Ir para conteúdo principal Ir para menu principal Ir para menu do rodapé Ir para menu Categoria Ir para menu Arquivo
Logon

Viver Seguro no Trânsito

Nós estamos fazendo nossa parte. E você?
Início do conteúdo

Programa Recomeço completa 1 ano

Você já conhece o Programa Recomeço? A iniciativa da Seguradora Líder que tem o objetivo de dar apoio aos beneficiários do Seguro DPVAT na reinserção no mercado de trabalho após a recuperação do acidente de trânsito está completando 1 ano de lançamento! Neste post especial do blog Viver Seguro no Trânsito, vamos falar sobre os avanços do Programa e como você pode participar ou ajudar alguém a conquistar uma nova oportunidade.

Como funciona o Programa Recomeço?

O Programa Recomeço conta com uma Plataforma Digital, disponível em www.seguradoralider.com.br/recomeco, que permite a disponibilização de vagas pelas empresas parceiras e o cadastramento dos interessados em uma nova oportunidade de emprego. Mas fiquem atentos pessoal: é preciso ser beneficiário do Seguro DPVAT para se cadastrar no Portal de Oportunidades e se candidatar às vagas. Um ano depois do lançamento do programa, 32 empresas estão cadastradas e mais de 570 beneficiários com currículo ativo na plataforma virtual do Recomeço. As empresas devem enviar em e-mail para recomeco@seguradoralider.com.br manifestando o desejo de se tornarem parceiras.

Qualificação Profissional

O programa também já formou duas turmas em cursos de qualificação profissional ministrados na Escola Nacional de Seguros (ENS). Beneficiários do Rio de Janeiro e São Paulo já tiveram as esperanças e expectativas renovadas para sua recolocação no mercado de trabalho. O conteúdo programático incluia temas como atendimento ao cliente; conceitos básicos de seguros; língua portuguesa; orientação profissional; matemática financeira; rotinas administrativas e informação básica. Ao todo, foram 84h de formação.

História de Recomeço

Janilson Júnior foi um dos participantes da turma-piloto de 2018 e conseguiu a sua recolocação por meio do projeto, integrando a área Jurídica da Seguradora Líder Atualmente com 33 anos, foi vítima de dois acidentes de trânsito – um aos 9 anos de idade e outro em 2010 – que provocaram sequelas permanentes. “Antes do programa, estava sem expectativas, por estar fora do mercado de trabalho. Agora, sinto que posso voltar a sonhar e concluir a faculdade de Administração, que interrompi no 6º período”, afirma ele.

Conhece alguém que gostaria de participar ou uma empresa que quer ser parceira do Programa Recomeço? Marca ele aqui no post!

Continuar lendo

Acidentes com motocicletas já respondem por 77% das indenizações do DPVAT

No final de julho (27), celebramos o Dia do Motociclista. Entretanto, o balanço da Seguradora Líder sobre os pagamentos de indenizações do primeiro semestre de 2019 para essa categoria de veículos, com os recursos do DPVAT, não deixam motivos para comemorações. A motocicleta foi o veículo com maior número de indenizações nos primeiros seis meses deste ano, concentrando 77% de todos os sinistros pagos no período. Foram mais de 119 mil indenizações pagas somente com acidentes envolvendo motos, sendo 71% delas, 84.557 para cobertura de invalidez permanente.

Os motociclistas foram as maiores vítimas das indenizações pagas no ano de 2019: dos 88 mil motoristas indenizados, 78.480 eram motociclistas. Quando analisada somente a cobertura por morte, foram 7.130 benefícios contabilizados. As vítimas de acidente envolvendo motocicletas são, em sua maioria, jovens em idade economicamente ativa. No período citado, as vítimas entre 18 e 34 anos, concentraram 49% dos acidentes fatais e 52% dos acidentes com sequelas permanentes. São números que pioram ano após ano e que, agora, ainda podem ser engrossados com as novas alternativas sob duas rodas como, por exemplo, os patinetes elétricos.

