Sign In
Início do conteúdo
​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Sala de Imprensa​​​​​​

Newsletter​​​​​​

TRÊS PERGUNTAS PARA MÁRCIO GUTIERREZ, diretor do Departamento de Polícia Especializada da Polícia Civil do Estado do Ceará

Publicado em segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Newsletter - 05/08/2019 - 92ª Edição

Todo e qualquer ilícito ou suspeita de fraude relacionada ao seguro DPVAT no Estado do Ceará são tratados por uma delegacia especializada, a Delegacia de Acidentes e Delitos de Trânsito, da Polícia Civil do Estado do Ceará. O diretor Delegado Márcio Gutierrez é o entrevistado desta semana na newsletter da Seguradora Líder. Ele explica o quanto o trabalho coordenado - realizado em parceria com a Seguradora Líder, administradora do Seguro - permite um cruzamento cada vez mais preciso de informações dos pedidos de indenização com os boletins de ocorrência e análise das informações sobre acidentes, reduzindo o volume de fraudes na região. “A atuação dos laçadores (aqueles que buscam vítimas para se valer e até falsificar a documentação) diminuiu muito com nosso trabalho”, diz o Delegado Márcio Gutierrez. Confira a entrevista:

1-A Delegacia de Acidentes e Delitos de Trânsito (DADT) desenvolve algum trabalho específico voltado para o combate às fraudes no Seguro DPVAT?

Desde 2015 a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) vem aumentando seu engajamento em relação ao combate a essas fraudes. Naquele ano, nós tivemos duas portarias: a de número 30/2015, que deixou a Delegacia de Acidentes e Delitos de Trânsito (DADT) como competente para registrar os fatos relacionados ao seguro DPVAT que ocorressem na Capital; e, depois, a portaria de número 106, que estabeleceu a DADT como delegacia competente também para apurar as fraudes no seguro DPVAT. Desde esse período até hoje, a especializada vem desenvolvendo um trabalho de investigação de cruzamento de dados de informações relacionados aos pedidos ou, pelo menos, aos registrados em boletins de ocorrência, com fatos relacionados aos pedidos de indenização do DPVAT. A Seguradora Líder e a DADT também estão em constante comunicação direta, exatamente para tentar coibir de forma mais eficaz essas fraudes.

2-Quais são os resultados dessa iniciativa?

De 2015 até hoje, tivemos uma redução bem considerável em relação às fraudes, principalmente com o recrudescimento, por parte da delegacia, na análise das informações dos acidentes. A atuação dos laçadores (aqueles que buscam vítimas para se valer e até falsificar a documentação) diminuiu muito com nosso trabalho à frente desse crime.

3-Que outras medidas foram importantes para inibir a ação dos fraudadores?

A DADT faz uma análise muito criteriosa da documentação do acidente de trânsito e também da forma como é gerada – se ela é gerada pelo SAMU ou por um hospital, por exemplo. Então, é feita toda uma análise em torno dessa documentação a fim de verificar indícios de fraudes. Se identificado algum tipo de fraude, é instaurado um inquérito policial. Nessa investigação, testemunhas, médicos, além daquelas pessoas que fizeram o atendimento também são ouvidas no procedimento para verificar se as declarações dadas são realmente verdadeiras ou se foram fruto de fraudes, com o intuito de forjar uma situação que não existiu. Por conta dessa criteriosa análise, os resultados vêm aparecendo desde 2015, com uma diminuição considerável das tentativas de fraudes propriamente ditas. E o eficaz trabalho de inteligência que está sendo feito com o cruzamento de dados conta com a parceria da Seguradora Líder, administradora do Seguro DPVAT.



​Mais artigos​