainda ficar com alguma dúvida, temos dois materiais que podem te ajudar:

Um deles está disponível no Slideshare, rede para compartilhamento de apresentações, que você confere aqui.

O outro é um tutorial em vídeo, disponível no nosso YouTube, que você confere aqui:

E lembre-se, estamos sempre por aqui nos comentários!


Continuar lendo

Saiba como pagar o Seguro DPVAT 2020

Não sabe como emitir sua guia para fazer o pagamento do Seguro DPVAT? O blog Viver Seguro no Trânsito traz um vídeo tutorial que explica, de forma rápida e simples, o passo a passo necessário. Se liga no post!

Não se esqueça que o Seguro DPVAT deve ser pago, uma única vez ao ano, junto ao vencimento da cota única ou da primeira parcela do IPVA ;)


Continuar lendo

Usar o cinto não custa nada, mas não usá-lo pode custar sua vida

Uma pesquisa realizada este ano nas rodovias paulistas mostrou que 27% dos passageiros de automóveis em bancos traseiros não usam cintos de segurança. O equipamento é de uso obrigatório e a falta do cinto é uma das principais causas de mortes e ferimentos graves em acidentes de trânsito. Nos bancos dianteiros, o levantamento mostrou que 94% dos motoristas e 91% dos passageiros usam o cinto.

O uso do equipamento por passageiros de ônibus nas linhas rodoviárias é baixo: em média, menos de 10% utilizam. Caminhoneiros também resistem. É possível ver inúmeros vídeos feitos pelos próprios condutores, postados na internet, sem o uso do cinto de segurança. Sem contar que muitos deles transportam ajudantes e, até mesmo, familiares sem o uso do item.

Estudos realizados por entidades de ortopedistas no Brasil e no mundo já identificaram que a utilização do cinto de segurança reduz em até 70% o risco de mortes e graves lesões. Além do mais, a lei determina que todos os ocupantes do veículo façam uso do equipamento.

Somente nas rodovias federais brasileiras, mais de 60 mil pessoas morreram em acidentes nos últimos 10 anos e cerca de 600 mil ficaram feridas. No Brasil, mais de 40 mil pessoas morrem em acidentes de trânsito todos os anos, conforme revelam os números de indenizações pela cobertura de morte do Seguro DPVAT.

Portanto, temos todos os dados e informações para que façamos uso do equipamento que, até hoje, mais salvou vidas no trânsito: o cinto de segurança. A utilização desse item, além de proteger os ocupantes em casos de acidente, pode evitar que ele ocorra. Em uma freada brusca, o passageiro do banco traseiro, terá seu corpo projetado, muitas vezes, nas costas do motorista, que poderá perder o controle do veículo, colidir, sair da pista ou capotar.

Usar o cinto não custa nada, mas não usá-lo pode custar sua vida e de quem você mais ama.

Continuar lendo

Seguro DPVAT vence até o fim de janeiro em diversos estados

Chegou a hora de pagar o Seguro DPVAT 2020. Cobrado anualmente junto ao vencimento da cota única ou primeira parcela do IPVA, o seguro garante a sua proteção em caso de acidentes de trânsito envolvendo morte, invalidez permanente ou reembolso de despesas médicas e suplementares (DAMS). E em alguns Estados, o vencimento vai até esta sexta-feira, dia 31/01. O calendário de vencimento está disponível para os proprietários de veículos por meio do site da Seguradora Líder, onde o boleto pode ser gerado. Para conferir, basta clicar aqui.

O vencimento para os proprietários de veículos de alguns estados e com alguns finais de placa já tiveram seu vencimento ao longo de janeiro, como é o caso de Minas Gerais e Paraná. Para os proprietários com final de placa 1 e 2 no Acre; todas as placas do Ceará, Piauí e Mato Grosso do Sul; com final de placa 8 no Rio de Janeiro; e finais de placa 1 em Santa Catarina, Mato Grosso e Paraíba; o prazo vai até esta sexta-feira. Fique atento ao prazo!

Lembre-se que além da quitação ser uma condição obrigatória para que os proprietários obtenham o Certificado de Registro e Licenciamento Veicular (CRLV), documento de comprovação do licenciamento anual do veículo, ele ainda é responsável por garantir a proteção de mais de 210 milhões de brasileiros em caso de acidentes de trânsito envolvendo morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas.


Continuar lendo

Devolução de R$ 550 para quem pagou o Seguro DPVAT entre 2014 e 2019 é #FakeNews!

Nos últimos dias, uma falsa informação sobre a devolução de R$ 550 para quem pagou o Seguro DPVAT entre 2014 e 2019, começou a ser compartilhada via Whatsapp. Mas fique atento, essa é uma tentativa de golpe! Para te ajudar a fugir das #FakeNews, confira as informações corretas de quem tem direito à restituição da diferença de valores do Seguro DPVAT no nosso post.

Pagamento de 2020

A informação de que os proprietários de veículos que pagaram o Seguro DPVAT entre 2014 e 2019 teriam direito a uma devolução de R$ 550 é falsa. Desde o dia 15 de janeiro, a Seguradora Líder disponibilizou um site para a restituição da diferença de pagamento aos proprietários de veículos que pagaram o Seguro DPVAT de 2020 com o valor de 2019. E é importante lembrar que a solicitação deve ser feita diretamente pelo site https://restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br/. Desconfie se alguém mandar um caminho diferente e aproveite para orientar sobre a forma correta!

Como pedir a restituição da diferença de valor do Seguro DPVAT 2020?