O estimulo ao uso de motocicletas é fruto da carência de transporte público, em particular no interior das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país e foi provocado por um grande equívoco quando, durante a promulgação do Código de Trânsito Brasileiro, em 1997, foi vetada a proibição de motocicletas circularem no corredor, ou seja, entre veículos. Isso estimulou o uso das motos e, inicialmente, o fenômeno da expansão da frota de motocicletas aconteceu nos grandes centros mas, em pouco tempo, os fabricantes perceberam o potencial do interior e, infelizmente, não é possível identificar nenhuma tendência de redução dos acidentes com moto, ao contrário, enquanto a indústria fatura, nossos jovens morrem ou ficam inválidos em decorrências dos acidentes e falta de fiscalização.

Precisamos estimular campanhas educativas dramáticas, mostrando as reais consequências dos acidentes com motocicletas, com a participação das vítimas e seus familiares, para que, principalmente, os jovens reflitam e entendam que invalidez e morte não estão distantes das duas rodas.


Continuar lendo

Pedestres são responsáveis por mais de 40 mil indenizações no primeiro semestre de 2019

Os pedestres também fazem parte do trânsito, e o mês em que celebramos o Dia Mundial do Pedestre (08 de agosto) é a oportunidade para lembrar que o risco de acidentes atinge todos andam diariamente pelas ruas. No primeiro semestre de 2019, foram pagas mais de 46,8 mil indenizações aos pedestres vítimas de acidentes de trânsito e seus beneficiários. O número é alarmante porque, na comparação com o mesmo período do ano anterior, o crescimento é de quase 9% (43.267). Neste post, lembramos que a redução desses números depende não só de infraestrutura, mas também do respeito mútuo entre motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres.

Conforme Art. 29, § 2 do Código de Trânsito Brasileiro, “os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres. ”, mas será que é colocado em prática? O negligenciamento dessa regra pode resultar em acidentes com consequências irreparáveis. Mas por outro lado, a falta de atenção de quem anda a pé ao trânsito, com distrações como celular e fones de ouvido, também são fatores de risco.

De acordo com levantamento realizado pela Seguradora Líder, os pedestres foram responsáveis por 46.866 das indenizações totais pagas pelo Seguro DPVAT no primeiro semestre de 2019, sendo a maioria pela cobertura de invalidez permanente (36.137). Outros 5.866 deram entrada no pedido do benefício por reembolso de despesas médicas e 5.363 foram vítimas fatais.

A redução desse número depende de cada pessoa presente no trânsito, é preciso estar sempre atento, manter o respeito pelo próximo e fazer sua parte para que as vias sejam cada vez mais seguras para todos né, galera?

Então se liga, faça sua parte! Pedestres, lembrem-se: não atravessem pela parte de trás dos veículos; caminhe, de preferência, pelo lado de dentro das calçadas; antes de atravessar, faça contato visual com os motoristas para ter certeza de que ele te viu! E motoristas, estejam atentos para tentar antever a reação dos pedestres; não pare nas faixas; evite buzinar para os pedestres; e claro, seja gentil, dê a preferência! 😉

Curtiu o post? Conta pra gente, aqui nos comentários, você presta atenção quando está transitando a pé pelas ruas? 😉

Continuar lendo

Caminhoneiros continuam morrendo por falta do uso de cinto de segurança

No mês passado, um caminhoneiro de 24 anos perdeu o controle do caminhão e tombou na BR 153, na região dos Campos Gerais do Paraná. Como estava sem o cinto de segurança, ele foi projetado para o lado da janela do carona, rompendo o vidro. Além disso, a carreta tombou sobre o seu corpo. Em outro acidente na BR 163, trecho entre Nova Mutum e Lucas do Rio Verde (MT), dois caminhões colidiram em 26 de junho. O carreteiro sem cinto foi arremessado para fora do veículo e não resistiu aos ferimentos e o outro, apesar do tombamento do seu caminhão, sobreviveu sem nenhum ferimento e atribuiu o ocorrido ao fato de estar utilizando o cinto de segurança.

Segundo estudos da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, o uso do cinto de segurança pode reduzir em até 70% as mortes e lesões graves, mas infelizmente muitos caminhoneiros ainda teimam em não usar. Essa é a categoria que mais morre no exercício da profissão, mas muitos resistem ao utilizar o cinto.

