Sign In
Início do conteúdo
​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Sala de Imprensa​​​​​​

Newsletter​​​​​​

Investigações da Polícia Civil no Pará iniciaram a partir de notícia-crime da Seguradora Líder

Publicado em segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Newsletter - 09/09/2019 - 97ª Edição

Como resultado de mais uma ação proativa da Seguradora Líder de encaminhamento de notícias crime aos órgãos competentes, a Polícia Civil do Pará investiga um esquema de fraude contra o Seguro DPVAT no município de Rio Maria, no sudeste do estado. Na última semana, os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em um escritório da região, suspeito de falsificar documentos para acesso ao benefício.

A empresa é acusada de falsificação de documento público, estelionato e falsidade ideológica. Segundo as investigações, o escritório usava certidões de óbito falsas para atestar a morte de vítimas de acidentes que estavam vivas e, assim, dar entrada no pedido de indenização do seguro. Durante a ação da polícia, foram apreendidos diversos documentos e um computador.

A Seguradora Líder vem investindo cada vez mais no combate às fraudes, e o uso da tecnologia tem sido um grande aliado neste trabalho. Todos os pedidos de indenização do Seguro DPVAT recebem monitoramento contínuo, sendo avaliados por softwares de inteligência artificial, que contêm ferramentas de filtros sistêmicos de ocorrências suspeitas, além de controle de risco. A equipe de Prevenção e Combate às Fraudes utiliza ferramentas de Analytics, com mais de 200 variáveis; realiza análises documentais precisas; e aplica filtros capazes de cruzar as informações dos documentos apresentados com bancos de dados diversos. Além disso, quando necessário, são realizadas investigações de campo. Ao identificar uma irregularidade, uma notícia- crime é encaminhada aos órgãos competentes.

Como resultado destas iniciativas, foram identificadas, no ano passado, 11.898 fraudes ao Seguro DPVAT em todo o país, sendo 375 apenas no Pará. Neste ano, de janeiro a agosto, as iniciativas proativas da Seguradora Líder já resultaram em 33 sentenças condenatórias; 46 condenados; 27 cancelamentos; suspensões ou cassações de registros em órgãos de classe; e 12 prisões em todo o Brasil.




​Mais artigos​