Caso você tenha feito o pagamento do exercício Seguro DPVAT 2020 com o valor de 2019, você tem direito a pedir sua restituição. Para isso, acesse o site https://restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br e tenha em mãos:

- CPF ou CNPJ do proprietário;

- Renavam do veículo;

- E-mail de contato;

- Telefone de contato;

- Data em que foi realizado o pagamento a maior;

- Valor pago;

- Banco, Agência e Conta corrente ou conta poupança do proprietário.

Restituições de anos anteriores

Apesar de não haver nenhum ressarcimento de R$ 550 para pagamentos em anos anteriores, proprietários de veículos que, por ventura, tenham pago o Seguro DPVAT do mesmo ano duas ou mais vezes, podem pedir a devolução dos valores acessando o https://www.seguradoralider.com.br/Contato/Duvidas-Reclamacoes-e-Sugestoes.

E se tiver dúvidas sobre o direito à restituição, você conta com nossos canais de atendimento, disponíveis clicando aqui ou aqui, ou pelo nosso Facebook.

Continuar lendo

Está na hora de você escolher de que lado está

A importância das leis de trânsito, a conscientização dos motoristas e a punição para os infratores sempre são temas de discussão e ganham ainda mais notoriedade em momentos com aumento do número de acidentes, como o fim de ano. Dificilmente, o motorista que nunca teve uma multa grave estará envolvido em um acidente com vítimas fatais. Mas, na maioria absoluta, quando verificamos o histórico dos assassinos do trânsito lá estão diversas multas graves e gravíssimas. Muitos desses irresponsáveis conseguem fugir da punição, deixando um rastro de morte para trás e sem serem identificados. Outros, mesmo quando a culpa é evidente, conseguem protelar as condenações e garantir a prescrição ou penas alternativas.

Como se a dor dos familiares que perderam seus entes queridos pudesse ser paga com um punhado de quilo de feijão, como sempre compara Fernando Diniz, presidente da ONG Trânsito Amigo, que perdeu seu filho num acidente de trânsito causado por alguém que jamais foi punido. Assim como Diniz, cerca de 40 mil famílias choram seus mortos no trânsito todos os anos, conforme atestam os números de indenizações pagas pelo Seguro DPVAT na cobertura de morte.

Muitos dos que atacam as punições aos infratores alegam que precisamos de educação no trânsito e não punições. Sim, a educação no trânsito deve ser constantemente ampliada e propagada. Mas é preciso também lembrar que quem tem habilitação foi preparado e passou pela formação nas autoescolas, recebendo orientações sobre limites de velocidade, os locais em que a ultrapassagem é permitida, significado das sinalizações, etc.

Na Suécia, um dos povos mais educados do mundo, a tolerância com os infratores é zero. Na sociedade brasileira, é preciso assumir em que lado está da segurança do trânsito, e da preservação da vida, e aproveitar o novo ano para uma nova postura no trânsito.


Continuar lendo

Beneficiários podem enviar documentos pendentes pelo site da Seguradora Líder

Os beneficiários que precisam entregar documentos que estão pendentes do seu pedido de indenização do Seguro DPVAT já podem fazer isso de forma prática e sem sair de casa! Legal né? Acompanhe o post do blog do Viver Seguro no Trânsito e saiba mais sobre essa nova iniciativa da Seguradora Líder para agilizar e simplificar o processo de análise e liberação dos pedidos do seguro de acidente de trânsito.

Como fazer?

O novo recurso para envio de documentação já está disponível no site da Seguradora Líder e pode ser encontrado clicando aqui. Para acessar, tenha em mãos o número do CPF e o número do sinistro.

Fique atento!

No primeiro acesso, fique atento a todas as orientações que aparecem na mensagem explicativa assim que a página abre no seu dispositivo! Toda a documentação pendente deverá ser enviada de uma única vez. Também é necessário seguir às orientações quanto ao formato e limite de tamanho de cada arquivo. Todos devem estar com a extensão em *pdf e a soma dos arquivos não pode ultrapassar os 128 MB.

Além disso, para poder concluir o envio de documentação nos pedidos de indenização pela cobertura de morte, é necessário que o material de todos os beneficiários previstos na cobertura, sejam enviados de uma única vez.

Não deixe de ler todas as orientações para que o envio seja feito corretamente e seu pedido consiga ser analisado de forma mais rápida. 😉


Continuar lendo

Credibilidade das estatísticas das vítimas de trânsito correm risco

Ao propor o fim do DPVAT, o Governo deixa o país sem a única fonte independente e confiável para sabermos quantos mortos, feridos e inválidos temos no Brasil em decorrência dos acidentes de trânsito. Como os números do DPVAT são baseados em indenizações pagas para os familiares dos mortos ou para as próprias vítimas, são os dados mais próximos da realidade. Inclusive, a metodologia é a mesma em todo o território nacional, permitindo identificar tendências, inclusive por tipo de condutores.

Foi por meio dos dados do Seguro DPVAT que ficou evidente o surgimento de uma geração de inválidos em decorrência de acidentes envolvendo motocicletas: descobrimos que mais de 70% das indenizações por invalidez permanente são pagas há anos aos condutores de motos, veículos que representam ¼ da frota nacional.

Pelos números fornecidos pelo seguro obrigatório sabemos sexo, faixa etária das vítimas fatais e feridas. Nem mesmo os dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) nos permitem um histórico seguro pois, desde 2015, somente são registrados os acidentes com vítimas, e muitas das ocorrências com lesões leves não são registradas. Em outros casos, as vítimas desenvolvem complicações após o acontecimento e os que aparentemente não apresentam nenhuma lesão, podem, até mesmo, morrer, algum tempo depois do acidente.

Portanto, com o possível fim do DPVAT, ficaremos sem importantes dados de uma fonte independente.


Continuar lendo

Página 1 de 16
12345678910...