O mesmo ocorre com muitos profissionais que vivem atrás do volante, inclusive taxistas, que muitas vezes dirigem sem usar o cinto. Quem é condutor profissional, tem obrigação em usar o cinto de segurança e fazer com que seus passageiros também usem. Além do mais, a utilização do item, também pode evitar acidente. Numa manobra de risco na estrada ou área urbana, o cinto retém o corpo do motorista junto ao assento, o que permite manter o controle do veículo. Com o corpo solto no banco, o condutor perde facilmente a condição de dirigir.

Apesar de todos os avanços tecnológicos, o cinto de segurança de três pontos inventado pelo engenheiro sueco Nils Bohlin há 60 anos, continua sendo o equipamento que mais salva vidas. Só não usa quem não dá o devido valor a ela.


Continuar lendo

Saiba mais sobre regras de acessibilidade no trânsito para pessoas com deficiência

Você sabe como funcionam as leis de trânsito para pessoas com deficiência no Brasil? Além da garantia da acessibilidade e inclusão por meio de legislações, respeitar as limitações do próximo é um ato essencial para viver em sociedade. Neste post, vamos mostrar um pouco do funcionamento das principais regras que visam a inclusão de todos. Acompanhe!

PCDs podem tirar habilitação?

Sim! Pessoas com deficiência que desejam tirar a Carteira Nacional de Habilitação devem recorrer aos Centros de Formação de Condutores, que oferecem as tecnologias necessárias para permitir o aprendizado. Todo o material utilizado em aulas teóricas precisa estar disponível com legendas e tradução em libras. Além disso, autoescolas com frota igual ou superior a dez veículos deverão ter, pelo um menos, um deles adaptado para pessoas com deficiência, com transmissão automática, direção servo-assistida, comandos manuais de acelerador e freio e inversão do pedal de acelerador.

Estacionamento e vagas para deficientes

A vaga especial é um direito assegurado por Lei Federal: 2% do total de vagas precisam estar disponíveis para veículos com credencial e serem próximas ao acesso de pedestres. E fique esperto! Para quem ainda burla essa lei, as consequências são severas. O veículo pode ser removido e o motorista multado como infração grave!

Compra de veículos com isenção de impostos

A isenção também é prevista por lei e é válida para pessoas que possuem o laudo da Receita Federal, assinado por dois médicos credenciados ao SUS (Sistema Único de Saúde). Dependendo da situação, a economia pode chegar a 30%. Algumas montadoras já possuem versões de seus carros adaptados para PCSs, com mudanças nos pedais e volante.

Esses são só alguns dos direitos das pessoas com deficiência no trânsito brasileiro, mas muitas outras regras, além da empatia, são necessárias para que a sociedade possa conviver em segurança. Você já conhecia essas regras? Sabe de mais alguma? Conta pra gente nos comentários como você faz sua parte para garantir a acessibilidade de todos no dia a dia!


Continuar lendo

Campanhas de comunicação apostam na criatividade para tratar do tema prevenção no trânsito

Falar de educação e prevenção de trânsito de uma forma criativa e que cause um impacto emocional nas pessoas é uma estratégia adotada por grandes marcas em suas campanhas de comunicação e mobilização. Destacamos, em nosso blog, três iniciativas recentes.

Uma das ações, veiculada na mídia em abril, pelo Detran-DF, fala sobre a importância do respeito ao pedestre. A campanha mostra cadeirantes que vão aos semáforos fechados segurando placas com informações e relatos pessoais de acidentes ocorridos. Confira abaixo o vídeo, que também mostra reações de alguns dos motoristas que presenciaram a intervenção.

Com o conceito “Você cuida bem do seu carro. O Detran cuida melhor de todos”, o Detran-RJ também se destacou no quesito comunicação criativa. No mês de julho deste ano, iniciou a divulgação do Detran Seguro, uma iniciativa que visa convocar a população sobre a importância de fazer a vistoria anual.

