Sign In
Início do conteúdo
​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Sala de Imprensa​​​​​​

Newsletter​​​​​​

Três Perguntas para Gabriela Guida de Freitas, gerente executiva da ONG Criança Segura no Brasil

Publicado em segunda-feira, 11 de março de 2019

Newsletter - 11/03/2019 - 71ª Edição

Fundada em Washington, nos Estados Unidos, em 1987 e com 18 anos de atuação no Brasil, a ONG Criança Segura contribuiu para reduzir em 39,69% o número de mortes de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos no trânsito brasileiro, de acordo com Gabriela Guida de Freitas, gerente executiva da organização. A Criança Segura teve papel decisivo na aprovação da lei que tornou obrigatório o uso de dispositivos de retenção veicular infantil (bebê conforto, cadeirinha e assento de elevação). Nesta entrevista, Gabriela detalha o trabalho desenvolvido pela ONG para proteger crianças e adolescentes no trânsito.

1- O acidente de trânsito é apontado como a principal causa de morte acidental de crianças e adolescentes com idades entre 5 e 14 anos no Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Como explicar essa triste estatística?

As mortes por acidentes de trânsito são consideradas uma epidemia global, que afeta principalmente países emergentes, como é o caso do Brasil. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), as mortes e lesões no trânsito estão principalmente ligadas aos cinco principais fatores de risco e proteção nesse ambiente, que são: excesso de velocidade, condução sob o efeito de álcool, o não uso de capacetes pelos motociclistas, e o não uso de cintos de segurança e dos sistemas de retenção de crianças. A criança e o adolescente, por suas características físicas e comportamentais, são um dos públicos mais vulneráveis no trânsito. Por isso, é tão importante pensarmos em ações para proteger meninas e meninos, sejam pedestres, ciclistas ou passageiros.

2- Existe no Brasil alguma política especificamente voltada para aumentar a segurança de crianças e adolescentes no trânsito?

A legislação brasileira possui diversos mecanismos para aumentar a segurança das crianças e adolescentes no trânsito, como a obrigatoriedade do uso de cadeirinha, regras específicas para o transporte de crianças em veículos e motocicletas, regras para transporte escolar e sinalização e limite de velocidade reduzido em áreas escolares.

3- De que forma a ONG Criança Segura vem atuando? Que iniciativas podem ser destacadas?

A Criança Segura atua desde 2001 no Brasil para conscientizar e educar a população sobre a importância e a eficácia da cultura de prevenção de acidentes na infância. Para atingir esse objetivo, nossa organização divulga informações sobre comportamentos seguros para a sociedade em geral, por meio de seu site e redes sociais; pautas para a imprensa; formação de pais, familiares, responsáveis cuidadores e diversos profissionais que atuam diretamente com crianças e adolescentes por meio de cursos, palestras e oficinas. Cobramos, ainda, do poder público a criação e o fortalecimento de leis e políticas públicas em favor da segurança, saúde e vida de meninas e meninos.

Em 18 anos de atuação, as ações da Criança Segura ajudaram a reduzir o número de mortes por acidentes de crianças e adolescentes, de 0 a 14 anos, em 39,69% no Brasil, de acordo com os relatórios disponibilizados aqui. Como iniciativa de destaque, podemos citar a aprovação da lei que tornou obrigatório o uso de dispositivos de retenção veicular infantil (bebê conforto, cadeirinha e assento de elevação). A Criança Segura foi um dos atores mais engajados no processo de conscientização e cobrança da sociedade, em geral, e dos parlamentares, para que essa medida fosse aprovada em nosso país.

Saiba mais sobre a ONG Criança Segura em https://criancasegura.org.br/.




​Mais artigos​