O compromisso com essa temática também foi abraçado pela iFood, que realizou passeata com motofretistas em 25 e 26 de maio. E as bags (onde eles guardam as entregas) foram personalizadas para a ocasião. A intervenção ocorreu no contexto do movimento Maio Amarelo e impactou aproximadamente 5 mil pessoas.


Continuar lendo

Investimento em tecnologia para veículos auxilia na redução de acidentes

No trânsito, a tecnologia pode ser um fator de distração para os condutores, passageiros e pedestres, aumento muito o risco de acidentes. Mas apesar de pontos negativos, como uso de Whatsapp na direção e ao caminhar pelas ruas, uma organização sem fins lucrativos americana, a Consumer Reports, desenvolveu um estudo baseado em informações retiradas de cerca de 72 mil veículos e entrevistas com seus condutores, concluindo que, recursos avançados de assistência ao motorista têm auxiliado a ampliação da segurança de motoristas e passageiros. Quer saber mais sobre o assunto? Então fique ligado no nosso post!

Os ADAS (Advanced Driver-Assistance Systems ), são equipamentos tecnológicos que permitem que os veículos, por meio de câmeras, radares e sensores, façam classificações básicas e detectem objetos. Dessa forma, o condutor é alertado em caso de condições perigosas para a direção. Os dispositivos também fazem o monitoramento em pontos cegos e assistência no momento da troca de faixas.

Cerca de 57% dos motoristas entrevistados afirmaram que o equipamentos os livraram de algum tipo de acidente, como colisões. Interessante, não é? Outro ponto destacado pelos entrevistados foi o aviso de ponto cego: cerca de 60% dos participantes alegaram que já evitaram choques graças a essa inovação. Além disso, grande parte dos entrevistados mostrou-se satisfeito com os serviços de frenagem de emergência automática e também com o cruise control, sistema responsável por auxiliar o motorista a manter distância segura do veículo à frente.

Esse é mais um dos exemplos de que a tecnologia melhora o nosso dia a dia! E você? Conhece alguém que utilize a tecnologia para garantir mais segurança no trânsito? Conta pra gente aqui nos comentários!

Continuar lendo

Férias escolares: a educação no trânsito não descansa!

Além da diversão e do descanso das férias escolares, o período é excelente para ensinar um pouco de segurança no trânsito. A criançada aproveita o tempo para passear, brincar na rua e assim, o número de pedestres aumenta significativamente. Outra mudança de comportamento é que, em época de recesso escolar, os veículos tendem a circular em velocidade acima da permitida, já que as vias urbanas ficam mais livres. Pensando em tudo isso, neste post, vamos falar um pouquinho sobre a necessidade de educar os pequenos e evitar acidentes. Fique ligado!

Educar crianças e adolescentes sobre o trânsito é super importante pois, além de prepara-los como motoristas, pedestres e ciclistas conscientes, contribui para a formação de um cidadão que conhece seus direitos e deveres e os exerce de forma correta. A ação de órgãos de trânsito, nesse momento, é fundamental, seja com blitzes educativas ou até mesmo ações em colônias de férias.

Em Brasília, o Detran começou, no último dia 10, uma campanha de conscientização com a distribuição de material informativo contendo dicas de segurança a condutores e pedestres, com o intuito de reduzir os acidentes. Além das ações nas ruas, o Detran ainda se coloca disponível para visitar e promover ações educativas em colônias de férias, que podem ser agendadas através do Núcleo de Campanhas Educativas no Trânsito (+55 61 3905-4067).

Da mesma forma que a participação ativa dos órgãos públicos é de extrema importância, a educação em casa e os bons exemplos devem ser disseminados diariamente. Ensine que as brincadeiras na rua devem ser feitas longe das vias; oriente sobre os significados das cores dos semáforos, placas e faixas; ensine sobre a importância e utilização de itens de segurança.

Afinal, a segurança no trânsito nunca pode tirar férias!

Continuar lendo

Proteja-se: não esqueça de usar capacete!

O grande número de acidentes de trânsito envolvendo motocicletas em todo Brasil é assustador. Em 2018, somente por morte, foram pagas 18.955 indenizações pagas familiares das vítimas. No total, foram mais de 246 mil indenizações. Além dos cuidados na hora da direção, que outras medidas de segurança são necessárias para mudar essa realidade? Neste post do Viver Seguro no Trânsito, vamos falar um pouco sobre a importância do uso do capacete. Um item fundamental que pode amenizar ou evitar as consequências dos acidentes nas vias.

Utilização prevista por lei!

O Código de Trânsito Brasileiro define a obrigatoriedade do uso de capacete de segurança para condutores e passageiros transportados em motocicletas, motonetas e ciclomotores, independentemente da distância do trajeto percorrido ou da potência do veículo. Não usar capacete, além de colocar a vida em risco, é considerado uma infração gravíssima e pode resultar em multas e até mesmo suspensão direta do direito de conduzir. 😱

Além de ser obrigatório, o item precisa seguir algumas regras impostas pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). A primeira regra é que o capacete precisa ter óculos de proteção ou viseira que estejam entre os padrões cristal, fumê ou light. É necessário ainda que o item contenha adesivos retro refletivos na parte frontal, lateral e traseira e, por fim, um selo do Inmetro que garanta a qualidade do material utilizado.

Segurança a todo momento, para todos!

As motos são as primeiras a serem lembradas quando o assunto é capacete né, galera? Mas vale lembrar que existem outros meios de transporte em que a utilização é de extrema importância para que acidentes com graves consequências sejam evitados. É o caso do patinete, por exemplo que, apesar de não possuir uma lei nacional, em alguns estados já é possível notar uma movimentação em torno da regulamentação desses veículos e na inclusão da utilização do capacete como item obrigatório. Além dos patinetes, as bicicletas também fazem parte do trânsito e a utilização do item de segurança é fundamental para a preservação da vida. 🛴

Menosprezar situações que parecem simples podem gerar graves riscos. No trânsito, na prática de esportes radicais, para trabalhos que precisam de proteção individual e até mesmo durante aquele passeio de final de semana, não subestime a vida: use capacete!


Continuar lendo

ONU lança manual de segurança para motociclistas

Só no Brasil, os números de acidentes de trânsito envolvendo motocicletas são alarmantes. Apesar de representarem apenas 27% da frota nacional, essa categoria de veículos foi responsável por 75% das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT. O cenário brasileiro é apenas um exemplo de um problema mundial. Tanto que a Organização das Nações Unidas (ONU) desenvolveu o documento “Segurança de veículos motorizados de duas e três rodas: um manual de segurança para gestores e profissionais da área”. Neste post, vamos dar alguns detalhes sobre essa iniciativa. Fique ligado!

A partir dos números de fabricação de motocicletas, que cresce anualmente em muitos países, inclusive no Brasil, a ONU percebeu que era preciso incentivar a criação de políticas públicas específicas para os motociclistas. Foi então que nasceu o manual, produzido com o objetivo de atingir os locais onde os números de acidentes com motos, são altos. No Brasil, o governo paulista foi um dos primeiros a receber o documento, que foi produzido pela Agência de Saúde da ONU.

O material foi produzido para setores que tem como responsabilidade elaborar políticas de segurança viária. A partir da boa implementação das orientações do manual, o objetivo é atingir motociclistas, engenheiros, policiais, profissionais de saúde pública e educadores para prevenir e controlar a quantidade de acidentes envolvendo veículos de duas rodas que resultem em lesões. 🛵

Como o manual foi feito para os usuários desta categoria de veículos de todo o mundo, a ONU aconselha adaptações locais de acordo com a realidade da cidade, estado ou país. O conteúdo do material fornece desde sugestões básicas de combate ao excesso de velocidade, utilização de itens de segurança e perigos da combinação de álcool e direção até questionamentos mais específicos como os riscos das lesões ocasionadas pelos acidentes envolvendo motos.

O manual em português foi lançado em janeiro deste ano e pode ser encontrado, de forma gratuita, clicando aqui.

É motociclista ou conhece alguém que é? Compartilhe esse material! Quem sabe você não ajuda a prevenir e diminuir acidentes no território brasileiro?

😉

Continuar lendo

Página 1 de 44
12345678910...